• PT
  • EN

Hollywood aposta na nuvem, mas segurança ainda é problema

Executivos dos estúdio de Hollywood se reúnem para discutir produção no IBC 2019. Foto: IBC.

Conteúdo original do IBC 365: para ler em inglês, clique aqui.

No Congresso do IBC 2019, o painel Hollywood’s vision for the future of production in 2030 reuniu chefes de tecnologia dos grandes estúdios  para discutir o whitepaper do MovieLabs, que visa repensar os fluxos de trabalho de produção.

O CTO Michael Wise, da Universal Pictures, disse: “Houve um aumento maciço na produção de conteúdo e precisamos de ciclos de produção mais rápidos e iterações mais rápidas”.

O MovieLabs – criado pela Paramount Pictures, Sony Pictures Entertainment, Universal Pictures, Walt Disney Pictures and Television e Warner Bros. Entertainment – diz que, para que seu projeto de produção de dez anos ocorra, é preciso criar e administrar ativos diretamente na nuvem. Quaisquer ferramentas usadas nos ativos de conteúdo desse novo fluxo de trabalho devem chegar à nuvem, e não o contrário.

Arjun Ramamurthy, vice-presidente sênior de tecnologia da Disney, enfatizou que os principais estúdios de Hollywood agora precisavam de “todos no ecossistema de produção”.

Ele acrescentou: “Para colocar meus padrões por um segundo, queremos o melhor das ferramentas de criação, mas elas precisam ser intercambiáveis ​​e interoperáveis ​​- eu diria que esta é a mensagem principal aqui para os fabricantes”.

Bill Baggelaar, vice-presidente sênior de tecnologia, tecnologias de produção e pós-produção da Sony Pictures Entertainment, concordou.

“Precisamos que todo o setor se junte. Temos nossos próprios objetivos, mas sabemos que outros precisarão das mesmas ferramentas. ”

O chefe técnico da Sony acrescentou que o estúdio não gostaria de criar suas próprias ferramentas para gerenciar soluções em nuvem, mas exigiria “a capacidade de conectar-se aos nossos próprios fornecedores preferenciais”.

Em termos de criação formal de padrões, o MovieLabs atualmente está aproveitando esse esforço e  coletando dados sobre o que precisa ser formalmente acordado.

Além dos padrões, a outra grande preocupação levantada foia a da segurança. Wise admitiu que suas noites de insonia geralmente incluem “um arquivo de US $ 1 bilhão em um servidor alguns dias antes da data do lançamento”. Ele disse que gostaria de ver criptografia “em todos os lugares”.

Mas, embora a segurança possa ter impedido Hollywood de se envolver com a nuvem anteriormente, os estúdios disseram que se sentem mais confortáveis ​​agora que os fornecedores  estão mais maduros.

Baggelaar acrescentou que um sistema de identificação comum seria fundamental para identificar os milhares de trabalhadores que interagem com o conteúdo dos estúdios.

Daphne Dentz, vice-presidente sênior de tecnologia de masterização e produção da Warner Bros. acrescentou que um sistema de identificação formalizaria protocolos para os membros da equipe que desejam usar seus próprios dispositivos ou conectar seu próprio kit às redes de produção dos estúdios.