• PT
  • EN
  • ES

SET EXPO 2014 cada vez mais internacional

Nº 146 – Out/Nov 2014

por Fernando Moura e Lucas Esteves

REPORTAGEM

Esta edição do SET EXPO mostrou ao mundo que o evento está entre os principais do mundo. Um reflexo claro dessa tendência foram os lançamentos mundiais realizados nela, o número de visitantes e a categoria profissional destes, e os negócios que nela se desenvolveram. Na segunda parte desta reportagem mostramos alguns dos mais de 300 expositores que participaram do evento realizado em São Paulo.

O SET EXPO 2014 contou com a presença de 24 mil visitantes em seus três dias de exposição


SET EXPO 2014, Feira de Equipamentos, Tecnologia e Serviços aplicados aos Mercados de Broadcasting, Telecomunicações e Mídias Convergentes realizado em um espaço de 10 mil metros do Pavilhão Azul do Centro de Convenções e Exposições Expo Center Norte em São Paulo (SP) de 24 a 27 de agosto passado contou com mais de 14 mil visitantes únicos, uma circulação de mais de 25 mil pessoas nos três dias exposição e se afirmou como o maior evento do género na América do Sul. Para a edição de 2015 se prevê um crescimento de até 40% na área de exposição e a chegada a capital paulista de um número maior de expositores, empresas e visitantes.

IF Telecom
Em um momento em que o mercado broadcasting brasileiro passa por uma fase de interiorização da emissão e transição para sinais digitais, a IF Telecom, empresa do interior paulista levou ao SET EXPO 2014 uma nova linha de antenas que focam alinhar alta performance com baixo custo.
Segundo José Roberto Elias, gerente comercial da empresa, “nós estamos trazendo a qualidade de 70 anos de tecnologia na área desenvolvida no exterior e nacionalizando esses produtos. Nós conseguimos que as taxas aplicadas ficassem em um nível atrativo e viabilizassem a TV Digital em cidades de pequeno porte e para emissoras com menor possibilidade de investimento”.
O que possibilita o trabalho da IF Telecom com foco em eficiência econômica é a parceria com a empresa norte-americana Dieletric, que trouxe o conhecimento tecnológico existente no exterior para o Brasil.
Parceria estratégica assinada a alguns meses que pretende reforçar a presença da Dielectric no Brasil e aproveitar a conjuntura que tem pela frente o switch-off analógico e a migração da radio AM para FM com a fabricação de antenas na fabrica da IF Telecom localizada em Valinhos, São Paulo.
Elias afirma que “a lógica de produção local desses equipamentos é a medida chave para permitir que os preços praticados pela empresa sejam menores”. No SET EXPO 2014 a empresa, como tinha prometido em reportagem realizada pela Revista da SET na edição nº 142, apresentou os painéis elípticos do modelo TUM produzidos em Valinhos. “Essa família de antenas trazida pela multinacional americana vem a complementar o portfólio de produtos já conhecidos pela alta qualidade e preços incomparavelmente atrativos que a IF Telecom produz há anos no Brasil”, disse.
A antena omnidireccional é leve e compacta, pode transmitir sinais digitais em polarização elíptica em 360º.
“Transmite girando. As ondas saem em todas as direções. Com isso, a recepção independe da orientação da antena”, conta Elias. A antena omnidirecional é aplicável em grandes centros ou locais que precisem levar sinal de qualidade para apartamentos, por exemplo. A capacidade de recepção deve ser aumentada em até 30%, garantindo confiabilidade aos sinais.
Além das antenas típicas da empresa, estava em exposição uma nova linha nacional de filtros utilizados em transmissores. “A possibilidade dos fabricantes de recorrer a um produto nacional ao invés de precisar importar deve também acarretar um barateamento no custo desses transmissores, trazendo incentivo às emissoras”, comentou Elias.
A IF Telecom ainda garante que continua investindo em produção nacional, uma política que a permite oferecer produtos de alta qualidade por custo mais baixo, e que está expandindo suas intalações.

RFS
A RFS chegou ao SET EXPO 2014 com o foco voltado para suas soluções em filtros e combinadores UHF da família Peak Power+ que trabalham com menor perda de inserção e maior resistência a picos de potência entre equipamentos similares; em uma aplicação banda larga na faixa de 470 – 860 MHz para canais de 6, 7 & 8 MHz.

José Elias, diretor Comercial da IF Telecom afirma que para instalar redes SFN é preciso escolher antenas levando em consideração a cobertura desejada e aspectos de ISI estabelecendo regiões fora de áreas de interesse eventualmente podem ficar com recepção além da banda de guarda

Estes são projetados para todos os tipos de máscaras sem alteração de hardware: ISDB-T, DVB-T, DVB-T2, ATSC pela sua facilidade de ajustes dos filtros sem a necessidade de um especialista (RFS BCATTM software); e serviços de suporte local através da RFS Brasil para OEMs e clientes da América latina.
“Esse ano estamos promovendo a linha de filtros e combinadores, lançada globalmente. Elas proporcionam flexibilidade para as empresas porque funcionam em banda larga e podem ser configuradas em qualquer canal da banda de UHF”, explicou Renato França, diretor de vendas da RFS.
Em um momento em que, segundo França, as emissoras brasileiras ainda vivem uma indecisão com relação ao processo de transição para sinal digital e quais canais ocuparão, “as vantagens da linha da RFS podem ser de muita importância”.

A empresa apresentou, ainda, uma família completa de antenas e linhas de transmissão em banda larga que permitem o ajuste posterior de canais. Assim, “é possível que as emissoras invistam nos sistemas e equipamentos mesmo sem ter a decisão final”.
França destaca que a RFS procura seguir uma filosofia de trabalho que apoia o compartilhamento de infraestrutura pelas emissoras, o que reflete na qualidade dos seus produtos. “A RFS sempre entendeu que o compartilhamento é um caminho viável especialmente em termos de redução de investimento. Aqui no Brasil,a prática ainda não é muito comum, mas em um cenário de switch-offanalógico para daqui a dois anos exigindo que as emissoras pensem em soluções viáveis para a implantação bem-sucedida das transmissões em sinal digital, a filosofia e os produtos da RFS pode surgir como uma saída eficiente e económica”, afirma o executivo.

Renato França, diretor Comercial Broadcast América Latina da RFS, afirma que a escolha do SET EXPO tem a ver com a “visibilidade de nossa empresa e soluções oferecidas ao mercado de broadcast junto aos principais clientes brasileiros e da América do Sul”

Phase

O estande da Phase no SET EXPO 2014 mostrava aos visitantes da feira as várias marcas distribuídas pela empresa no Brasil, que para o diretor regional da Phase, Guilherme Castelo Branco, se associaram com um foco específico: “mostrar que somos uma empresa que sempre inova e está sempre em desenvolvimento”.
Com destaque para Evertz, a grande novidade foi o SDVN (Software Defined Video Network) um sistema de infraestrutura que funciona totalmente em IP. “O que todos fazem é pegar a matriz de vídeo e colocar uma placa de IP. Nós temos essa visão diferente de trabalhar com 100% IP, sem precisar de nenhum cabo SDI, nenhum cabo axial”, explicou Castelo Branco.
O sistema, no entanto, é capaz de fazer conversão de SDI para IP, para o caso de ser preciso interfacear com produtos que trabalham só em SDI.
Em termos de recursos, essa matriz também oferece um leque de opções bem completo para o cliente, afirma o executivo. É possível rotear, fazer multiviewer, trabalhar com playout, sistema de replay e transcode. “Virou IP, nunca mais vira SDI. Você pode trabalhar com sistema IP e interface de 10 Gb de internet. O roteador do sistema funciona como um switcher IP otimizado para vídeo que consegue evitar tanto a latência quanto as perdas de pacote”.
Além disso, Branco garante que as diferenças de uma matriz convencional não tornam o sistema mais complexo: “O sistema de controle é fora da caixa e extremamente amigável e nós ofereceremos também, além do equipamento e do software, instalação personalizada”.
O sistema da Evertz está pronto para a migração para o 4K e já foi adquirido por algumas emissoras brasileiras, entre elas, a ESPN Brasil, que já uso duas dessas matrizes, com 2.300 portas de 10 Gb de internet.

TSL
A TSL Products, que apresentou seus produtos no Pavilhão Britânico, segundo Sérgio Bourguignon, diretor de negócios da empresa, a TSL trabalha com produtos em 5 linhas que atendem a diferentes demandas do setor de broadcast: linhas de gerenciamento de energia, sistemas de controle, monitoração de áudio no ambiente digital, produção e processamento de áudio 5.1 e soluções de áudio e vídeo sobre IP.
Atualmente, os produtos em destaque da empresa são os seguintes, da linha de monitoração de áudio, os monitores PAM2 e PAM PiCo touch. O PAM2 é uma atualização da já existente linha de medidores de Loudnessda marca. Ele conta com conexão SDI para tela externa, monitoração de áudio de vídeos (HD/ SDI) com exibição simultânea de até 16 canais, indicação de Loudness multi-padrão com histograma, função exclusiva “Scroll to hear” e decodificação opcional Dolby de HD/SDI ou AES.
Já o PAM PiCo touch é novidade na empresa. Trata-se de um medidor de áudio e Loudness touchscreen de 7 polegadas com multi-touch que permite que as emissoras testem se seus sinais de áudio são compatíveis com as mais recentes normas. “É como se fosse um tablet capaz de fazer o serviço de monitoramento do sinal de áudio. O aparelho também possui uma saída HDMI para monitor externo. O usuário pode também ligar um mouse USB no PiCo e controlar a tela com um clique como uma alternativa para a operação touchscreen. A unidade também possui uma porta Ethernet e uma saída de fone de ouvido que possibilita que o operador ouça o que está sendo medido”, afirma Bourguignon.
A TSL, no entanto, também tem força com seus produtos de produção de áudio, afirma o responsável da empresa. Nessa linha, o destaque fica com os microfones Soundfield, que contam com LED indicador de ganho, sistema limitador para evitar sobrecarga digital e os recursos End Fire e Invert, que mantêm a perspectiva 3D em som Surround e stereo quando o microfone está na horizontal ou suspenso de cima para baixo, respectivamente.

Alicia Ring e Luis Estrada de Xendata apresentaram no SET EXPO o SXL-5000, arquivamento LTO escalonável de alta performance, desenhado para aplicativos de vídeo.

Xendata
O foco da Xendata esse ano no SET EXPO 2014 foi nas soluções de armazenamento de conteúdo. A linha de equipamentos de armazenamento digital XenData SX-10 traz tanto soluções com biblioteca robótica para LTO como os drives manuais, oferecendo assim opções que focam no custo-benefício do cliente, afirma Luis Estrada, gerente de negócios da XenData.
O novo sistema garante a preservação de conteúdo por até 30 anos, garante o executivo, além de ser usado com um software eficiente e prático que permite que as configurações de armazenamento sejam determinadas pelo usuário administrador. “O sistema de busca de arquivos também aposta em simplicidade, apresentando os arquivos em uma simples estrutura de pasta, funcionando tanto no Windows quanto em Mac”.
Os modelos SX-10 estão disponíveis em diversos tipos de licenças diferentes, contando com opções de bibliotecas de fitas LTO que vão de 25 à 90 slots, podendo armazenar entre cerca de 30 e 108 Tb de conteúdo, dependendo da configuração. “O sistema aposta muito em eficiência econômica. Tem várias formas de armazenamento quando você trabalha com TI ou outras coisas, mas essa é a solução quando trabalha com vídeo”, declarou Luis Estrada.

EiTV
O estande da EiTV apresentava vários produtos interessantes para os visitantes do SET EXPO 2014. Alguns serviços já existentes da empresa, como o EiTV Playout, a solução Closed Caption e o EiTV Middleware, já ofereciam uma gama interessante de serviços. No entanto, a empresa também aproveitou a oportunidade para realizar o lançamento de alguns produtos.
O novo Remux Datacaster da empresa, desenvolvido em parceria com a canadense UBS, coloca em um mesmo aparelho soluções de mux e remux e datacast. “Além de ser um produto mais compacto e que tem todas as funções, o custo dele é mais vantajoso para as emissoras”, afirmou Rodrigo Cascão Araújo, responsável da empresa.
O equipamento trabalha fazendo EPG, Closed Caption, gera tabelas de DSI-SI, tem mux com receptor GPS e saída ASI. Ele também conta com inserção de Ginga através de software complementar que vem com o aparelho. Outro destaque interessante da empresa é o EiTV OTT Solution, um novo encoder dual-service. Em outras palavras, o mesmo encoder pode fazer dois serviços diferentes (HD-One-seg, HD-HD, SD-SD ou da forma como o utilizador preferir). Segundo Araújo, “é uma solução na qual se juntar uma unidade desse encoder e uma unidade do Datacaster, o usuário terá o headend inteiro da emissora”.
Em um momento chave da transição para o sinal digital no Brasil, a EiTV, disse Araújo a reportagem da Revista da SET, “busca ajudar as emissoras nesse processo, oferecendo opções que investem no custo-benefício. Por isso apresentamos o EiTV smartbox, um set-top box e conversor digital híbrido. Além de sintonizar canais digitais de TV aberta em alta definição, o smartbox possui suporte a interatividade que lhe dá acesso a diversos aplicativos interativos transmitidos pelas emissoras”.
Na prática, além de trabalhar com o Ginga, ele transforma a TV convencional em uma Smart TV, possibilitando rodar aplicativos e vídeos on-line. “Já disponível para ser comercializado, o EiTV smartbox vêm em versões com e sem Wi-Fi”.

Nova Grass Valley fez sua estreia na América Latina com os quatro novos modelos LDX com capacidade de câmera lenta 3X e 6X, assim a LDX HiSpeed (LDX HS) e LDX Compact HiSpeed (LDX Compact HS), câmeras que captam imagens até 3X

Por fim, a última grande novidade da empresa é uma nova plataforma de publicação de vídeos na internet. “É como se fosse um You- Tube corporativo onde o cliente tem controle total”, conta Araújo. A plataforma, que se baseia em armazenamento em nuvem, converte automaticamente o conteúdo publicado para diversos formatos que permitem visualização em computadores, smartphones e tablets. O sistema é totalmente customizável e entrega conteúdo HD e pode fazer streaming ao vivo.

Lumatek
A Lumatek, solução em iluminação para gravação com os mais variados fins, como TV, cinema ou fotografia trouxe ao SET EXPO 2014 sua nova linha de painéis LED da linha The Light, uma parceria de distribuição dos produtos da companhia espanhola para Brasil realizada durante 2014.
Da nova linha TheLight, o destaque do diretor Comercial da The Light, Toni Hernandez passa pelos painéis Velvet 1 e Velvet 2. O primeiro é a versão mais portátil. Além de pesar apenas 3,2 kg, as medidas do painel são de 370 mm de comprimento por 308 mm de altura, enquanto a versão maior pesa 6 kg e tem 670 mm por 308 mm. Ambas as versões possuem temperatura da cor ajustável de 3000k até 6000k e têm ângulo de irradiação de 100º. Além disso, os dois Velvet têm expectativa de vida do LED de mais de 50 mil horas, e sistema de refrigeração sem ruído.

O diretor Comercial de The Light, Toni Hernandez afirma que o futuro está na iluminação LED

Outra característica interessante é que ambos são operados e configurados no próprio aparelho, em um display digital e com botões resistentes a choques que permitem o controle de temperatura de cor e intensidade de forma suave e sem oscilação. No entanto, o maior diferencial dessa linha é o certificado IP54, garantindo que os equipamentos sejam a prova de chuva.
Para Hernandez, a maior virtude destes painéis é “a sua capacidade de variação de temperatura de cor, combinada com a obtenção de um elevado índice de reprodução cromática CRI, junto com a elevada eficiência alumínica e a máxima versatilidade em todos os produtos que é resultado da conjunção da investigação em engenharia e a experiência acumulada no âmbito de gravações em todo o mundo onde se utilizam nossos produtos”.
A empresa, segundo Hernandez, ainda deve incorporar à linha os modelos Velvet 4 (com duas vezes mais comprimento que o Velvet 2) e o Velvet 2×2, com o painel quadrado.

UCAN
Trabalhando não só com vendas, mas também com locação de equipamentos, a UCAN é uma empresa especializada em transmissão digital de áudio e vídeo, fornecendo soluções baseadas nas tecnologias da empresa israelense LIVEU. Ela também esteve na Feira de Negócios, SET EXPO 2014, apresentando seus produtos e serviços para os visitantes.

Lucas, Morais, da UCAN, distribuidora oficial da LiveU no Brasil, afirmou que durante a última Copa do Mundo Brasil 2014 foram utilizadas 200 mochilas da LiveU mostrando a importância de este tipo de equipamento para produção ao vivo

“Quando nós trouxemos a tecnologia da LIVEU para o Brasil, nós quebramos com todos os paradigmas possíveis de telecomunicações naquele momento, focando basicamente em transmissão de conteúdo jornalístico factual”, explicou Eldad Eitelberg.
O foco da empresa no momento é o LU500. O equipamento, segundo Eitelberg, vem para suprir a necessidade das emissoras e dos programas jornalísticos de uma unidade móvel de broadcast para links e externas. O LU500 coloca em uma mochila um equipamento que possui na sua versão mais atual 8 modens celulares que fazem uma combinação de 3 operadoras.
“A intenção da LIVEU não é substituir banda ou trabalhar com redundância, mas soma-la, permitindo a transmissão de um sinal de áudio e vídeo com qualidade broadcast, dependendo, é claro, da qualidade e disponibilidade dos sinais das emissoras”, afirma.
A UCAN aposta em toda a qualidade de equipamento fornecida pela LIVEU, sendo a representante exclusiva da empresa israelense no Brasil.
“A LIVEU é uma empresa que aposta em renovação e inovação. Israel têm visto surgir novos engenheiros desenvolvendo soluções para essa área. A tecnologia é empurrada pelas novas gerações”, declarou Eitelberg. Ele ainda ressalta que a ideia da UCAN é focar na locação de equipamentos, viabilizando que as empresas façam o uso de acordo com sua necessidade. De fato, durante a última Copa do Mundo realizada no Brasil foram utilizadas mais de 200 mochilas da LiveU para a cobertura do Mundial.

As exibições de gravações em 8K feitas pela NHK durante a última Copa do Mundo foram uma das grandes atrações do SET EXPO 2014

Eutelsat
Outra empresa que participou do SET EXPO 2014 foi a Eutelsat, companhia operadora satelital líder na Europa e entre as três maiores operadoras do mundo. A Eutelsat foi criada em 1977 como uma organização intergovernamental de países europeus. A filial brasileira tem como objetivo atender os clientes Latino -Americanos e suprir suas necessidades de comunicação com os recursos satelitais.
Na feira, a Eutelsat estava promovendo seus novos satélites a serem colocados em orbita a serviço dos países da América Latina. No ano que vem chega o Eutelsat 8 West B, por exemplo, que trabalhará com banda KU (para DTH) e banda C (para vídeo).
Em 2016, outro satélite da empresa deve chegar: o Eutelsat 65A, que terá como missão trabalhar com três tipos de banda.
Além das bandas C e KU, esse satélite suportará também banda KA, voltada para banda larga.
A Eutelsat ainda adquiriu uma nova órbita para funcionar no Brasil (a posição 69,45). Segundo Rodrigo Campos, diretor geral da Eutelsat, “os esforços da empresa no Brasil crescem porque a demanda de serviços dos três tipos de banda – KU, Ka e C – também está aumentando.
Um dos fatores seria a transmissão de grandes eventos que têm sede no Brasil, como a Copa do Mundo FIFA 2014 e as Olimpíadas do Rio, em 2016”.
Além disso, afirma o executivo, o setor de televisão por assinatura no país tem crescido, junto a quantidade de canais que funcionam em qualidade HD e UHD. “Tudo isso gera muita demanda de banda, então nós próximos anos nós veremos o aumento na necessidade desse serviço e continuaremos trabalhando para poder suprir essas necessidades”, declarou Rodrigo Campos.

Eurotel
Nova no Brasil, a Eurotel também se apresentou com um estande na Feira de Negócios SET EXPO 2014. “Como a empresa é nova aqui, é muito importante mostrar para o mercado que estamos aqui e que somos uma opção”, disse Paloma Soares, engenheira da empresa.
Eurotel está apostando em dois tipos de equipamentos diferentes, mas trabalhando com tecnologia digital em todos eles. O primeiro é uma linha de transmissores de rádio FM até 40 kW com sistema de resfriamento por ar. “Os transmissores FM apostam em parâmetros técnicos de alta qualidade e em uma relação de área de alcance com custo-benefício para atender as demandas dos seus clientes”, afirma Paloma.
O segundo setor é o de transmissão de sinal para TV. “A Eurotel vem trabalhando com um transmissor de TV analógica com refrigeração a líquido que permite um maior desempenho do equipamento. A grande vantagem é que o transmissor é dual-mode e pode trabalhar transmitindo em sinal digital também. Esse deve ser um grande atrativo para as emissoras menores, que atuam em cidades de interior onde as soluções para distribuição de sinal digital ainda estão sendo estudadas e testadas. O equipamento deve ajudar essas emissoras na transição para o sinal digital”.
Soares avaliou que a participação na feira foi muito satisfatória e que é importante ter espaço para mostrar que a Eurotel é uma nova opção de solução para essas demandas.

Rick Fernandez e Marcelino Medina de Blackmagic afirmam que a empresa esta crescendo exponencialmente no Brasil e o objetivo da marca e cada vez ter mais presença no SET EXPO

NTT
Em parceria com a Tecnovideo, a NTT esteve presente no SET EXPO 2014. Leo Castro, engenheiro da empresa afirmou que juntos a um outro setor da NTT, um grupo chamado NTT IT, o estante demonstrou um sistema de streaming de 4K. “A solução total é que do servidor sai o 4K sem compressão por fibra óptica ou 3G e vai até o gateway, que converte o sinal para SDI”.
Isso, porque segundo Castro, “como a NTT IT trabalha com software, a solução exposta é completa”.
No entanto, o estande também dava destaque a dois outros produtos da empresa: encoder e decoders, com foco para os modelos 4310 e 9130, respectivamente. Cada encoder pode fazer dois canais de vídeos, de modo que é possível usar 2 encoders para 4 sinais de 4K. Para a decodificação, podem ser usados 4 decoders.
“Produtos que trabalham com 4K são bem-vindos em um cenário onde as transmissões com essa qualidade começam a ser fazer mais presentes no Brasil. Ainda mais quando eventos como a Copa do Mundo FIFA 2014 e as Olimpíadas do Rio 2016 vêm para incentivar o uso de novas tecnologias em grandes coberturas. A NTT já tem bastante experiência em lidar com 4K, então é importante usarmos esse espaço da feira para mostrarmos o que podemos fazer”, explicou Castro.

Ellan
A Ellan está presente no mercado brasileiro há mais de 30 anos. Desde os anos 70, a linha Dacoline é produzida no Brasil, e ao passar dos anos muitas linhas foram adicionadas ao portfólio. Este ano, a Ellan esteve no SET EXPO 2014 demonstrando alguns de seus produtos voltados para o mercado do broadcast.
No estande da empresa era possível encontrar móveis pensados especificamente para o uso em broadcast, como é o caso da linha Dawos, que foi reformulada. Com um canal de cabos amplo, a linha recebeu um perfil de fixação de suportes, prateleiras ou slat walls integrados à mesa.
Este perfil permite que os monitores sejam deslocados lateralmente sem serem suportados com as mãos.
As mesas podem ser reconfiguradas com muita facilidade.
Havia também no espaço da Ellan mesas com ajustes por molas. O sistema de molas que foi fruto de uma parceria com a empresa americana Ergotron permite que ajustes de altura na mesa sejam feitos de forma fácil e rápida, sem muito esforço.
Segundo o diretor técnico comercial, Juraci Nardini, elas conseguem lidar bem com peso, suportando monitores, monitores de retorno em estúdios de TV, teclados e quaisquer outros equipamentos que possam vir a ser necessários Outro destaque foi a linha Tradesk de mesas e consoles. As mesas podem ser reconfiguradas com muita facilidade, além de possuir cablagens espaçosas que devem permitir acomodar uma boa quantidade de cabos. As Ilhas Tradesk, apresentadas no evento da SET, contam com tampos de altura ajustável eletricamente. Independente do modelo, a grande vantagem dos móveis da Ellan é que eles são criados adaptados para as principais necessidades dos clientes da empresa.

VSN
A companhia espanhola se apresentou no estande da Vídeo System, a sua distribuidora local. No estande, a empresa apresentou as ultima implantações realizadas no país que incluem emissoras como Canção Nova, Fish TV; Rede Minas, Rede Massa, TVE da Bahía e TVE de Porto Alegre.
Na exposição os principais produtos em destaque foram as novidades de sua completa suite de soluções entre elas, se destacam o MCR Automation & Distribution, e o News & Live Production.
Além disso, apresentou rodutos como o VSNMULTICOM, automatização de estúdio com mais de 20 anos de êxitos, o VSNEXPLORER, o PAM, MAM & BPM de VSN, que foram adquiridos por mais de 10 canais de televisão no país.
O VSNEXPLORER é uma ferramenta de gestão de toda a plataforma Spider e as suas aplicações VSNWORKFLOW MANAGER, VSNSTORAGE MANAGER, VSNARCHIVE etc.).
Foi desenvolvido em HTLM5, em entorno web com o qual é possível gerir os diferentes assets, as suas representações e as suas instâncias de vídeo, assim como os armazenamentos onde são colocados.