• PT
  • EN
  • ES

A transformação causada pelo IP nas operações de TV

SET Sudeste 2015Em uma tarde dedicada às estruturas e plataformas IP, Hertz da Silva (Harmonic) avançou sobre operações baseadas em estruturas IP para broadcast. Ele disse que antes de falar de qualquer coisa no mundo IP é necessário entender o protocolo SMPTE2020-6, que nada mais é do que “4 sinais HD encapsulados”.

Silva disse que o tráfego IP no ambiente de vídeo remonta à década passada, mas com a nova série de especificações do SMPTE para tráfego de vídeo em banda base sobre IP, uma onda de grandes transformações se iniciou na indústria broadcast com mudanças no “transporte, na contribuição e na distribuição de sinais”.

Ele fez, numa palestra muito didática, um paralelo entre tecnologia e produtos, e tentou trazer um cenário de migração entre a estrutura atual para uma estrutura em IP que propicia um ambiente para novos modelos de negócio e novas abordagens nos projetos.

O executivo da Harmonic disse na capital fluminense que a indústria passa por um momento em que nem sempre é preciso realizar inversões Capex, e que há momentos onde é melhor avançar para soluções Opex que resolvam exigências pontuais.

“A migração de banda base SDI para IP já começou no Brasil com algumas emissoras e telcos trabalhando no assunto, mas eles apostam para a combinação de interfaces SDI e IP na mesma plataforma que permite avançar para sistemas mistos SDI e IP como um caminho mais simples e prático para a migração”, afirmou.

Ante a pergunta da Revista da SET sobre por quanto tempo a indústria trabalhará em um sistema hibrido SDI/IP, Hertz da Silva disse peremptoriamente que o “SDI não vai  deixar de existir no futuro próximo, ele ainda tem espaço, vai andar de mãos dadas pelo menos por 5 anos nos quais estarão juntos ao IP.”

No fim, consultado pela plateia, Silva disse que no Brasil as estruturas de distribuição e contribuição são complexas porque nem sempre é “possível confiar na estruturas da telcos e os seus serviços”, e por isso muitas vezes os broadcasters precisam “criar suas próprias infraestruturas”.

O SET Sudeste 2015, Seminário de Tecnologia de Broadcast e Novas Mídias Gerenciamento, Produção, Transmissão e Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, se realiza no Auditório da Bolsa do Rio – Centro de Convenções Bolsa do Rio, na Praça XV de Novembro 20, Rio de Janeiro de 24 a 26 de novembro de 2015.

Veja a programação completa do SET Sudeste em:

http://www.set.org.br/eventos_regionais_sudeste.asp?ano=2015

Por Fernando Moura, no Rio de Janeiro

Post Tags: