• PT
  • EN

Guia Dials FM/AM do tudoradio.com mapeia mais de 600 rádio migrantes do AM para o FM

por Daniel Starck | Conteúdo tudoradio.com

O processo de migração AM-FM tem andado onde há espaço na chamada faixa convencional do FM, sendo aquela que vai de 88.1 FM para 107.9 FM. Várias capitais de diferentes regiões do país, além de centros regionais do interior e municípios menores, acompanharam a ida de parte de suas AMs para o dial FM. O ano de 2020 começa com 661 migrantes AM-FM que possuem sua área de cobertura em FM mapeada e registrada pelo guia Dials AM/FM do tudoradio.com e também pelo Mapa da Atualização do tudoradio.com. Acompanhe:

A primeira migrante AM-FM a ser registrada pelo sistema do tudoradio.com foi a Rádio Canoa Grande FM 90.7 de Igaraçu do Tietê. A emissora operava em 1340 AM e está localizada no interior de São Paulo, próximo a turística Barra Bonita. Trata-se de uma estação de classe C de operação.

São Paulo conta com 78 emissoras mapeadas pelo guia Dials AM/FM do tudoradio.com dentro do processo de migração AM-FM. Em dezembro passado o estado passou a contar com a Novo Tempo FM 101.3 de Caçapava, sendo mais uma migrante AM-FM no Vale do Paraíba. E antes, em novembro, emissoras em Indaiatuba, Araraquara, Mirandópolis e Pirassununga ampliaram a contagem.

Minas Gerais também conta com um número de destaque no processo de migração AM-FM na faixa convencional, com 76. O estado teve migrantes recentes em praças como Itajubá e Juiz de Fora (este é o segundo município em população no interior mineiro e ainda não tinha uma rádio originada do AM ocupando uma faixa em FM).

O Paraná segue como o estado com mais migrantes AM-FM ativas e relacionadas pelo levantamento do tudoradio.com, com 83 emissoras mapeadas pelo guia Dials AM/FM do tudoradio.com. Rio Grande do Sul tem 56 e Santa Catarina registra 51 migrantes mapeadas pelo sistema do portal.

O estado que inaugurou o processo em 2016, o Ceará, conta com 36 emissoras mapeadas pelo guia. E há uma curiosidade: no final de dezembro a Rádio Progresso de Juazeiro do Norte, primeira estação originada no AM a iniciar suas atividades no FM através da migração, teve seu canal alterado de 97.9 FM para 105.1 FM devido a uma promoção de classe de operação.

2020 deve ser movimentado

A expectativa do setor é de que 2020 seja o ano que os mercados mais populosos do país entrem de forma efetiva no processo de migração do AM para o FM. Para isso é necessário que a faixa estendida do FM (FMe, 76.1 FM e 87.3 FM) seja liberada para acomodar as migrantes desses locais. A “banda extra” é necessária devido a grande ocupação no FM convencional em mercados como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, entre outros.

FM estendido?

O processo de migração AM-FM em faixa estendida é aguardado desde 2013 pelas emissoras AMs solicitantes. Em algumas regiões, onde era previsto o uso do FM estendido, após uma série de acordos e uso do segundo adjacente, foi possível acomodar as migrantes na faixa convencional. Porém os maiores centros seguem de fora.

Enquanto aguardam a canalização, o mercado viu a evolução da disponibilidade de receptores com o FM estendido disponível, este que foi inicialmente impulsionado por celulares com FM e rádios em automóveis. Em setembro de 2017, foi aprovada uma portaria que obriga a produção de receptores com FM estendido no Brasil.

O levantamento

O número é relacionado ao levantamento feito pelo tudoradio.com nos dials AM/FM no portal, ou seja, são 661 migrantes AM-FM que tem a sua cobertura em FM já mapeada pela equipe do portal (até o fechamento desta matéria).

O levantamento completo (inclusive o número de migrantes por estado) pode ser acompanhado aqui. A atualização é diária.