• PT
  • EN
  • ES

Migração do rádio AM para FM reúne centenas de radiodifusores em Brasília

Fonte: ABERT

Mais de 500 pessoas, entre radiodifusores de todo o país, empresários, presidentes de associações estaduais de radiodifusão e parlamentares, lotaram o Palácio do Planalto na manhã desta segunda-feira (7), data em que se comemora o Dia do Radialista, para acompanhar a cerimônia de assinatura dos termos aditivos de adaptação das outorgas do rádio AM para o FM. No discurso de abertura da solenidade, o presidente da ABERT, Paulo Tonet Camargo, destacou que o ato marcava um dia considerado histórico para o rádio brasileiro.

“A possibilidade de migração da faixa AM para FM revigorou a força do rádio. Com melhor qualidade de áudio, diversidade de conteúdo, competitividade e maior alcance das emissoras por meio dos dispositivos móveis, o radiodifusor aceitou o desafio, mesmo sabendo das dificuldades enfrentadas por um setor que não escapou do momento econômico delicado que vem nos atingindo particularmente”, disse Tonet.

O presidente da República Michel Temer destacou que o apoio à migração reforça a liberdade de imprensa:

“Temos no texto da Constituição a liberdade plena da imprensa e o que mais tem acontecido nos últimos tempos são os debates das ideias. A migração é fundamental não apenas para a democracia, mas também para a livre atuação da imprensa, porque revela que esse direito não é só uma ideia, é uma ação”, afirmou o presidente.

Já o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Gilberto Kassab revelou a importância do processo para os brasileiros:

“Concluímos que a população atendida com essa mudança chega a 25 milhões de pessoas. Por isso, essa é uma prioridade da nossa gestão”, disse Kassab.

Após os discursos, um radiodifusor de cada uma das cinco regiões brasileiras assinou o termo aditivo ao lado do presidente Michel Temer, do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Ao todo, 244 radiodifusores se reuniram em Brasília (DF) para assinar a migração, mas a quantidade de pessoas que participaram do evento foi tão grande que os 400 lugares do Salão Oeste do Palácio não foram suficientes. Foi necessário montar uma estrutura com telão do lado de fora para que todos pudessem acompanhar a cerimônia. Do Palácio do Planalto, os radiodifusores seguiram para o Ministério das Comunicações para formalizar a assinatura dos termos aditivos.

Para ler a notícia completa, clique aqui.

Post Tags: