• PT
  • EN
  • ES

Evento serve de laboratório para testes com tecnologia 4K

A FIFA, em parceria com a Sony, realizou durante a Copa das Confederações 2013 testes de produção ao vivo em 4K, os primeiros do gênero no mundo e com bons resultados, segundo os seus responsáveis. A Revista da SET esteve no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG), para conferir de perto estes testes.

Nº 134 – Julho 2013

Por Fernando Moura

REPORTAGEM

As F55 precisaram trabalhar com shutter ativado em 1/125 para ter um bom rendimento de luz nos primeiros instantes do jogo entre Brasil e Uruguai, na primeira semifinal da Copa das Confederações já que nos primeiros momentos do jogo o estádio ainda estava com sol e sombras no gramado e a luz artificial começava a ser ligada

Na edição 2013 da Copa das Confederações realizada no Brasil, a TV FIFA em parceria com a Sony, patrocinador oficial do evento, produziu experimentalmente durante o campeonato três jogos com tecnologia 4K para testar a realização ao vivo das partidas na sede da HBS (Host Broadcast Services, empresa criada pela Fifa) instalada no Estádio Governador Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão, em Belo Horizonte, Minas Gerais. O primeiro passo pensando na transmissão ao vivo de alguns jogos em 4K no próximo mundial de futebol. A Revista da SET esteve presente no terceiro jogo realizado no dia 26 de junho de 2013, às 16h, entre Brasil e Uruguai pelas semifinais da competição. Antes tinham sido realizados outros dois jogos da fase de grupos que aconteceram às 16h nos dias 17 e 22 de junho, com o Taiti enfrentando a Nigéria e o Japão encarando o México, respectivamente.
Os testes foram feitos no Mineirão porque nas suas instalações se estabeleceu o Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC, na sigla em inglês) na Copa das Confederações 2013 e desde lá foi transmitido o sinal internacional para emissoras de mais de 200 países que adquiriram direitos de mídia da FIFA. Ainda ali foi realizado o Controle de Qualidade de Produção da HBS para a realização dos jogos.
Para a realização dos testes de gravação e produção ao vivo de conteúdos 4K em tempo real, foram usadas sete câmeras Sony 4K PMW-F55, câmera da linha CineAlta 4K. O teste foi coordenado por uma equipe de profissionais da Sony vindos do Japão, com operadores europeus e um caminhão de externa britânico.
A visita foi propiciada e dirigida por Luiz Padilha, diretor de marketing e vendas da área profissional da Sony Brasil, para quem os testes foram um êxito. “Penso que com eles mostramos que a tecnologia está pronta e podemos avançar para a transmissão”, disse Padilha em entrevista à Revista da SET no recinto destinado às unidades móveis da HBS no Estádio do Mineirão.
“Ainda é cedo para realizar avaliações, mas recebemos broadcasters do mundo inteiro em Belo Horizonte e o feedback deles com respeito à estrutura montada para captação em 4K tem sido muito positivo. Há uma série de clientes que teriam aplicações de captação ao vivo em 4K muito diferentes e que poderiam aproveitar a expertise da Sony para avançar com projetos neste novo sistema”, disse Padilha, para quem a “sensação é muito boa. Claro que destes testes virão uma série de contribuições e pontos de vista de operação técnica que darão aos nossos técnicos ajudas importantes para melhorar um produto que esperamos que esteja disponível até o final de 2013”.

A Câmera master (número 1) no plano de câmera da Sony esteve equipada com uma lente Fujinon Mount 24- 180 mm T2.6 que precisou de um sistema especial para ter opções de foco e zoom eletrônico

Para Padilha, está na hora dos broadcasters entenderem que o 4K já não é só uma tecnologia para cinema ou para captação de produções documentais ou ficção, mas sim pode ser utilizado para a captação ao vivo. “O 4K vai explodir na televisão em muito pouco tempo. Na Sony vemos que a indústria do consumo vai fazer com que o 4K se instale porque já é viável ter TVs 4K a preços acessíveis, o que fará com que a demanda de conteúdos em 4K aumente”.
Carlos Paschoal, gerente geral de marketing da Sony Brasil, reforçou as palavras de Padilha. “Este é o nosso grande teste para viabilizar o 4K ao vivo, queremos no ano que vem trazer a Copa do Mundo para dentro da casa dos brasileiros, com toda a tecnologia 4K possível”, afirmou.
Para o diretor de TV da FIFA, Niclas Ericson, a Copa das Confederações foi uma oportunidade perfeita para testar novos métodos de tecnologia e produção em 4K. “Estamos ansiosos para ver como este torneio ajudará a moldar o futuro das transmissões esportivas”, comentou.
Para Ericson, o importante destes testes é o acervo de imagens, já que, segundo ele, a tecnologia 4K permite que as empresas de radiodifusão capturem imagens com definição de altíssima qualidade. Os conteúdos podem ser armazenados e usados de forma a atingir todo o seu potencial nos próximos anos, quando os aparelhos de televisão vendidos nos mercados de consumo estiverem em conformidade com a última geração tecnológica.

A Câmera de curtos (Câmera 2), que foi usada para a realização de planos curtos, contou com uma lente PL Mount 75-400 mm T2.8 – T3.8 35 mm

Em comunicado, a HBS afirmou que o “novo equipamento foi testado, o pessoal foi treinado e conceitos de produção foram implementados. A produção 4K foi rigorosamente testada em Belo Horizonte”, e “pode desempenhar um papel inestimável para ajudar a FIFA, a HBS e outros interessados na preparação para a Copa de 2014”.
Para a HBS, o mais importante dos testes é que a tecnologia 4K vai permitir que, em casa, os telespectadores possam ter “uma imagem verdadeiramente imersiva” que permite mostrar “vários níveis de primeiro plano e fundo, colocando os jogadores e objetos do campo em diferentes níveis de relevo”.

No comunicado, a HBS reconhece que os testes foram positivos mas que “ainda não está determinado se a produção 4K será implementada no Copa do Mundo de 2014. A produção 4K de eventos esportivos ao vivo ainda está em seus estágios iniciais e uma série de problemas logísticos continuam a ser discutidos” e devem ser resolvidos. Assim, todos os envolvidos no projeto estão “extremamente impressionados com o rápido desenvolvimento da tecnologia e produção associada” a ela. No Mineirão, os engenheiros da Sony, os responsáveis da TV FIFA e alguns dos engenheiros da TV Bandeirantes e TV Globo consultados pela reportagem da Revista da SET coincidiram em dizer que daqui para frente o maior desafio é determinar como será realizada a transmissão do sinal e sua posterior distribuição, para o qual será preciso definir uma série de coisas que não tem a ver só com a questão tecnológica, mas também com decisões políticas e estruturais no país e no mundo que regulem este tipo de transmissão de sinal.

As posições 5 e 6 do estádio situadas, aproximadamente, a 6 metros de altura na arquibancada do Mineirão a diferença das câmera 1 e 2 utilizaram lentes HD de TV. Neste caso foram utilizadas objetivas Fujinon XA99×8.4BESM DIGIPOWER 99 Premium Field Lens 99x zoom lançadas em abril, na última NAB

F55, a estrela do Mineirão
O equipamento escolhido pela Sony para a realização do teste foi a câmera F55, que possui um sensor CMOS de formato nativo 4K incluindo um obturador global para eliminar efeitos enviesados de rolamento de obturador e segmentação de flash, entregando vasta gama de cores fiéis para reprodução de cor verdadeira. A câmera possibilita ainda ampla exposição de latitude (14 stops), de alta sensibilidade e baixo ruído.
Com gravação em formato Super 35mm, com uma resolução nativa de 4096×2160 (11,6 milhões de pixels, 8.9 milhões efetivos). No teste, foi utilizado o codec XAVC 4K (QFHD) 4:2:2, com um bit rate até 30 fps de 300 Mbps, e compressão MPEG-4 AVC/H.264, apresentado em abril na NAB 2013.

Operador de câmera da HBS testa o equipamento horas antes da realização do terceiro teste de captação 4K no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte

Este novo codec suporta resoluções de 4K (3840×2160), HD e proxy segundo a necessidade do produtor e a circunstância na qual esteja sendo utilizada a câmera de CineAlta, em uma compressão de MPEG-4 e já não o MXF utilizado nas câmeras profissionais.
Isso porque as câmeras de CineAlta oferecem suporte de multi-codec que permitem gravações feitas diretamente em cartões SxS, modelo SxS PRO+ (Plus) para gravações na F55 em 4K a 60p:422 10-bit XAVC e HD:422 10-bit XAVC em alta taxa de quadros.
Ainda, para as F55 poderem transmitir ao vivo foi colocado na sua parte posterior o adaptador CA-4000, um adaptador de transmissão 4K através de fibra, especialmente desenhado pela Sony para a utilização desta câmera de CineAlta em transmissões ao vivo.
Este adaptador permite a captura de imagens ao vivo em 4K provenientes da câmera com formato 35mm através do sensor CMOS 4K transformando este dispositivo e seu High Frame Rate (HFR), emitindo 4 sinais HD simultaneamente para o caminhão de externas.

Para Luiz Padilha, diretor de marketing e vendas da área profissional da Sony Brasil, a tecnologia 4K esta pronta para produções ao vivo e a Copa de 2014 pode ser uma excelente amostra dessa capacidade

Segundo explicou à Revista da SET, Julio Lam, gerente sênior de marketing da Sony América Latina, da divisão de soluções profissionais, este “adaptador permite transmissão através de fibra em 4K até 2.000 m de distância sempre com cabos de fibra padrão SMPTE (Society of Motion Picture and Television Engineers). Este adaptador é fundamental para transformar a câmera em um dispositivo de captura em eventos ao vivo”, disse.
Ainda, segundo informaram os responsáveis da Sony no Mineirão, é possível ligar a F55 a um monitor de LCD 4K, de 30 polegadas, o PVM-X300 usando interfaces 3G/ SDI em resolução 4096×2160 para monitoramento ao vivo de até 60p durante as gravações XAVC 4K, assim como reproduzir imagens XAVC 4K. Da mesma forma, também é possível conectá-la diretamente à TV de LED BRAVIA 4K de 84 polegadas para monitoramento das imagens da câmera em 60p 4K (em resolução redimensionada horizontal de 3840 pixels).
Para que os cinegrafistas, vindos especialmente de diferentes partes do mundo, pudessem operar com maior facilidade as F55, as câmeras foram montadas com Viewfinder Full HD DVF-L700. Este compacto viewfinder de LCD de 7 polegadas permite alta resolução ao filmar em 2K e 4K, com representação de imagens em HD de 1920×1080 nos quais ainda foi definido uma margem de segurança para melhor resultado nos enquadramentos. Se bem o formato 4K trabalha em 16:9, os técnicos japoneses da Sony preferem ter uma margem de segurança no viewfinder para ter mais tranquilidade na hora em que os operadores de câmera realizam os enquadramentos.
Isso porque, como explicou Kajita Hiroshi, engenheiro da Sony Japão, responsável pelos testes realizados em Belo Horizonte, “ainda não está definido o padrão de enquadramento e a margem de segurança (safe area) e por isso é necessário colocar marcas para testar o melhor sistema de segurança”.

Plano de câmeras
Para os testes, a Sony e a FIFA decidiram utilizar apenas 9 câmeras, das quais sete foram F55 e duas HD com up- -converter, todas conectadas através de fibra óptica, ao caminhão de externa.
As objetivas, então, variaram segundo a posição das câmeras entre soluções de alta performance ENG para câmeras de 2/3 polegadas, e as Premier PL Mount 4K+, quase todas novidades apresentadas pela Fujinon na última edição da NAB, em Las Vegas. Para as primeiras, foi necessário ajustar as objetivas tradicionais de 2/3 para câmeras 4K com seu sensor full-frame, e as PL Mounts precisaram, ainda, de um sistema especial para ter opções de foco e zoom eletrônico.
O plano de câmeras da FIFA para estes testes experimentou diferentes tipos de objetivas nas posições escolhidas dentro do Estádio do Mineirão. Assim, foram colocadas nas duas principais posições de realização do jogo, a câmeras a master (câmera 1) e a de curtos (câmera 2) lentes de 35 mm até agora utilizadas em cinema digital. Na câmera 1 foi montada uma lente PL Mount 24-180 mm T2.6 , e na 2 uma PL Mount 75-400 mm T2.8 – T3.8.
Essas lentes contam com um anel de ouro que gera uma grande versatilidade de desempenho de seu foco, íris, zoom, cor e contraste. Sua excelente resolução e MTF uniforme trabalham com grande sistema de iluminação em toda a extensão da sua imagem e distâncias focais. Os sistemas de foco, zoom e iris estão na mesma posição nas duas lentes, o que permite a fácil mudança de lentes se for necessário.

A objetiva Fujinon Cabrio 85-300 foi utilizada pela Sony para a câmera 3 colocada no gramado. Esta foi uma das novidades da marca na última NAB 2013

Para esses testes foi utilizado o processador Sony MPU4000, que permite que as objetivas cinematográficas da Fujinon sejam conectadas às câmeras de CineAlta e transmitam o sinal até a unidade móvel. Mas, segundo explicaram os engenheiros da Sony, este processador ainda não é compatível com todas as lentes 2/3 polegadas existentes no mercado, além de que ainda existem algumas imperfeições de lente que diminuem a qualidade do dispositivo quando se utiliza uma objetiva cinematográfica.
Segundo Kajita Hiroshi, essas objetivas são excelentes e se adaptam perfeitamente a este tipo de trabalho, mas é preciso aperfeiçoar ainda mais o sistema. “Com elas obtivemos resultados fantásticos. A qualidade de imagem é incrível e como as distâncias focais são de primeiro nível, a câmera se adapta perfeitamente aos movimentos exigidos para a realização de um evento ao vivo deste porte”, disse Hiroshi à Revista da SET durante a preparação do equipamento que ia ser testado pela terceira vez na capital mineira.
“Nas duas primeiras emissões aprendemos muito. Experimentamos e testamos equipamentos, a ideia é hoje aperfeiçoar os procedimentos para assim fazer uma excelente transmissão. Daqui para frente o nosso objetivo é definir o padrão e avançar com a transmissão ao vivo de eventos esportivos em 4K”, explicou Hiroshi.

A parte posterior da câmera F55, onde esta afixado o viewfinder é o adaptador CA-4000 que permite o saída através de fibra óptica do sinal 4K da câmera

A câmera 3 trabalhou com uma objetiva Premier PL 85-300 Cabrio (modelo ZK3.5×85) de montagem PL; e as posições 4 (câmera Sony HD), 5 e 6, com objetivas para produção em campo XA99x8.4 UltraWide, uma das soluções para esportes mais relevantes apresentadas pela marca japonesa na NAB 2013.
Assim, com uma distância focal de 85-220 mm em T2.9 e 300 mm em T4.0, com 200 graus de rotação de focagem, a PL 85-300 esteve equipada com a aba de ajuste de distância focal, um MOD de 1,2 m, função macro para objetos a uma distância mínima limite de 97 milímetros (3,8 polegadas), cobrindo um sensor de 31,5 milímetros de diagonal.
A objetiva XA99x UltraWide, segundo os responsáveis da divisão de produtos profissionais e broadcast da Fuji- Film, é ideal para a cobertura ao vivo de grandes eventos esportivos. Essa objetiva de grande alcance foi lançada em Las Vegas com um upgrade da tecnologia de assistência de precisão do foco, a Precision Focus Assist (PF), a maior novidade do modelo.

Viewfinder Full HD DVF-L700 com margem de segurança. Se bem o 4K é 16:9 os técnicos japoneses da Sony preferem ter uma margem de segurança nos viewfinder para ter mais tranquilidade na hora em que os operadores de câmera realizam os enquadramentos

Com um zoom 99x, a XA99x UltraWide possui uma amplitude de focagem de 8.4 até 832 mm, e MOD de 2,9 m. Trabalha com a integração de um estabilizador de imagem recentemente desenvolvido pela marca que segundo os responsáveis da FujiFilm é fundamental para produção HD à longa-distância e com movimentos rápidos como os que acontecem em eventos esportivos.
As posições 8 e 9, ambas 4K, trabalharam com lentes PL 19-90mm Cabrio, modelo ZK4.7×19, também apresentadas na NAB 2013, que chegaram ao mercado com peso e tamanho semelhante a uma das suas antecessoras, mas com maior distância focal.

Caminhão de externas
O caminhão de externas vindo especialmente da Inglaterra esteve equipado com a melhor tecnologia do mercado, sendo a primeira unidade móvel de produção construída especificamente para fazer captação em 4K, e que pode ser utilizada, também, como unidade móvel HD e 3D.
O sinal captado pelas câmeras F55 é transportado até a unidade móvel através de cabos de fibra óptica. Assim, o sinal 4K RAW emitido pela câmera é enviado através de uma unidade de processamento que o divide em quatro sinais HD que podem ser transportados através de sinais 3Gb separados. Ele também permite que as unidades de controle da câmera instaladas no caminhão possam controlar o equipamento como se este realizasse captação em HD e, desta forma, os operadores de vídeo (CCU – Unidade de controle de câmera) possam realizar acompanhamento de foco e zoom como se estivessem realizando uma transmissão em HD.
Para isso ser possível, o encaminhamento do sinal foi feito com o roteador Miranda que traz à unidade móvel quatro sinais HD, com mais de 3 Gbps cada sinal HD. Desta forma, “quando os sinais passam para o EVS ou gravadores SR, eles ocupam quatro conectores BNC”, comentou Hiroshi.
Ainda, os testes foram realizados com um switcher MVS-8000X, monitores PVM-X300, e um deck de gravação SR-R1000, todos equipamentos da Sony. O switcher conta com um sistema de 2 M/E (quatro keyers por M/E para um total de oito, com um total de quatro resizers), com processadores que tomam um total de 10 RU e suportam até 164 entradas, por exemplo. Outra diferença importante é que eles suportam conexão 3G e produção estereoscópicas necessárias para este tipo de trabalho.
O sistema de replay foi realizado com o novo sistema da EVS apresentado na última NAB 2013. O novo EVS 4K Live Slow-Motion Replay System é o primeiro sistema de replay do mundo em 4K/UltraHD. Baseado no servidor de produção XT-3, este EVS 4K fez nos testes o ingest de 4 feeds 3G-SDI em simultâneo enquanto reproduziu outros 4 feeds 3G-SDI permitindo o replay instantâneo de vídeo em 4K, o que é equivalente a 16 canais em HD ao vivo para garantir suporte ao vivo de oito milhões de pixels a 50 ou 59,94 frames por segundo.

O FIFA TV 4K Event Test realizado no Estádio Mineirão onde alguns privilegiados puderem tomar contato com as primeiras imagens 4K captadas ao vivo pela equipe da Sony

Como na demonstração feita pelos engenheiros da EVS na NAB 2013, no caminhão onde foram feitos os testes em 4K dos jogos da Copa das Confederações, foi utilizado um único canal de entrada e saída comutável entre as diferentes câmeras utilizadas.
O servidor 4K XT3 instalado na unidade móvel foi controlado através do painel EVS’LSM, o que permitirá aos usuários atuais do sistema operar o novo servidor sem necessidade adicional de treinamentos.
James Stellpflug, vice-presidente de produtos esportivos da EVS para América, explicou à Revista da SET em entrevista realizada desde os Estados Unidos, que este servidor é uma “primeira versão do equipamento” que certamente “será melhorada no futuro” a medida que se desenvolvam os testes e o equipamento seja utilizado nas produções.
Para Stellpflug, a possibilidade de produção ao vivo em 4K ser completa é o mais importante benefício do sistema, já que com esta solução, “além de receber o sinal em 4K, podemos gerar replays no mesmo formato”, já que o 4K XT3 permite a entra e saída de vídeo em 4K através de 4x vias QUAD-HD SDI 1080p/60 Level-A. Até agora “as operações foram limitadas a uma entrada e uma saída 4K, mas estamos trabalhando para melhorar isso”.


TV 4K no Mineirão 
Mas, essa não foi a primeira vez que se utilizou este sistema, em caráter experimental, já que na semifinal da Liga dos Campeões da UEFA, realizada em Munique, Alemanha, entre o Bayern de Munique e o Barcelona, em 23 de abril de 2013, um outro teste semelhante já havia sido realizado de forma semelhante. Como na Liga dos Campeões, os técnicos da Sony configuraram o XT3 4K com uma entrada e uma saída em 4K, mas como dito, a EVS estuda ter uma solução que permita a captação de 3 canais em 4K em um único XT3 com dois canais de gravação e um de replay ou um de gravação e dois de replay. Um dos diferenciais deste equipamento 4K/UltraHD é a hipótese de acessar e controlar o conteúdo remotamente e a introdução de tecnologia EVS C-Cast que permite oferecer aos espectadores imagens com multi-ângulo e sequências exclusivas de entrega por meio de aplicativos de segunda tela, durante os eventos ao vivo. O sistema EVS C-Cast foi testado durante a Copa das Confederações com êxito, segundo informaram os operadores que utilizaram o sistema nos dois primeiros jogos.

A Revista da SET teve acesso ao FIFA TV 4K onde os conteúdos foram gerados durante os dois primeiros jogos realizados no Estádio do Mineirão. Para isso, a equipe da Sony editou e armazenou os melhores momentos de Taiti e Nigéria, e de Japão contra o México, para exibir a convidados especiais. Durante os jogos, foi possível assistir ao vivo a transmissão dos jogos.

Fernando Muro, especialista de produto de produção ao vivo AV Media da Sony Europa acredita que será possível ter jogos da temporada 2014 da Liga Espanhola de futebol produzidos em 4K

Utilizando três TVs de LED Bravia 4K, os engenheiros da Sony Japão exibiram dois sinais diferentes para que os telespectadores pudessem perceber as diferenças. Para isso, na TV instalada no meio da sala foi transmitido um sinal 4K através de um sistema de HDMI e nas duas TVs instaladas nas pontas, o mesmo sinal, mas com um down-converter para HD. Foi nítida e clara a diferença dos sinais, com uma altíssima qualidade nos dois já que mesmo o sinal HD provêm do sinal captado pelas câmares F55 da Sony.

Stitching
As imagens em 4K geradas por essas câmeras foram utilizadas também pela primeira vez no Brasil, com a tecnologia de Stitching, um sistema que permite emendar as imagens ao vivo como se fosse uma grande imagem panorâmica do estádio de altíssima resolução. Essa tecnologia permitiu o uso de 2 imagens 4k emendadas lado a lado de forma a se extrair qualquer parte necessária da imagem para as produções ao vivo em HDTV, facilitando assim a recuperação de qualquer situação ou lance do jogo, mesmo que não tenha sido transmitido ao vivo, como por exemplo uma falta ou lance fora do plano de transmissão do jogo. O sistema de Stitching permite que se tenha um corte de câmera virtual, também chamado de cut- -out, que oferece todo o dinamismo necessário para eventos esportivos ao vivo, com o uso de somente 2 câmeras para cobertura completa do campo.
http://sonypro.com.br/home
www.fujifilm.com
http://pt.fifa.com www.hbs.tv

Fernando Moura
Redação: Revista da SET
fernando.moura@set.org.br

TESTES EM 8K

A NHK do Japão realizou testes em 8K

A emissora estatal japonesa, NHK realizou transmissões com tecnologia 8K e trouxe para realizar replays em super slow motion a nova a FT-ONE

Uma equipe especializada do canal estatal japonês NHK realizou testes de captação 8K no Estádio do Mineirão em Belo Horizonte e na final da Copa das Confederações 2013, realizada no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro. A NHK espera começar a transmitir 8K em 2015.
Os trabalhos da NHK foram realizados nos dois estádios com um caminhão especialmente trazido do Japão que permite a captação e produção de sinais 8K (7680×4320 pixels – 33,2 megapixels), ou seja, SHV (Super Hi-Vision), uma resolução de imagem 16 vezes mais alta que a do Full-HD, e que pode captar áudio surround em 22.2 canais.
Assim, os técnicos japoneses trabalham com o codec HEVC (High-Efficiency Video Coding) que já foi aprovado pelo UIT e permite manipular o sinal SHV, mas que ainda não foi normatizado pela SMPTE. Este sistema utiliza uma frequência de 120 Hz. Estes testes de captação não foram os primeiros no Brasil, já no início de 2013, engenheiros da estatal japonesa tinham estado no Rio de Janeiro realizando captação de imagens no Carnaval do Rio 2013.
Os engenheiros da NHK preferiram não dar detalhes dos testes de captação em 8K, mas a Revista da SET pôde observar que foram utilizadas pelo menos duas câmeras no Estádio do Mineirão. Uma 8K posicionada junto as demais câmeras principais (tanto as duas 4K como as duas da transmissão oficial realizada pela HBS para a transmissão do jogo) e junto do gramado uma FOR-A FT-ONE, a primeira câmera de alta velocidade do mundo, full 4K com frame rate variável que permite realizar super slow motion em 4K.
Essa câmera grava com uma resolução 4K até 900 quadros por segundo (fps). Assim, este dispositivo incorpora o inovador FT1-CMOS, um obturador de sensor CMOS de cor. O FT-ONE CMOS foi desenvolvido pela FOR-A para gravar em formato RAW nativo em alta velocidade em memória RAM interna. Desta forma, o material pode ser transferido para cartões de memória SSD ou inseri-la no fluxo de trabalho, por exemplo de uma emissora tanto em 4K como em 1080i.

TESTES EM 8K

A NHK do Japão realizou testes em 8K

Para José Manuel Fernandez Marinho, diretor de engenharia de notícias e esportes da TV Globo é possível que em 2014 existam canais de TV a cabo com transmissões em 4K, tendo como base os investimentos que estão sendo realizados na área

A Rede Globo de Televisão, parceira da FIFA na Copa do Mundo de 2014, trabalha pensando na possibilidade de ter algum tipo de transmissão em 4K no país em junho de próximo ano. A Revista da SET conversou com exclusividade com José Manuel Fernandez Marinho, diretor de engenharia de notícias e esportes da TV Globo, para quem será possível realizar transmissões em 4K na Copa do realizada no Brasil.
“O objetivo dos testes é analisar a tecnologia 4K. Já sabemos que em termos de captação ela está pronta, agora estamos estudando a distribuição do sinal e para isso uma série de companhias trabalham nesse sentido. Precisamos ter set-top-boxes, enconders e sinal para ver se será possível no futuro emitir e receber na PayTV”, disse Marinho.
De todas as maneiras, o diretor da TV Globo é cauteloso, assumindo que o caminho é longo. “Penso que para transmissões de broadcasting tem de se discutir e definir as estruturas de espectro. Na TV a cabo penso que há condições já que os fabricantes estão trabalhando para viabilizar essa transmissão”, disse Marinho.
Assim, o executivo da TV Globo considera que “será possível ter em alguns lares transmissão em 4K” durante a Copa do Mundo que se realizará no Brasil em junho de 2014. O que ainda falta analisar é como será viabilizada a transmissão e quem poderá receber o sinal 4K nas suas casas e em que cidades, mas “as condições estão dadas para que possamos fazê-lo”, disse o diretor de engenharia de notícias e esportes da TV Globo.
Marinho disse ainda à Revista da SET, na área reserva ao HBS no Estádio do Mineirão, que o balanço da Copa das Confederações é muito positivo. “Nós tivemos boas lições que agora vamos utilizar para desenhar os nossos planos visando a Copa de 2014”.
Para Luiz Padilha, o Brasil tem um momento fantástico para se explorar. “O brasileiro adora futebol e carnaval e eles vêm aí, em 4K. Nós estamos lançando as TVs em 4K e o preço está baixando, por isso penso que a demanda do mercado fará os broadcasters avançarem com este tipo de captação também esperamos que se acelere o processo de implementação do 4K. Acredito que vai existir uma interação entre consumo e broadcast. Uma coisa chama a outra e algumas televisões já começaram a produzir, por isso o público vai pedir conteúdo em 4K e as emissoras vão acompanhar”, explicou o otimista Padilha.
Pensando nestas demandas, a Sony lançou o primeiro modelo 4K 3D, do Brasil, em novembro do ano passado e está ampliando sua linha de TVs com essa tecnologia para o consumidor final. Em julho, dois novos modelos de 55 e 65 polegadas em alta resolução e altíssima qualidade de som e imagem, chegarão ao mercado nacional. Os modelos contam com painel LED 4K (3840 x 2160 pixels), resolução aproximada de 8.29 megapixels – equivalente a quatro vezes ao de uma TV Full HD. Observado a uma distância de 1,3 metro (para TVs de 65”), os pixels individuais de uma TV 4K não são vistos, o que cria a experiência de assistir TV com a mesma qualidade das imagens na vida real.