• PT
  • EN

SES anuncia acordo para utilizar a plataforma Azure da Microsoft

por Chris Forrester | IBC 365

A operadora de satélite SES usou o IBC para informar aos clientes sua nova parceria com a plataforma Azure da Microsoft para serviços baseados em mídia para emissoras.

Steve Collar, CEO da SES, explicou que o relacionamento conectaria sites corporativos e governamentais em locais remotos, rurais e mal atendidos pela Azure e criaria mais valor para os clientes.

“O vínculo com a Microsoft tem relevância para os segmentos de vídeo e rede de nossos negócios”, disse Collar. “Isso significa que podemos integrar os satélites às telecomunicações tradicionais ao ponto em que somos tão relevantes quanto as tecnologias terrestres. Em muitos aspectos, somos mais relevantes porque podemos oferecer a superpotência de alcance. Podemos conectar e transportar conteúdo para as pessoas da maneira mais acessível possível na borda da rede e no centro. Além disso, não é simplesmente o que podemos fazer, agora é econômico fazê-lo. E isso é importante para nossos clientes”.

Segundo Collar, a solução encontrada junto à Microsoft faz parte da estratégia da SES de transformar redes terrestres e de satélite para a era da escala da nuvem. Também está ajudando a SES a cumprir seu compromisso de operar em ambiente aberto e definido por software, no qual redes e serviços via satélite são uma extensão perfeita do ecossistema global de comunicações.

O sistema da SES está vinculado ao Azure ExpressRoute da Microsoft, que fornece alcance global e desempenho semelhante a fibra por meio de seu portfólio completo de satélites multi-órbitas, rede de gateway global e infraestrutura de rede terrestre principal em todo o mundo. O SES é o primeiro parceiro de satélite do Azure ExpressRoute com os satélites GEO (Geoestationary Earth Orbit) e uma constelação Medium Earth Orbit (MEO) e será capaz de estender o alcance dos clientes do Azure e trazer serviços de nuvem para sites corporativos e governamentais.

Em 2021, a SES está lançando sete de seus mais recentes satélites O3b mPower, que são embarcações super flexíveis com 40.000 feixes em potencial. A gola disse: “Isso nunca foi feito antes. Mantém o satélite no mainstream da entrega de conteúdo”.