• PT
  • EN

Duplitech utiliza Cintel Scanner 2 para digitalização em HDR

Solução permite testar elementos diferentes com facilidade durante a seleção, incluindo cópias de lançamento, interpositivos (IPs), negativos originais de câmera (OCNs)

A Blackmagic Design anunciou que a Duplitech, de Los Angeles, está usando uma série de equipamentos Blackmagic Design, incluindo o Cintel Scanner 2 para digitalização de filmes com grande alcance dinâmico (HDR). A Duplitech concluiu que o Cintel Scanner 2 funciona bem em filmes de 16 mm, após trabalhar com o formato na digitalização do seriado televisivo “Blondie”, da década de 1950.

A Duplitech oferece soluções completas para entrega de conteúdo, incluindo codificação, autoração e produção de discos, digitalização, colorização e restauração de filmes, edição técnica e conformação de ativos, conversão de padrões, entre outros. Além do Cintel Scanner 2, a Duplitech utiliza DaVinci Resolve Studio para edição e gradação SDR/HDR, DaVinci Resolve Micro Panel, conversor de padrões Teranex 2D Processor, roteador Videohub e unidades Mini Converter Audio to SDI, com dispositivos de captura e reprodução UltraStudio e DeckLink complementando o fluxo de trabalho.

O Cintel Scanner 2 processou mais de 500 rolos de filme, e como diretor de operações Steven Johnson notou, que permite testar elementos diferentes com facilidade durante a seleção, incluindo cópias de lançamento, interpositivos (IPs), negativos originais de câmera (OCNs) e muito mais, afirma a empresa em comunicado.

“O Cintel Scanner 2 se mostrou uma ferramenta versátil, econômica e eficiente no nosso departamento de filme. Recorremos muito a ele para avaliar e processar centenas de elementos cinematográficos, desde negativos originais de câmera até cópias de lançamento, na realização da curadoria dos catálogos de filmes para os nossos clientes. Assim, podemos avaliar esses elementos rapidamente, identificando quais podem ser usados para compor uma versão ouro do master para restauração”, disse Johnson.

“A digitalização de interpositivos é uma das atividades principais da nossa empresa, e a capacidade HDR do Cintel Scanner 2 vem fazendo toda a diferença”, disse Blake Blasingame, gerente do departamento de filmes. “Ele torna praticamente qualquer elemento digitalizável e utilizável. Os interpositivos e as cópias de lançamento de 20 ou 40 anos atrás são mais densas do que as atuais, e o HDR abriu as portas para a digitalização e a preservação desses elementos.”

“O HDR capta muito mais dados do material, e a latitude aprimorada do Cintel Scanner 2 tem sido fundamental para nós. Isso nos permite preservar muito mais detalhes de cores e oferece uma representação muito mais precisa da projeção original do filme”, adicionou Johnson. “Nós também somos uma casa de autoração de Blu-ray Ultra HD. E no caso do Blu-ray, o produto final vai para uma mídia física, que possui uma demanda por qualidade muito mais alta que o digital. O Blu-ray também é um mercado de colecionadores, então há muito mais coisa em jogo. Se não fosse pelo Cintel Scanner 2, não conseguiríamos trabalhar com HDR de forma eficiente e econômica e entregar esse conteúdo.”