• PT
  • EN
  • ES

SET credencia maior delegação para a NAB

Até o fechamento dessa edição, 450 pro- fissionais brasileiros haviam sido inscritos como delegados pela SET na NAB. O número motivou um e-mail da vice-presidente da NAB, Margaret T. Cassilly, enviado no dia 12 de março, no qual ela parabeniza a SET por ter sido a liderança que maior número de delegados havia inscrito até aquele momento no mundo inteiro. A estimativa era a de que 500 profissionais brasileiros seriam credenciados pela SET. A participação total dos brasileiros de superar 1.200 pessoas.

SET e trinta 2010
O tradicional evento SET e Trinta, que a SET promove durante a NAB, também tem tudo para ser um grande sucesso, porque já contabilizava 300 profissionais inscritos até o fechamento desta edição. Desde sua origem, a SET trilhou caminhos expressivos em radiodifusão. Fato que lhe rendeu o reconhecimento de entidades internacionais, como SMPTE, EBU, ARIB, ATSC, DVB. Mas nos eventos realizados pela NAB que a SET têm demonstrado, para o mundo, as tendências e experiências sobre tecnologias digitais a partir do Brasil.

SET completa 22 anos
Fundada em 1988 em cerimônia realizada no Hotel Sheraton, no Rio de Janeiro, a SET completa 22 anos no dia 25 de março. Uma história permeada pelo sucesso de eventos regionais, nacionais e internacionais. Em pouco mais de duas décadas, a SET tem municiado debates e estudos que influem nos serviços ligados à televisão, telecomunicações, rádio e multimídia.
Tudo começou com o projeto ambicioso de Adilson Pontes Malta, criador do Projac, que presidiu a Sociedade entre 88 e 92. O princípio norteador da entidade era criar um ponto de confluência entre engenheiros, técnicos e fabricantes de equipamentos, para possibilitar maior diálogo e troca de idéias entre redes, emissoras e produtoras. A necessidade pela adoção do sistema de vídeo NTSC endossou a formação da SET.

Carlos Capelão acompanhou de perto todos os desdobramentos da sociedade no início da década de 90, assumindo a presidência entre 1992 a 1994. Nessa época, teve fundamental importância Jayme de Barros, que o ajudava na organização dos seminários e congressos.

A gestão da SET, ente 1994 a 1996, ficou a cargo de Fernando Bittencourt, período que se destacou pelo estreitamento de grupos de estudo da SET sobre TV digital e a ABERT. É quando surgiram discussões sobre o modelo ideal para TV digital no Brasil. O grupo SET/ABERT sistematizou os estudos sobre digitalização, levando as discussões para fora do país por meio do SET e Trinta.

José Munhoz assumiu o mandato seguinte, que durou até 1998. A diretoria regional Norte-Nordeste se desmembra em duas, para atender necessidades específicas de cada região. Os seminários regionais tornam-se frequentes e a TV digital tem sua primeira demonstração em Brasília. Forma-se o SET/Mackenzie, que produziu o maior acervo de conteúdo sobre o conceito de TV digital.

Entre 98 a 2002, a SET foi presidida por Olimpio Franco, que durante duas gestões promoveu uma modernização da Sociedade, fortalecendo as diretorias e eventos regionais. A digitalização da TV dá um salto significativo no Brasil. A parceria entre o Mackenzie e a entidade se consolida, e deste acordo saem os testes com os padrões existentes no mundo, que serviram de base para relatórios técnicos que são referências mundiais.

Com a saída de Olimpio, assume Roberto Franco, que permanece à frente da Sociedade até 2008. Nesse ínterim se verifica a aproximação da SET com o pesquisador brasileiro e a academia. Com a definição do padrão para TV digital, consuma-se a implantação do ISDB-TB. Nesse sentido, a SET desempenha papel decisivo para a determinação das especificações adequadas.

Atualmente, na gestão de Liliana Nakonechnyj, o modelo digital atravessa um processo de aperfeiçoamento, tornando-o paradigma em todo mundo. O ISDB-TB foi incorporado por países latino-americanos: sua tecnologia privilegia movimento com alta definição e é estudada em outros continentes.

Inatel realiza curso na SET
O Inatel realiza ao longo do mês de março o especial tV digital. São sete cursos de curta duração realizados nas dependências da SET, em São Paulo, por conta de uma parceira firmada entre as duas entidades. Os temas são voltados para o Segmento de TI, para profissionais técnicos, analistas, engenheiros e administradores. O professor Anderson Fagiane (foto) ministra aulas sobre TV digital no Inatel. O cursos oferecidos são: TV digital, Introdução à linguagem NCL LUA, Desenvolvendo aplicações Ginga para TV digital Interativa, Interface de vídeo, Visão geral dos sistemas dos padrões para sistema de TV digital, Sistemas de distribuição de TV – Visão geral, Redes de CATV – Canal de retorno.”É uma época que exige da SET e de sua diretoria muitos esforços para realização do tradicional SET e Trinta, envolvendo aspectos estratégicos, comerciais e de busca constante de bons palestrantes e conteúdos interessantes para os nossos associados”, acentua o vice-presidente da SET, Olimpio José Franco.

De sua parte, o diretor de Tecnologia da SET, Raymundo Barros, acredita que “o evento continua sendo um palco privilegiado para que as indústrias se encontre com grandes personagens do cenário tecnológico em radiodifusão”.

*Raphael é reporter da revista da Set – raphael@embrasec.com.br

Revista da SET
  ANO XXI – N.113 – MAR/ABR 2010