• PT
  • EN
  • ES

Leilão de espectro nos Estados Unidos alcança US$ 18 bilhões em lances, abaixo do esperado

fcc

A FCC é responsável pelo leilão do espectro nos EUA. Foto: divulgação.

Enquanto o Brasil vive uma agenda agitada com o processo de desligamento do sinal analógico de TV, nos Estados Unidos continua o leilão de espectro, autorizado pelo Congresso em 2012 e comandado pela Federal Communications Commission (FCC). A iniciativa chegou à sua quarta fase em janeiro com lances no valor de 18 bilhões de dólares.

O resultado, no entanto, ficou abaixo das expectativas do mercado. Jornais como o The Wall Street Journal reportaram, no dia 18, que houve pouca demanda pelas faixas de ondas televisivas, obrigando o FCC a abaixar o preço e o tamanho do leilão.

O jornalista Tom Butts, editor do site TV Technology, opina que “a avaliação geral da indústria é que os resultados são inexpressivos na melhor das hipóteses e desastrosos, na pior”. Para ele: “o governo americano não vai colher os benefícios em receitas (o total arrecadado até pode ser insuficiente para cobrir os custos) e muitos radiodifusores se sentem enganados pela “histeria do espectro” como estão sendo chamadas as previsões anunciadas ao longo da última década, – sobre o impacto da falta de banda larga -, pelas empresas wireless”. “É seguro dizer que há muito menos emissoras que irão se beneficiar deste leilão do que o previsto há 12 meses”, escreveu.

O ex-presidente do FCC, Tom Wheeler, substituído recentemente por Ajit Pai na nova administração Trump, foi mais otimista e deu esta declaração ao site TV News Check: “o leilão cumpriu sua ambiciosa promessa. Ao alcançar a fase final, seus benefícios são indiscutíveis. Vamos reutilizar 70 MHz de espectro de alto valor para banda larga móvel em âmbito nacional. O leilão fornecerá US$ 10,05 bilhões para a os radiodifusores que participaram e bilhões para a redução do déficit”.

O diretor executivo da Expanding Opportunities for Broadcasters Coalition (EOBC), Preston Padden, discorda: “quando este processo começou, as empresas wireless afirmaram a urgente necessidade de 600 MHz de espectro. Mas parece que o atraso, a complexidade e as mudanças nas prioridades da indústria wireless levaram a um resultado menor do que o esperado”, disse ele ao site TV News Check.

O vice-presidente executivo de Comunicações da NAB, Dennis Wharton, disse que a “NAB espera o encerramento do leilão e trabalha com a FCC e o Congresso americano para o desenvolvimento de um novo de plano de incentivos e em um cronograma de transição que proteja os telespectadores e evite interrupção de serviços”.

O leilão de espectro nos EUA

O leilão de espectro nos Estados Unidos foi autorizado pelo Congresso americano em 2012 como uma solução para atender às crescentes demandas de banda larga no país. Segundo o site da FCC, hoje há mais dispositivos conectados nos EUA do que pessoas e aproximadamente 70% dos americanos usam smartphones. O objetivo do leilão é liberar banda larga para esses serviços. A contribuição dos radiodifusores é voluntária, ou seja, emissoras podem colocar os seus direitos sobre o espectro no leilão e receberem por isso. O resultado geral é a diminuição de canais de TV abertos e gratuitos, com emissoras fechando ou mudando de faixa e de modelo de negócios.