• PT
  • EN

SET Sudeste 2018: Tecnologias, processos e ganhos na produção do jornalismo

O processo de produção jornalístico das emissoras de televisão brasileira está mudando, no painel diferentes visões destas novas formas de produção de conteúdo

No quarto painel desta quinta-feira, 10 de maio, no SET Sudeste 2018, o jornalismo foi a pauta dos cinco palestrantes. O moderador da mesa, o diretor de tecnologia da Rede Gazeta do Espírito Santo, Paulo Canno, disse que, diante de um cenário de queda de receitas, um dos principais desafios do telejornalismo é ampliar sua audiência a partir das novas tecnologias.

Pela sua parte, a diretora de marketing da SET e CEO da AD Digital, Daniela Souza apresentou o case da Vice Media, que tem estrutura inovadora e é um dos maiores conglomerados de empresa de mídia presente em mais de 30 países. “A Vice construiu nos principais pontos do mundo estruturas em nuvem na qual o gestor de conteúdo. Em todos os lugares, qualquer colaborador pode fazer upload ou baixar aquele conteúdo e produzir a partir dele, em sua localidade”.

A tecnologia na nuvem também foi um dos pontos de partida do expert em tecnologia da Sony Brasil, Erick Soares, para explicar a aceleração da cadeia de produção de jornalismo. Para o executivo, o foco da notícia passou a ser a velocidade e a cobertura. “As emissoras vêm mudando drasticamente, no sentido de se adaptarem a câmeras menores e com características que os aparelhos maiores não ofereciam”.

Juliana Ferrari, Media Manager no SBT, expôs os desafios impostos pela convergência digital e pela velocidade da informação ao jornalismo. Segundo Juliana, o novo cenário requisitou o surgimento e a consolidação de profissionais com foco no gerenciamento de conteúdo e no fluxo de trabalho com conteúdo audiovisual. “Com tudo isso, nasce no mercado um profissional que vive na ponte entre as várias áreas”.

A preocupação com a transmissão de vídeo e streaming também foi uma preocupação durante a mesa sobre jornalismo. O CEO e fundador da InternetSat, George Bem, fez um resumo da evolução das transmissões em campo até hoje. “Na linha do tempo, a gente acaba voltando para o satélite por razões de estabilidade”, disse o executivo, que apresentou o uso de satélite de alta capacidade e de última geração (HTS) em banda Ka.

Pela sua parte, o diretor de vendas para a América do Sul da TVU Networks, Cláudio Frugis apresentou projetos de inteligência artificial para a agilidade na produção da notícia. Segundo o executivo, carregamento automático para redes sociais, inserção de close caption em áudio e busca mais rápida por dados pelos produtores de conteúdo são apenas alguns dos recursos que poderão ser oferecidos pelo Mochilink.

Para assistir ao SET Sudeste 2018, não é necessário realizar inscrição prévia no evento. Basta acessar o link: https://www.youtube.com/user/SETengenhariaTV

SERVIÇO:

Local: Centro de Convenções da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Praça XV de Novembro, 20, térreo, centro. Rio de Janeiro/RJ

Data: 10 e 11 de Maio

Horário: 8h às 19h

Por Eduardo Miranda (Rio de Janeiro), e Fernando Moura (São Paulo)