• PT
  • EN
  • ES

SET participa do Congresso Abratel de Comunicação e discute o futuro da radiodifusão

Olímpio José Franco realiza palestra no Congresso Abratel de Comunicação. Foto: Marcelo Araújo/Abratel

Olímpio José Franco, superintendente da SET, participou na tarde desta sexta-feira, 22 de setembro, do Congresso Abratel de Comunicação, como palestrante do painel “Digitalização do Rádio e da TV: cenários e oportunidades”.

Além dele, falaram sobre o assunto André Trindade, engenheiro da Abratel, entidade organizadora do evento; Vanda Nogueira e Samir Nobre Maia, da Secretaria de Radiodifusão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e José Marcelo, do Fórum SBTVD, moderador da mesa.

O evento aconteceu em São Paulo e reuniu empresários, broadcasters e executivos do mercado. Estavam presentes também Eduardo Cappia, diretor de Rádio da SET, e Fernando Ferreira, também da diretoria da entidade.

O painel começou com uma introdução de José Marcelo sobre o atual trabalho do Fórum SBTVD diante do desligamento do sinal analógico de TV em todo país, a manutenção dos padrões e a expansão do ISDB-TV para outros países. Ele lembrou que atualmente há cerca de 104,6 milhões de aparelhos de TV no Brasil (dados da Pnad) e que a TV aberta ainda é o principal meio de entretenimento para os brasileiros.

Na sequência, Samir Nobre Maia falou sobre o movimento de desburocratização do MCTIC. “Fizemos uma revisão na legislação, com o objetivo de diminuir os custos e o tempo dos processos dentro do Ministério”, disse. Ele apresentou os avanços na simplificação nos formulários, na exigência de documentos para os diversos trâmites, como outorgas, e os limites e avanços que ainda podem ser realizados. “Esperamos que o tempo economizado e a diminuição de custos possam voltar como investimento para os radiodifusores”, explicou.

Vanda Nogueira completou a apresentação do Ministério com informações sobre os projetos futuros do governo federal para a radiodifusão e sobre o atual estágio do desligamento do sinal analógico de TV. “O objetivo primordial da secretaria é proteger o consumidor e resolver exigências não cumpridas, garantindo o mínimo de 90% de recepção para aprovação do desligamento. Nós temos a obrigação de proteger o público”, avisou.

A seguir, André Trindade, da Abratel, apresentou um panorama das novas tecnologias e das ameaças e oportunidades para os radiodifusores nos próximos anos. Para ele, a maior ameaça no momento está no espectro. “Por isso, é necessária a liderança do Brasil no âmbito local e global”, salientou. Entre as oportunidades, ressaltou a nova tecnologia 5G. “Experiências imersivas de vídeo, carro conectado, cidades inteligentes, internet das coisas: as aplicações são muitas”, ressaltou. “Por isso, o radiodifusor precisa estar na internet”, disse. E lembrou: “mas estar na internet é também investir em segurança da informação”.

Por fim, o superintendente da SET realizou a sua palestra. Olímpio José Franco trouxe inúmeros dados e informações sobre as novas tecnologias a partir do que foi apresentado no 29o Congresso de Tecnologia do SET EXPO 2017 e também no IBC 2017, evento este que terminou na terça-feira, dia 19, na Holanda. Sobre o 5G, ele ressaltou os consórcios tanto nos EUA, quanto na Europa que estão pesquisando as possibilidades da tecnologia. Também comentou sobre as expectativas das OTTs para os radiodifusores e apresentou o projeto americano WAVE.

Texto: Carla Dórea Bartz, gerente de Comunicações da SET