• PT
  • EN

O Brasil a caminho da digitalização total

Da esq. para a dir: José Frederico Rehme (SET), Camilla Cintra (Globo), Eduardo Lopes ( Rede Amazônica). Thiago Nascimento (Ideal Antenas) e Sérgio Martines (SM Facilities). Foto: Rodrigo Lima / SET.

O primeiro dia do seminário SET Norte 2019, que a SET realiza em Manaus, terminou com uma discussão sobre o compartilhamento de infraestrutura como forma de cumprir o calendário de desligamento do sinal analógico de TV até 2030 em todo o território nacional. A sessão teve moderação de Eduardo Lopes, diretor de Tecnologia da Rede Amazônica.

O primeiro palestrante foi Sérgio Martines, Diretor Executivo da SM Facilities. Ele explicou que a implantação de infraestrutura no municípios com menos de 20 mil habitantes é o grande desafio para radiodifusores e prefeituras. “Enfrentamos questões importantes em relação a altos investimentos”.

“Uma das soluções que podemos trazer é a redução dos custos a partir do compartilhamento”, explicou.”Os benefícios vão de estrutura a energia, aluguel de espaço, manutenção, operação e outros”, disse. Por fim, mostrou a solução da SM Facilities para o setor: um poste de fibra de vidro intitulado SM Slimcast.

A seguir, Camilla Cintra, Supervisora Executiva da Área de Projetos de Transmissão da TV Globo, começou sua palestra com uma provocação: “a TV aberta continua relevante?”, perguntou. A resposta é sim.

“A TV repercute na internet”. “A TV é o que a gente quiser e o importante é a gente estar na casa das pessoas. E nas cidades pequenas a TV aberta e gratuita ainda é muito importante para as pessoas. É o meio de acesso à informação para milhões de pessoas”. “Nós temos o alcance e a credibilidade”, enfatizou.

“Criamos grupos de discussão na ABERT, com o Fórum SBTVD e com a SET. Tivemos alguns resultados como uma estação montada na cidade de Tiradentes em Minas Gerais”. “Em Siqueira Campos, no Paraná, aproveitamos uma estrutura barata e aproveitamos o que já existia junto com a prefeitura”, descreveu.

Ao final, apresentou os próximos passos e desafios. “Precisamos pensar em suporte compartilhado”, disse. “O objetivo maior é levar a principal fonte de informação a todos os brasileiros”.

O professor José Frederico Rehme, Diretor da GTD, fez uma análise crítica do assunto. “Não tem outra maneira de levar de maneira barata uma quantidade imensa de informação do que a TV aberta”. “As novas tecnologias atingirão as grandes capitais, porém boa parte do público – que fica longe dos grandes centros – não terá acesso ao 5G, 4k ou HDR”, descreveu. “Temos que entender que estamos diante de dois mercados complementares”. “Acredito que temos como fechar esta conta”, reforçou.

Thiago Nascimento, Gerente Regional de Vendas da Ideal Antenas, mostrou o case de Tiradentes, um projeto piloto realizado em 2018 que uniu a empresa, prefeitura e emissoras. O local apresenta uma estrutura de transmissão digital compartilhada. O executivo mostrou as características técnicas do equipamento, suas vantagens e aplicações como exemplo do que pode ser replicado em outras cidades brasileiras.