• PT
  • EN
  • ES

Fernando Bittencourt é condecorado pelo Império japonês

 

Fernando Bittencourt recebeu no Japão a “The Order of the Rising Sun, Gold Rays with Neck Ribbon”.

O diretor geral de engenheira da TV Globo recebeu a comenda da “Ordem do Sol Nascente” no “Autumn Conferment of Decorations on Foreign Nationals 2013”, no Japão, constituindo-se no primeiro sul-americano a receber esta condecoração.

nº 138 – Novembro 2013

Por Fernando Moura

Reportagem – Condecoração

Este prêmio “de alguma forma é o reconhecimento do trabalho de muitos colegas que comigo participaram da “saga” que foi a decisão do padrão brasileiro de TV Digital” disse Bittencourt à Revista da SET..

OImperador do Japão há alguns anos atribui condecorações a estrangeiros por seu trabalho destacado em investigação e desenvolvimento. Assim, Fernando Bittencourt recebeu a condecoração das mãos do ministro de Assuntos Internos e Comunicações do Japão, Yoshitaka Shindo, pela sua “contribuição para o avanço do sistema de TV Digital desenvolvido no Japão” e por “promover a compreensão mútua entre Japão e Brasil”.

O “The Order of the Rising Sun, Gold Rays with Neck Ribbon” que foi entregue a Bittencourt, conselheiro e ex-presidente da SET, é atribuído pelo Imperador do Japão por intermédio do Ministério dos Negócios Estrangeiros aos “indivíduos ou grupos que tenham contribuído de forma notável para a amizade e compreensão mútua entre o Japão e seus países”.
Na entrega das condecorações o ministro japonês disse que essa foi a primeira vez que se entrega uma condecoração em TI a alguém vindo da América Latina, e que a contribuição de Fernando Bittencourt foi decisiva para a “expansão internacional do ISDB- T, que conta agora com 15 países em todo o mundo. Sem o esforço e paixão de Bittencourt o Brasil não poderia ter adotado o ISDB –T”.

Para Shindo, “a importância do mundo em desenvolvimento, com sua gigantesca escala, abre a porta para parcerias tecnológicas que antes não podiam ir adiante, por limitações de mercado. No caso de Brasil e Japão talvez não haja melhor exemplo que a TV Digital. Criado no Japão, o padrão ISDB-T (Integrated Services Digital Broadcasting- Terrestrial) foi complementado com o advento do middleware Ginga, e o que já era bom ficou ainda melhor! O esforço de adaptação às características locais permitiu que o sistema fosse amplamente adotado na América Latina”.

Fernando Bittencourt junto ao Ministro de Assuntos Internos e Comunicações do Japão, Yoshitaka Shindo, após a condecoração..

Para o ministro nipônico, “não poderia ser mais feliz a decisão do governo japonês de conceder a “Ordem do Sol Nascente” ao diretor de engenharia da TV Globo, Fernando Bittencourt. Seu trabalho, tanto no processo de escolha do ISDB-T pelo Brasil, como na subsequente expansão internacional do sistema, sintetiza o espírito da parceria a que Brasil e Japão se propuseram em 2006. O entendimento entre os governos é da maior importância, mas sem as pessoas, as parcerias não avançam. Hoje, lembramos a parceria Brasil-Japão, mas saudamos, sobretudo, o trabalho de uma grande personalidade”.
Segundo ele, Bittencourt irá desempenhar um papel ativo em vários campos no futuro. “Especialmente no desenvolvimento do 4K e 8K” e continuará a “contribuir” na “relação entre o Japão e o Brasil”.

Fernando Bittencourt mostra a representantes do Governo Japonês imagens do Carnaval do Rio de Janeiro realizadas pela TV Globo.

BITTENCOURT:

“O 4K é a evolução natural da televisão”.

Após a condecoração no Japão e de regresso ao Rio de Janeiro, Fernando Mattoso Bittencourt Filho conversou com a Revista da SET. Realizou uma análise da situação atual da TV aberta no Brasil, disse não acreditar no switch-off em 2015, e explicou os motivos que levaram o Japão a entregar a ele um prêmio tão importante.

O ex-presidente da SET, Fernando Bittencourt recebeu a condecoração pela sua “contribuição para o avanço do sistema de TV Digital desenvolvido no Japão” e por “promover a compreensão mútua entre Japão e Brasil”.

Fernando Bittencourt é diretor geral de engenharia da TV Globo e membro do Conselho de Ex-Presidentes da SET. Formou-se em engenharia eletrônica pela UFRJ ( Universidade Federal do Rio de Janeiro). A partir de 1994, atuou como coordenador do Grupo SET/ABERT criado pela ABERT (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão ) e SET para estudar e planejar a implantação da TV Digital no Brasil.
Foi Conselheiro titular do Conselho de Comunicação Social do Senado Federal como engenheiro com notório conhecimento na área de comunicação social. Na atualidade, faz parte do Conselho Deliberativo do Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital, e é membro ainda do IEEE, IBC e do SMPTE. A seguir, as principais revelações da entrevista com Fernando Bittencourt:

Revista da SET: O senhor foi a primeira pessoa da América Latina a receber um prêmio deste tipo. Qual a sensação e o que isso implica na sua carreira profissional?
Fernando Bittencourt: É verdade, fui o primeiro da América Latina! Fiquei muito feliz, claro! É da cultura do povo japonês o reconhecimento. De alguma forma é o reconhecimento do trabalho de muitos colegas que comigo participaram da “saga” que foi a decisão do padrão brasileiro de TV Digital. Passados 7 anos da assinatura do decreto pelo Presidente Luís Inácio Lula Da Silva [No dia 29 de junho de 2006, em Brasília, foi realizada uma cerimônia no Palácio do Planalto para assinalar a assinatura de decreto sobre a implantação do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre, e assinatura do Termo do Acordo Tecnológico entre os governos do Brasil e Japão], temos a certeza de que valeu a pena os quase 10 anos de trabalho.

Revista da SET:
O senhor recebeu, segundo o Governo Japonês, a condecoração pela sua “contribuição para o avanço do sistema de TV Digital desenvolvido no Japão” e por “promover a compreensão mútua entre Japão e Brasil”. O ISDB-T já está em 16 países, como observa a evolução do sistema e quais podem ser os benefícios para o Brasil?
Fernando Bittencourt: A escolha da tecnologia para um sistema de TV aberta que afeta milhões de pessoas e centenas de empresas, inevitavelmente aproxima os países e suas culturas.
Ainda mais que essa escolha foi expandida para toda a América do Sul, e agora até em alguns outros países da América Central e África. Mas nestes países ela só aconteceu porque o Brasil decidiu primeiro e o governo japonês sabe disso.
Hoje temos o melhor sistema de TV Digital do mundo e isso é um fantástico fator para o fortalecimento da TV aberta no Brasil e nos países que o seguiram. Ainda, como o sistema foi implementado com inovações propostas por nós no Brasil, a aproximação dos países que o adotaram também foi para nós.

Revista da SET: Segundo o governo japonês, o senhor teve um papel ativo em vários campos. “Especialmente no desenvolvimento do 4K e 8K” e continuará a “contribuir” na “relação entre o Japão e o Brasil”. Como vê a evolução do 4K no país?
Fernando Bittencourt: O 4K é a evolução natural da televisão, à medida que a tecnologia esteja disponível. O grande desafio para a TV Aberta é fazer chegar essa qualidade nas casas das pessoas.
Foi viável a transição da TV analógica para a atual TV Digital porque tínhamos espectro para isso.
Agora para a próxima transição a situação não será tão cômoda, mas acho que temos, junto com os órgãos dos governos responsáveis, que achar uma solução. Caso contrário, vamos condenar aqueles que só têm acesso à TV aberta a ficarem sem acesso às novas tecnologias.

Revista da SET: Sendo assim, o 4K é o primeiro passo para o 8K ou esse é um sonho japonês?
Fernando Bittencourt: Acho que não é sonho. A dúvida é quando a tecnologia 8k estará economicamente acessível. Há 10 anos muitos achavam que nunca teríamos HD. Hoje já discutimos a introdução do 4K.

Revista da SET: Estamos no caminho do switch-off, como o senhor está vendo o desenvolvimento do processo e que está fazendo a Rede Globo para chegar junto às suas afiliadas à 2015?
Fernando Bittencourt: Não acredito que em 2015 será possível fazer o switch-off em nenhuma cidade, mas ele acontecerá evidentemente em um futuro próximo. Nós e nossas afiliadas estamos investindo fortemente para estarmos com 70% de cobertura na Copa do Mundo de 2014. Já estamos trabalhando em como viabilizar a cobertura dos 30% restantes nos anos que se seguirão.

PARTICIPAÇÃO NA SET:
Presidente: (1994-1996)
Conselho de Ex-Presidentes: (2004-2014)
Diretor de TV Aberta: (2004-2008)
Vice Diretor de Tecnologia: (2002-2004)
Diretor de TV Aberta: (2000-2002)
Primeiro Vice-Presidente: (1998-2000)
Vice-Presidente de Broadcasting: (1996-1998)
Primeiro Vice-Presidente: (1992-1994)
Diretor Técnico: (1990-1992)
Conselho Técnico: (1988-1990)
SET Regional: Sul 1997
SET na NAB: 2008 – 2006 – 2005 – 2001 a1991
SET Congresso: 2013 a 1992