• PT
  • EN
  • ES

A Transformação Digital e as tecnologias disruptivas

O uso da internet em nossas atividades diárias vem revolucionando a maneira com que realizamos até mesmo as atividades mais simples, como ver televisão. Há tempos, a revolução digital firmou bases e ditou tendências para várias indústrias, entre elas o mercado financeiro, de varejo, música, entre outros,  e agora a indústria de mídia e entretenimento é quem está se reinventando para permanecer competitiva. O assunto será discutido no SET Sul, em painel com o tema “Transformação Digital e o Impacto das Tecnologias Disruptivas”.

A moderadora do painel e diretora de marketing da SET, Daniela Souza, explica que o objetivo é discutir e mostrar como esse aspecto apoia o processo de transformação olhando pelo foco dos dois lados da história: o do consumidor e o do produtor/distribuidor de conteúdo.

“Essa transformação digital existe porque o antigo telespectador se tornou usuário, ou seja, ele passa a ter um papel ativo no processo de consumo. Ele escolhe como, quando e onde quer consumir determinado conteúdo. Isso é o que impacta na cadeia de valor e na criação de conteúdos”, explica.

Nuvem, I.A. e Multi-conteúdo

Para discutir o assunto, foram convidados três participantes: dois vendors e um broadcaster da região Sul. “Do lado dos vendors, o Diego Buenaño, diretor de Vendas da Editshare na América Latina, vai abordar a tecnologia disruptiva de edição colaborativa em nuvem, e o Fábio de Sales Guerra Tsuzuki, sócio-fundador da Media Portal Solutions, vai abordar o arquivamento em nuvem e o uso de inteligência artificial. Já pelo lado do broadcaster, o Rafael Mafra, gerente de Engenharia e TI da RIC (Record Santa Catarina), vai contar um pouco da perspectiva de um grupo de comunicação regional diante do processo de transformação digital para o multi-conteúdo”, anuncia.

O painel trará ainda alguns cases internacionais, cujo objetivo é preparar uma visão de futuro sobre as transformações decorrentes dessas tecnologias disruptivas. Aqui no Brasil, a estimativa é que esta transformação se acelere até até 2020, de acordo com Daniela.

“O painel quer despertar, provocar os grupos para que, de um modo geral, comecem a olhar um pouco mais fora da caixa e enxerguem que a transformação digital é uma avalanche no processo. Queremos no SET Sul trocar experiências do que cada lado envolvido tem vivido e enxergar expectativas de quem está no meio deste furacão, o que eles vem e o que entendem que podem fazer”, analisa a moderadora.

SET Sul 2017

O SET Sul acontece nos dias 6 e 7 de junho, na Universidade Positivo, em Curitiba (PR). Será o último evento da SET antes do SET EXPO 2017, que acontecerá no final de agosto em São Paulo.

Neste ano, a SET inovou no formato dos seminários regionais. Já foram realizados o Nordeste, em Fortaleza, e agora o Sul. “Como diretora da SET, penso que o primeiro regional no novo formato já se mostrou vencedor, que aconteceu em Fortaleza nos dias 17 e 18 de maio. Recebemos críticas produtivas e aprimoramos o projeto. O SET Sul á traz uma perspectiva maior e também com os tracks do Congresso do SET EXPO. É uma demonstração do caldeirão de discussões que vão figurar no maior congresso de tecnologia da América Latina”, finaliza Daniela Souza.