• PT
  • EN

RNN utiliza Viacast em cobertura eleitoral da República Dominicana

Emissora realiza externas com três Livecast criando uma rede de produção nos principais pontos da capital do país

Elvis Aybar (Responsável técnico de RNN), Joaquín Estrella (partner da OM em República Dominicana), e Jesús Valdez (Engenheiro da RNN)

A Red Nacional de Noticias (RNN) da República Dominicana que transmite no canal 27 UHF desde Santo Domingo, capital do país, utilizou o domingo 16 de fevereiro de 2020, soluções da Viacast para realizar a cobertura das eleições municipais do país.

Para isso, na estação foram colocados dois XCODERs, cada um conectado a um provedor de internet (ISP), para assim evitar problemas de banda e ter redundância de acesso na emissora. Para a operação na rua foram usados dois Livecasts NANO e um Livecast PRO que foram adicionados a uma mochila da LiveU que a emissora possui. Dessa forma a cobertura foi realizada com quatro mochilas. Um dos NANOs foi usado com três (3) SIMs cards, e o outro com dois (2) SIMs cards, e finalmente, o Livecast PRO com dois (2) SIMs cards o que foi suficiente para manter conexões estáveis e de boa qualidade com taxas de transmissão médias entre 2Mbps e 4.5Mbps.

Juan Carlos Ortolan, CEO da OM Solutions, disse à Revista da SET que “o fato de ter dois XCODERs na emissora ligados a ISP diferentes foi uma boa estratégia, pois, à medida que o dia avançava, uma delas diminuiu muito a largura de banda, porem nós conseguimos transferir as conexões remotas para o outro XCODER de forma imediata mantendo assim a qualidade do serviço”. De fato, disse o executivo, a linha Livecast e XCODER da ViaCast “é uma solução de Encoders e Decoders extremamente versáteis e robustos, de fácil programação que usando codificação HEVC e algoritmos de Bonding avançados oferecem uma qualidade fantástica a taxas de transmissão muito baixas com uma performance de conexão muito estável”.

Transmissão ao vivo da eleição

A RNN também conseguiu testar o sistema de fibra virtual oferecida pelo Livecast PRO e que estabelece uma VPN entre a mochila e o XCODER que permite controlar todos os parâmetros do equipamento remoto a partir do PC de gerenciamento no Estúdio. Dessa forma, explicou Ortolan, é possível gerenciar remotamente cada mochila e conectá-la ao XCODER mais conveniente sem intervenção do cinegrafista e/ou ajustar os parâmetros de codificação para otimizar o link de acordo com as condições particulares da conexão”.

Ainda, explicou Ortolan, no dia anterior foram realizados testes com um Livecast C com o arranjo de modems Extender atingindo taxas de transmissão de 11 Mbps com apenas dois SIMs cards. “Finalmente, esse link não foi instalado, pois a cobertura com os NANOs e o PRO foi muito boa e suficiente”, disse o executivo.

Elvis Aybar, responsável técnico de RNN, disse à Revista da SET, que “os resultados foram excelentes, praticamente sem falhas.  O serviço em geral foi muito estável inclusive em locais fechados com baixa cobertura. Para isso usamos até três (3) SIMs cards nas mochilas e no estúdio tenhamos uma conexão de até 50 Mbps”.

Para Aybar a utilização da solução da Viacast foi uma boa escolha, já que “a latência melhorou muito, facilitando muito a interação com o estudo” e com isto, “dando agilidade a cobertura” permitindo que múltiplas conexões foram exploradas gerando interação entre pontos de transmissão remotos”.

Por outro lado, o responsável técnico da RNN disse que para os equipamentos disponíveis na emissora, a solução que melhor se adapta para as câmeras Sony PXW-Z150 é o NANO. “Ele é ideal, seja montado na própria câmera, em mochila ou beltpack, deixando o Livecast PRO como solução ideal para câmeras maiores com o suporte profissional V-mount”.

Um dos pontos tidos em conta pela engenharia de RNN antes da cobertura era o consumo de bateria dos equipamentos, já que as unidades estariam durante muitas horas na rua. “Essa era minha principal preocupação, porque não tínhamos baterias suficientes, mas o equipamento não consumia tanta energia e conseguimos concluir a transmissão com uma única bateria em cada dispositivo”, comentou Aybar.

A cobertura contou ainda com a utilização do aplicativo StreamCast em smartphones iOS e Android que foi testado com resultados surpreendentes, mas a produção decidiu só usar mochila pois os jornalistas não estavam suficientemente preparados para lidar com essa nova alternativa tecnológica, disse Ortolan. De todas as formas, para Aybar o teste foi muito positivo e espera em base a isso “que o uso do aplicativo no celular se transforme numa opção válida, principalmente no caso de correspondentes deslocados nas províncias do interior do país”.

O balanço da cobertura realizado pela RNN é positivo. “Tivemos uma experiência muito boa com a Viacast, o que nos surpreendeu muito foi a velocidade com que o equipamento ligava e fica pronto para transmitir, por isso e outros motivo, consideramos possível utilizar esta infraestrutura no futuro, especialmente o Livecast NANO”, finalizou Aybar.

Por Fernando Moura, em São Paulo