• PT
  • EN
  • ES

Sindvel reúne empresas com Apex

O Projeto Setorial Integrado PSI Eletroeletrônicos Brasil, realizado em parceria entre o Sindvel, Abinee, Sebrae , ABDI e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), reuniu os empresários do setor na sede da SET em São Paulo nos dias 17 e 18 de novembro para definição de oito mercados prioritários para a promoção dos produtos eletroeletrônicos brasileiros no exterior. Uma segunda rodada de reuniões aconteceu na Abinee RS no dia 26 de novembro para finalização do trabalho com as empresas do Rio Grande do Sul.
A decisão conta com o suporte de um estudo de ranqueamento de mercados, com metodologia específica elaborada pela Unidade de Inteligência Comercial e Competitiva (UICC) da Apex-Brasil. Segundo o coordenador da UICC, Marcos Lélis, foram analisados 38 mercados, separados por regiões geográficas (Américas, Ásia/ Oriente Médio e Europa). As variáveis aplicadas no trabalho envolveram dados de volume e crescimento de comércio exterior; acesso e análise da concorrência; demografia e renda; contexto macroeconômico; volume e crescimento setorial. A lista de mercados deve ser definida em duas a três semanas, em decorrência de uma análise final pela Apex.
Existe uma forte tendência de trabalho na América Latina e Caribe, porém este exercício poderá definir a continuidade do trabalho em seis tradicionais mercados e ampliação com a inclusão de dois novos mercados cujo estudo mostra oportunidades para estes produtos. Estão sendo analisadas as verticais de Equipamentos para Radiodifusão, Energia, Telecomunicações, Segurança e a nova vertical de Automação que será incorporada ao projeto para o período 2010/2011. Também participaram da análise dos mercados-alvo o analista da UICC, Emanuel Figueira, e o gestor de projetos, Richard Sabah, ambos da Apex-Brasil.

Há 3 anos transformando teoria em prática
O PSI EletroeletronicosBrasil organizado pela Apex e Sindvel existe há três anos, com o objetivo de direcionar corporações para mercados estratégicos. Atualmente 40 empresas estão afiliadas ao plano. O Projeto Setorial Integrado (PSI), tema que esteve em pauta na SET, é onde utilizamos essa metodologia . Seu principal objetivo é ampliar a participação das empresas brasileiras do setor eletroeletrônico no mercado internacional, visando aumentar a exportação. Renata Pivoto, coordenadora do PSI, diz que uma das intenções é aumentar o volume de empresas associadas. “A expectativa é dobrar: chegarmos à 80 empresas”, afirma.
Ulisses Barreto, diretor comercial da TSDA, empresa especializada em telemetria e controle remoto, relata a Missão coordenada pela Apex/Sindvel para Santiago do Chile, como parte do projeto que existe há três anos. “O evento foi muito prestigiado pois os principais diretores, gerentes e profissionais de televisão compareceram para conhecer melhor o conceito brasileiro de televisão digital”, explica.
A televisão digital tem sido o assunto número um entre os radiodifusores chilenos no momento, e o Brasil ganha evidência com a adoção do padrão nacional pelo país vizinho, que esteve presente na reunião da SET, conta as experiências em estabelecer um novo mercado na capital chilena.
Após o evento, a TSDA teve a oportunidade de apresentar seus produtos para as emissoras chilenas que estão em fase de decisão de compra dos primeiros equipamentos.
O Chile conta com diversos acordos bilaterais internacionais, que permitem a concorrência direta com produtos americanos e europeus sem barreiras tarifárias. “O país possui um consideração muito grande por parte das empresas. Vender para o Chile é sinônimo de vender produtos de qualidade”, afirma Barreto.
Na viagem, a empresa fechou novos negócios e prospectou outros que realizará em 2010. “A TSDA atualmente já fornece seus produtos para o Chile, o que é um grande orgulho para a empresa, pois os concorrentes são oriundos dos EUA e Europa”.

Empresários vêem PSi com otimismo
O Projeto Setorial Integrado (PSI) visa definir o mercado-alvo das empresas, como forma de contingenciar investimentos. Dos 38 países em estudo, a STB, que marcou presença no Apex/Sindvel, passará a investir em oito: Venezuela, Chile, México, Angola, Argentina, Peru, EUA, Colômbia e Cuba “Aprendemos como direcionar a empresa no mercado. A metodologia foi muito positiva nesse sentido. A princípio, tínhamos um estudo mais amplo para desenvolver os negócios”, conta Wilson Botelho, Consultor da STB.
Na reunião da SET, cada empresário deu voto em alguns países. “As empresas estão aguardando a definição de medidas do PSI para o crescimento desse mercado”, afirma Jorge Ganuza, diretor comercial da Tecsys. Nos próximos dois anos ocorrerá nova reunião para se julgar os resultados e traçar novas estratégias. “Estou bastante otimista com a metodologia, e conforme ela entrar na prática, devemos obter passos efetivos em relação ao aumento da exportação”, diz Jorge.

*Carlos Henrique é vice-presidente do Sindvel e gerente do PSI Eletroeletrônicos – carloshenrique@ sindvel.com.br
Revista da SET – ANO XXI – N.111 – DEZ 2009