• PT
  • EN

Capital cultural, consumidores e criatividade

 

Guru Oliver Murphy fala sobre marketing para a geração do milênio no IBC. Foto: IBC

Conteúdo original do IBC365: assista à palestra aqui

Os jovens estão impulsionando a cultura, como Greta Thunberg uma das pessoas mais influentes do mundo, e são o capital cultural para o sucesso de uma marca.

Essa foi a opinião expressa pelo diretor de marketing da Universal Music, Olivier Robert-Murphy, durante uma apresentação no IBC2019.

Em uma fala ampla, Robert-Murphy passou de Josiah Wedgeword, famoso por fazer cerâmica em Stoke-on-Trent, no Reino Unido, a Thunberg e seu impacto no mundo.

Ele explicou que os fundamentos dos negócios e do marketing não mudaram desde que Wedgewood desenvolveu estratégias para a produção em massa de cerâmica em 1766.

“Então, o que mudou?”, Ele perguntou à audiência do IBC. “O ritmo dos negócios acelerou. Na Itália, levava-se um ano para lançar uma nova linha de roupas, mas agora leva-se semanas. Os ciclos de negócios são mais curtos e rápidos.

“Costumávamos viver em um mundo de escassez relativa em que você comprava um produto durante sua compra semanal porque o tinha visto na TV”.

“Agora, 77% dos consumidores não se importam se uma marca desaparece. As marcas estão lutando para obter a atenção do consumidor, especialmente os da geração do milênio”, acrescentou ele, enfatizando a capacidade de atenção de apenas 12 segundos dessa geração.

Então, o que isso significa para a indústria da mídia? A necessidade de adaptação para entender as demandas dos consumidores. A Universal Music, explicou, passou de um ciclo de lançamentos anuais para lançamentos musicais de seus artistas muito mais regulares, a fim de atender à demanda do consumidor.

Trata-se também de encontrar o conteúdo certo e permitir que isso oriente o marketing.