• PT
  • EN

Produtoras celebram o aumento da demanda global por conteúdo audiovisual

Produtoras celebram o aumento da demanda global por conteúdo audiovisual no IBC 2019. Foto: IBC

Conteúdo original do IBC365: leia em inglês aqui

Os líderes dos estúdios mais influentes trataram das liberdades de produção em meio à paisagem digital florescente e aos desafios da arte da televisão.

Falando durante o Global Content Gamechangers: Creative challenges and digital giants, a presidente-executiva da All3Media, Jane Turton, disse: “Não seguimos servilmente o dólar OTT, mas criamos, de maneira importante, conteúdo de alta qualidade com uma ampla variedade “.

Empresas como Netflix, Amazon e Hulu com “enormes orçamentos e plataformas globais mudaram muito o nosso setor”, explicou Turton. A All3Media produziu mais de 20 programas de entretenimento para a Netflix em formatos variados, mas “antigamente isso seria feito somente para emissoras terrestres britânicas, alemãs ou americanas”.

Apoiando a teoria de que esta é uma era de ouro para o conteúdo, ela reconheceu que, com riscos, surgem mudanças e inovações. Hoje, as oportunidades crescentes para empresas de produção são incomparáveis.

A diretora administrativa da BBC Studios, Lisa Opie, está mais do que familiarizada com a mudança, liderando a unidade de produção do Reino Unido depois que a gerência decidiu se tornar uma entidade comercial há dois anos, numa tentativa de expandir a criatividade, atrair talentos e produzir em escala global.

Opie disse: “Tem sido realmente libertador para nossas equipes criativas trabalhar com terceiros porque cada plataforma e emissora são um pouco diferente”.

Recentemente, assegurando sua primeira comissão de Quibi, Opie explicou que a oferta é diferente, mas é importante permanecer relevante em plataformas como essa.

“Temos uma oferta de negócios muito ampla para o mercado, como documentários e dramas”, disse.

Turton e Opie explicaram a importância de aumentar o portfólio de conteúdo. Turton acrescentou: “Seja inteligente na maneira como atrai talentos e se adapta ao mercado em evolução; hoje você escreve o programa para o orçamento da plataforma”.

Opie admitiu que está orgulhosa do sucesso da equipe e do desenvolvimento de uma cultura criativa vibrante: “Foi transformador para muitas de nossas equipes e uma jornada realmente emocionante.”

O conteúdo hoje é projetado para ser global e multiterritorial, as empresas de produção são forçadas a fazer “acordos inteligentes” sem quantias agregadas de dinheiro, no entanto, a capacidade de forçar os limites criativos e explorar mercados que as emissoras tradicionais não poderiam alcançar é parte dessa “era dourada”, disse Turton.

Com a Fox competindo na mesma faixa de licença com a Netflix por uma hora de conteúdo, as parcerias de longo prazo são fundamentais, embora fluidas.

Opie acrescentou: “Conquistamos muitos negócios  no mercado com mais de 30 comissões de terceiros nos últimos dois anos, da National Geographic à Discovery, Apple, Spotify, Quibi, UKTV, Channel 4, 5,ITV e It. É um período realmente emocionante de mudança. “