• PT
  • EN
  • ES

Pioneira na TV brasileira, Vida Alves morre aos 88 anos

 

image006Morreu na noite desta terça-feira (03), em São Paulo, a atriz Vida Alves, aos 88 anos de idade, por falência múltipla dos órgãos. Vida Alves iniciou a carreira artística há cerca de 70 anos, no rádio, e depois atuou em telenovelas. Ficou conhecida por protagonizar o primeiro beijo transmitido pela televisão brasileira, na novela “Sua vida me pertence”, na década de 1950, e depois o primeiro beijo gay na TV aberta, na década de 1960.

Grande incentivadora da memória da televisão e fundadora da Associação dos Pioneiros Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira (Pró-TV), além do Museu da Televisão, há dois anos a atriz esteve no SET EXPO para uma palestra a respeito do pioneirismo na televisão brasileira, em celebração aos 65 anos de TV no ar. Na ocasião, Vida Alves dividiu a apresentação com o veterano diretor e produtor de televisão, Nilton Travesso. A mediação foi do Diretor de Produção e Eventos Especiais do Jornalismo da Rede Globo, Fernando Gueiros.

“Conheci a Vida Alves por conta da SET e foi uma experiência muito gratificante para mim, como profissional de televisão. Ela foi uma brilhante atriz e forte incentivadora da memória da televisão brasileira. O seu falecimento é uma grande perda para todos nós. Me sinto lisonjeado de a ter conhecido e fazer algumas perguntas para ela no SET EXPO, e assim termos tido a oportunidade de testemunhar uma apresentação tão rica culturalmente e muito esclarecedora. Eu agradeço por ter feito parte daquele momento de lembranças”, disse Gueiros à SET.

Nilton Travesso, Vida Alves e Fernando Gueiros

Nilton Travesso, Vida Alves e Fernando Gueiros após painel no SET EXPO 2015

A mesa 65 anos: TV no ar no Brasil “Os pioneiros: como foi a descoberta e a invenção do jeito brasileiro de fazer TV” trouxe detalhes da memória da chegada da televisão ao Brasil e relatou as dificuldades dos atores da equipe técnica em fazerem as primeiras transmissões.

“Um dos melhores momentos desse painel foi quando Vida nos contou de um certo dia, ainda no tempo do rádio, no qual os atores da radionovela estavam no quintal da emissora, no bairro do Sumaré. Eles jogavam peteca, quando um senhor baixinho, de terno claro, chegou ao local e contou que, no futuro, aquele espaço onde eles estavam daria lugar ao prédio de uma televisão. Ela virou para o Walter Forster (ator e protagonista com Vida Alves do primeiro beijo na TV), e perguntou: ‘Walter, o que é a televisão? ’ e ele explicou: ‘Olha, Vida, é uma coisa que você faz dentro do estúdio e aparece na casa das pessoas’. Na verdade, aquele senhor que fez esse comentário era simplesmente Assis Chateubriand, dono dos Diários Associados, responsável pela chegada da televisão ao Brasil”, lembra Gueiros, a partir do relato feito por Vida Alves durante a apresentação no evento.

premio-vida-alves

Prêmio Vida Alves entregue pela SET no SET EXPO 2015

Ainda no SET EXPO 2015, a SET entregou um prêmio a Vida Alves e Nilton Travesso como homenagem pelo pioneirismo na televisão brasileira. “Depois do evento, Vida me contou que já havia recebido muitos prêmios na vida, mas este havia sido o primeiro que levava seu nome. Ela estava realmente emocionada e eu também”, revela. Foi Gueiros quem teve a ideia do prêmio, criou a peça a ser entregue, e sugeriu ao então presidente da SET, Olímpio José Franco, que realizasse a homenagem a uma das maiores incentivadoras da memória da TV Brasileira, inspirado em um prêmio semelhante entregue naquele ano durante o NAB Show, em Las Vegas – o Lifetime Achievement –, ao comediante Jerry Lewis.

“Se os americanos homenageiam os talentos deles concedendo um reconhecimento pela obra de toda uma vida, porque não fazermos o mesmo para ela – Vida – que já tem vida no próprio nome, ideal para batizar o prêmio e reconhecer o seu longo trabalho na TV?”, explica Gueiros, sobre como surgiu a ideia para a homenagem.

No canal da SET no YouTube, você pode assistir na íntegra ao painel 65 anos: TV no ar no Brasil “Os pioneiros: como foi a descoberta e a invenção do jeito brasileiro de fazer TV” .

No Blog da Revista da SET  você encontra a cobertura feita à época.

“Para mim, foi uma oportunidade muito rica a de ter encontrado uma pessoa com uma participação tão grande e importante na história da nossa TV. É algo com valor inestimável. Agradeço à SET por esta oportunidade”, finaliza Gueiros.

O Museu da TV, fundado e mantido por Vida Alves, fica na Rua Vargem do Cedro, 140, Sumaré, em São Paulo.