• PT
  • EN

Modernização da SET é destaque na última reunião de diretoria do ano

Reunião de Diretoria da SET – 21/10/2018.
Foto: Tainara Rebelo

A diretoria da SET se reuniu no último sábado (21), em São Paulo, para sua última reunião do ano de 2018. Este encontro foi o último na gestão de Liliana Nakonechnyj, que estará à frente da associação até 31 de dezembro. A partir do próximo ano, quem assume a presidência da SET é o atual diretor de Tecnologia, Carlos Fini.

No encontro, foram apresentados os números do SET EXPO 2018, que este ano reuniu mais de 15 mil visitantes de mais de 37 países no Expo Center Norte, em São Paulo, entre os dias 27 e 30 de agosto. Os diretores e colaboradores discutiram pontos positivos e deram sugestão de melhorias para que o evento continue a ser a principal vitrine de produtos e negócios em tecnologia de mídia e entretenimento nos próximos anos.

Também foram apresentados resultados e atividades dos Grupos de Estudo e Trabalho da SET. Houve a sugestão da criação de novos grupos “mais dinâmicos e modernos, para abrigar as novas tecnologias e tendências do mercado”, explicou a presidente. O assunto ainda será debatido.

Outro ponto alto da reunião foi o novo estatuto da SET. A partir de 1 de janeiro de 2019, a entidade passará a funcionar com um conselho deliberativo e um órgão colegiado.

“A gestão da Liliana foi essencial e marcou história na iniciativa de atualizar a SET”, disse o presidente eleito Carlos Fini. Ao final, Liliana agradeceu por seus dois anos na presidência da SET, pelo apoio que recebeu na reformulação da associação e desejou boas realizações aos novos administradores.

A comunicação e as eleições – um olhar do fundador da SET

Durante a reunião, o fundador da SET, Adilson Pontes Malta, destacou um grande desafio que a comunicação e suas tecnologias irão enfrentar daqui para frente. “Me refiro à quantidade de fake news online e a ao tempo de TV dos candidatos nessas eleições”, disse.

Malta alertou que o mercado tem que ficar atento e estudar estes fenômenos porque eles irão impactar nos negócios de broadcast e de novas mídias. “As empresas estão procurando diminuir custos, e este foi um recurso explorado nestas eleições. Estamos caminhando para o desconhecido e precisamos estra atentos para o que poderá surgir”, afirmou.