• PT
  • EN

SET Norte 2018: novidades do ISDB-T devem chegar ao mercado no próximo ano

Painel analisa potencialidades do DTV Play e a sua integração com o broadband 

 

Moderado por Leonardo Chaves, gerente de Projetos em Novas Tecnologias de Transmissão da TV Globo, o painel sobre o ISDB-T se debruçou sobre as possibilidades e realidade próxima do sistema de TV Digital japonês e suas aplicações.

Aguinaldo Boquimpani, consultor Sênior da Mirakulo, falou sobre a evolução do ISDB-T integrando OTT e TV aberta. A evolução do ATSC 3.0 colocou uma necessidade de evolução, também no ISDB-T. Esta evolução deve acontecer, a médio prazo,  “do final de 2019 em diante”, disse. “Para isso, o Fórum de TV Digital finalizou os trabalhos das novas normas técnicas que materializam uma evolução significativa, atendendo aos objetivos de integração dos ambientes, serviços e plataformas”, disse.

A meta é a disponibilização, em curto prazo, de receptores e mídias de TV que atendam essa evolução, o DTV Play (nome ainda a ser consultado para registro pelo fórum), é uma possibilidade. “O foco principal é que, pela 1ª vez no mundo, teremos uma TV digital interativa abrindo caminho de interação verdadeira, no qual o OTT possa se conectar com a plataforma de radiodifusão”, explicou confiante.

O caminho de evolução foi a partir do desejo de que o espectador pudesse ser reconhecido, por meio de login na plataforma, para assistir seu conteúdo de maneira fácil na TV linear e sob demanda. Levando-se em conta, ainda, que o consumidor se sentisse em um único ambiente, na TV linear, e pudesse navegar facilmente entre broadband e broadcast. A emissora ainda teria a oportunidade de integrar seus próprios APP no DTV Play.

“Estamos evoluindo para retirar essa imagem de que o sinal de OTT é apartado da radiodifusão. É uma integração tecnológica (SmartTV e Mobile) provendo essa facilidade de uso, com acesso a um toque de controle remoto”, comentou. O ambiente também deve proporcionar novas tecnologias de vídeo e áudio com suporte a novos codecs HEVC/H.265, o novo DVT Play está pronto para ser usado em TVs de ultra definição 4K com HDR.

“A tecnologia vai estar disponível nos modelos de smartv e TV conectada num futuro bem próximo”, disse o palestrante. A ABNT já publicou novos padrões atualizados com as informações necessárias para ela ser utilizada. “Falamos da norma 15606-2 e a 15606-10, que define o perfil para novas aplicações do HTML5. Também foi publicada atualização do Ginga CC Webservices, fazendo com que o ambiente se torne opensource, fornecendo acesso APIs capazes de oferecer uma experiencia integrada do ambiente de transmissão com os ambientes de aplicação OTT”, sinalizou.

Na prática, um modelo de uso sugerido seria: o APP Ginga notifica o usuário de que ele perdeu capítulos anteriores da novela e acessa o app SmarTV com a mesma interface e transição transparente para reproduzir o conteúdo VOD da emissora. A inteligência do APP detecta o perfil do usuário logado e sugere conteúdos afins. “as vantagens são baixo custo e simplicidade de aplicação técnica. Esperamos quem em 2019 os primeiros modelos já cheguem ao mercado”, afirmou.

Áudio imersivo

Na parte de áudio imersivo e HDR, Rafael Castro, diretor regional para América Latina da Dolby Laboratories, explanou sobre as mais recentes tecnologias. “Não estamos falando de um novo sistema, mas de um modelo que já está funcionando e que tem seus próximos modelos já semiaprovados para entrarem em funcionamento sem colocar em risco a qualidade dos modelos já existentes, ou seja, é retrocompatível”, disse.

O Dolby Digital Plus possui um codec de áudio que permite a atualização para os mais recentes modelos de áudio imersivo. “Isso porque os fabricantes europeus adotaram um pacote da Dolby que permite a TV codificar qualquer formato de áudio recebido para um formato Dolby Digital”, explicou.

No mercado, a Netflix, a Globo, o HBO, a Disney e muitas outras empresas já produzem conteúdo em Dolby Atmos. “Eles fazem com que o usuário receba um conteúdo imersivo sem ter que instalar caixas especificas em casa ou fazer uma grande manutenção no áudio existente. Basicamente você não precisa comprar novos autofalantes, mas apenas as soundbars e speakers para complementar o áudio ‘de teto’ em uma única peça”, disse. O primeiro conteúdo Dolby Vision e Dolby Atmos da Netflix foi o a série OKJA. Games online já têm a tecnologia.

No Brasil, a Pioneer e a Yamaha já disponibilizam a tecnologia atualizada. Nos smartphones, os mais atuais dispositivos já decodificam a tecnologia, e na Apple, a partir do Iphone 8 todos possuem a tecnologia ou atualização para a mesma. A Globo vem fazendo experiencias com o sistema desde 2017, no Carnaval. Na ocasião, ela testou a mixagem remota, depois o live streaming para dispositivos móveis e, no carnaval deste ano, a mixagem remota e o live streaming para TV conectada.

A evolução da tecnologia no mundo – transmissão simultânea de 4K-UHD com 2K-HD

Após a consolidação da TV digital terrestre, a pesquisa e desenvolvimento no Japão avançam para a introdução dos serviços com maior definição de imagem. O palestrante Yasutoshi Miyoshi, diretor comercial da Hitachi Hokusai Linearre, explicou que o Japão corre com a tecnologia para testá-la nos próximos jogos olímpicos, que acontecerão em Tóquio.

São três frentes de estudo: abrir um espaço no espectro já congestionado para oferecer um novo canal de radiofrequência para receber as novas tecnologias. O estudo é conduzido pela NHK.

Os segundo e terceiros são opções de preservar os serviços atuais e realizar uma transição para a alta definição até desligar o modelo atual, finalizou

 

Para mais informações sobre o SET Norte 2018, clique aqui.

Para acompanhar a transmissão ao vivo na SET_TV, clique aqui.

Captação de som e imagem pela Rede Amazônica.

Por Tainara Rebelo em  Manaus (AM), e Fernando Moura em São Paulo (SP)