• PT
  • EN
  • ES

Seminário Sony Brasil

Roberto Franco (SBT/SET), Luiz Padilha (Sony) e Fernando Bittencourt (SET) durante o Seminário da Sony Brasil em Las Vegas

Roberto Franco (SBT/SET), Luiz Padilha (Sony) e Fernando Bittencourt (SET) durante o Seminário da Sony Brasil em Las Vegas

Luis Fabinchak, gerente general da Sony Brasil, afirmou aos brasileiros presentes na NAB 2016 que a “Sony trabalha para criar soluções integradas para a produção de conteúdo que vão desde a captação até a distribuição”, sempre pensado em um workflow completo em 4K.Luiz Padilha, VP da Sony para América Latina, lembrou que o continente passa por momentos difíceis e, por isso, “a motivação é maior. Temos de continuar atualizando a tecnologia e não podemos deixar os problemas econômicos influírem nisso. Nessa situação, estamos sempre atentos para a implementação de novos produtos com ajuda aos nossos usuários”, frisou.
“Imagem, IP e workflow são os pilares da Sony na NAB 2016. A principal novidade é a HDC-4800, uma câmera topo de linha, de gama K, que tem sido um sucesso. Em 3 anos e meio, vendemos mais de 6500 unidades no mundo inteiro e já temos mais de 200 sendo utilizadas no Brasil, o que coloca o país entre os principais do mundo produzindo conteúdo com este tipo de câmeras”, afirmou.
Padilha ressaltou, ainda, que hoje o HDR é um dos pilares da Sony, porque já temos workflow completo com uma câmera gravando ao vivo com esta tecnologia. Disse, também, que na base do IP, o exemplo da unidade móvel da Globo é um dos principais pontos destaque neste ano.

Luiz Padilha (Sony) afirmou que a segunda geração do sistema ODA (Optical Disc Archive Tecnology) da empresa “são o futuro. A introdução do Memnon Archiving Services com a unidade de reprodução ODS-D280U (stand-alone USD Drive), o ODS-D280F (Fibre-channel Library drive unit), e o ODC3300R (Unidade de memória) mostram o amadurecimento da tecnologia”

Luiz Padilha (Sony) afirmou que a segunda geração do sistema ODA (Optical Disc Archive Tecnology) da empresa “são o futuro. A introdução do Memnon Archiving Services com a unidade de reprodução ODS-D280U (stand-alone USD Drive), o ODS-D280F (Fibre-channel Library drive unit), e o ODC3300R (Unidade de memória) mostram o amadurecimento da tecnologia”

Além disso, destacou os 70 anos da Sony e lembrou de sua trajetória na empresa: “em agosto completo 35 anos na Sony, anos nos quais contei com a colaboração dos broadcasters brasileiros que tanto me apoiaram, tanto que já vejo aqui a segunda geração de muitas emissoras o que me enche de orgulho por ter ajudado”, concluiu.
Felipe Sequeira, gerente de vendas da multinacional, anunciou os principais projetos realizados no Brasil, para a Casablanca, o SBT e a Globo com a unidade móvel 4K/IP e a ODA para integrar e digitalizar uma parte do conteúdo de entretenimento da emissora; TV Gazeta, a Fox Sports, e a expansão da Globosat com 2 câmeras HDC-4300 para a produção da programadora, e, finalmente, com a TV Justiça e mais 10 afiliadas com soluções de switchers, câmeras e workflows.
O especialista de suporte para ventas da Sony Brasil, Erick Soares analisou as 4 frentes de trabalho com soluções IP, eficiência de fluxos de trabalho, HDR e 4K mainstream e argumentou que, “hoje, na área de captação temos uma convergência entre a área comercial e a doméstica com uma linha de câmeras como, por exemplo, as câmeras fotográficas em 4K como as Alpha 7S e 7S II”.
Outro dos destaques foi o XDCAM Air, uma plataforma que permite envio de conteúdo através da nuvem por meio de equipamentos que possam enviar imagens por meio de “live streaming mediante o 4G com uma latência mínima com modelos wireless que permitam a contribuição ao vivo”.
Para cinema, o executivo apresentou a AXS-R7 com capacidade para 4k a 120 fps com HFR e cartões com maior velocidade de gravação. Para esportes e produção ao vivo, Soares afirmou que, hoje, não só temos de pensar na qualidade, mas, também, na “maior resolução com quantidade de Bit de pelo menos 16, sendo este um salto importante. E, ainda, espectro de cor saltando do Rec.709, em 4K, para o espectro de cor Rec.2020, com maior riqueza de preservação e que, associado ao HDR, aumenta o volume de cor e a sensação de realidade”.

Post Tags: