• PT
  • EN
  • ES

CONGRESSO AGERT

CONGRESSO AGERT

AGERT

A Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (AGERT) promoveu, entre os dias 02 e 04 de Outubro, em Gramado, o 21° Congresso Gaúcho de Rádio e Televisão destinado à profissionais do setor da radiodifusão. Nos dois dias de evento palestrantes se revezaram abordando temas como ilegalidades no setor, outorgas, novas tecnologias, investimentos publicitários. O encontro contou com a presença de radiodifusores do Rio Grande do Sul, autoridades e representantes de entidades brasileiras ligadas ao setor.

AgertMais de 400 pessoas participaram da abertura do evento, que teve como tema central a flexibilização da Voz do Brasil. Em seu pronunciamento, o presidente da Agert, Alexandre Gadret, reforçou a importância da aprovação da proposta que flexibiliza o horário de veiculação do programa “A Voz do Brasil” na Câmara dos Deputados. “Determinar um horário fixo para a veiculação do programa não é mais condizente com o mundo atual. Nós acreditamos que o modelo não dá direito de escolha ao ouvinte e o força a desligar o rádio no momento do programa”, argumentou.

Alexandre ressaltou ainda que existe, em todo o país, um aumento significativo de emissoras ilegais. Para ele, uma fiscalização mais severa ajudaria a impedir o problema que precisa ter mais respaldo da Justiça. O presidente da Agert afirmou que a falta reconhecimento da gravidade do crime de utilização do espectro sem a devida autorização é uma das principais barreiras para a punição. Segundo ele, o Rio Grande do Sul é o estado com um dos maiores índices de pirataria do país.

Questões como, a proliferação indiscriminada de emissoras ilegais, o longo tempo de tramitação dos processos no Ministério das Comunicações e a importância de intensificar a fiscalização para amenizar os transtornos enfrentados pelos radiodifusores também foram tratados na solenidade. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abert), Emanuel Carneiro, destacou a importância da realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas em 2016 no Brasil para o setor de radiodifusão.

Os novos rumos para a radiodifusão e as lutas da categoria foram temas do discurso proferido pelo presidente do evento e vice presidente da Agert, Wanderley Ruivo. Ele destacou que hoje a integração de mídias domina o debate do setor. Já o ministro das Comunicações em exercício, Cezar Alvarez, lembrou que a comunicação é um direito fundamental.

Participaram ainda da cerimônia da abertura o presidente da Assembléia Legislativa gaúcha, deputado Adão Villaverde (PT), a secretária de Comunicação, Vera Spolidoro, representando o governador do Estado, Tarso Genro, o deputado federal Jerônimo Goergen, falando em nome da presidência da Câmara dos Deputados, e a senadora Ana Amélia Lemos ambos do PP.

As Palestras
Os participantes do Congresso também puderam tirar as dúvidas e conhecer mais sobre a legislação da radiodifusão. Um debate conduzido pelo vice-presidente da Agert, Carlos Piccoli, falou sobre o tema. Rodolfo Machado Moura, diretor de Assuntos Legais da Abert, participou do encontro e informou aos radiodifusores quais são as portarias dos Ministérios das Comunicações, Justiça e Cultura que norteiam a atividade e que são essenciais para autorizar o funcionamento das emissoras. Já Marcelo Brasil fez uma grande retomada de todos os procedimentos, prazos e normas relativos a outorgas.

Também foram abordados no primeiro dia temas como: Convergência e Integração de Mídias; As discussões sobre Comunicação Social no Brasil em foco na Câmara dos Deputados; Investimentos Publicitários do Governo Federal; Legislação da Radiodifusão; Paradoxos nas Empresas Familiares – Convergências e Divergências. No segundo as palestras foram: Oportunidades de Negócios na Copa do Mundo 2014 para pequenos empresários; Combate as Emissoras Ilegais; Gestão Responsável: Inovação e Sustentabilidade; A Força do Entusiasmo.

Os participantes tiveram a oportunidade de visitar a feira de equipamentos e softwares que aconteceu paralelamente ao congresso. Em 285 metros quadrados de área, 21 empresas brasileiras puderam apresentar seus produtos. O diretor da empresa Tacnet e membro do comitê de eventos da SET, Leonardo Scheiner, esteve presente no congresso e aproveitou para visitar a feira, que destacou os equipamentos digitais e softwares de alta tecnologia para as emissoras de Rádio, além da infraestrutura do evento, que conta com espaço para reuniões e um auditório para os expositores se reunirem com os clientes.

O presidente do 21º Congresso, Wanderley Ruivo, ressaltou a importância da exposição. “Neste evento é possível conhecer as novidades e lançamentos das empresas para qualificar, ainda mais, as emissoras do país”, disse.

Assembléia Geral
Durante o congresso, a Agert promoveu Assembléia Geral para eleger o novo presidente para a gestão 2011/2013. O atual presidente, Alexandre Gadret, foi reeleito para o novo biênio. Em sua posse ele destacou a necessidade de continuar a atuar fortemente no combate a ilegalidade e a importância da união dos radiodifusores, não só no estado, mas também em âmbito nacional.

Atuante no estado do Rio Grande do Sul, a Agert engloba 300 emissoras de Rádio em AM, 272 emissoras de Rádio em FM e 23 emissoras de TV.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Agert