• PT
  • EN
  • ES

TV DIGITAL CONTINUA SENDO O GRANDE TEMA DO CONGRESSO DA SET

CONGRESSO SET 2010
TV DIGITAL CONTINUA SENDO O GRANDE TEMA DO CONGRESSO DA SET
A adoção e o interesse pelo sistema digital brasileiro ISDB-TB aumentam a participação internacional no congresso
Por Gilmara Gelinski
Desde 1988, o setor da radiodifusão telecomunicações tem um encontro marcado, anualmente, com o Congresso de Tecnologia de Televisão organizado pela SET – Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão. Segundo a presidente da SET, Liliana Nakonechnyj, “este é um evento brasileiro que traz maior valor, em termos de difusão de conhecimento sobre a tecnologia de televisão para os profissionais de tecnologia da área de comunicação audiovisual eletrônica. Seu enfoque ultrapassa a evolução tecnológica, normalmente, abordada em eventos pares ao redor do mundo, com abordagens práticas, em que experiências práticas são compartilhadas com os participantes”.
O evento, que acontece no Centro de Exposições Imigrantes entre os dias 24 e 27 de agosto, é um marco nas áreas de tecnologia e radiodifusão brasileiros. Este ano, além dos importantes temas debatidos em palestras e das inovações tecnológicas apresentadas na feira Broadcast & Cable, o evento traz novidades para os profissionais do setor na área pesquisa. São o Primeiro Prêmio SET e o Concurso de Inovação. “O Prêmio SET é um velho sonho, pois reconhece o esforço de empresas e profissionais que se dedicam a desenvolver o mercado de entretenimento eletrônico audiovisual. Já o Concurso de Inovação dará mais espaço a interatividade”, explica Liliana Nakonechnyj.
Os eventos paralelos ao congresso, que acontecem no mesmo espaço, servem de incentivo e agregam conhecimento aos participantes. São formas complementares de abordagem de um grande tema, no caso, a tecnologia no setor das telecomunicações. Durante as sessões, os especialistas têm a oportunidade de apresentar, discutir e avaliar cenários, enquanto que, nos estandes da feira, os fabricantes podem mostrar o que estão desenvolvendo e o que têm a oferecer no âmbito do que foi discutido. A presidente da SET ressalta, “a condução da feira Broadcas & Cable juntamente com o congresso, é um ganha- ganha para fornecedores de tecnologia, empresas e profissionais que as utilizam”.Cerimônia de abertura

Cerimônia de abertura do Congresso SET 2009.

Outro evento que acontece paralelo ao Congresso é o FIICAV. Em sua 6º edição, o congresso reúne profissionais e seguidores das áreas de cinema e audiovisual. O evento é um incentivo ao crescimento da indústria audiovisual por meio do intercâmbio dos setores envolvidos.

Sob a ótica da Presidente
Na opinião da Presidente da SET, o programa abrangente do Congresso da SET 2010 atenderá, com louvor, a todos os segmentos do mercado de radiodifusão e de produção de conteúdo audiovisual, bem como ao setor acadêmico que estuda, desenvolve e ajuda a disseminar o conhecimento. A interatividade ganhará mais espaço, inclusive com uma sessão super inovadora que será o Concurso de Inovação. As tendências na convergência das mídias e de mudanças de hábito serão discutidas em termos de tecnologia e de negócios.

Se no ano passado, o grande tema do Congresso foi a implantação da TV digital no Brasil, este ano será um bom momento para avaliar a consolidação do sistema brasileiro e suas perspectivas. “Em 2010, a TV digital avançou muito e o evento será um bom momento para falar sobre as soluções utilizadas. Também serão discutidos os muitos e enormes desafios pela frente, para a interiorização da TV digital ao longo dos próximos anos. A interatividade, que teve seus primeiros produtos comerciais lançados no mercado nos últimos meses, também será tema de workshops e debates”, explica Liliana.

“Além do grande tema TV digital, outras temáticas de destaques no mundo inteiro serão discutidas nas sessões. Entre elas: A disponibilização do conteúdo audiovisual através de múltiplas plataformas e diferentes mídias; Os novos players no mercado de oferta de conteúdo. Em particular os fabricantes de televisores com sua nova geração de televisores conectados; E, é claro, o 3D – será que é apenas um “ hype” ou veio para ficar?”.

“Eu acredito que o Congresso da SET 2010 seja um sucesso! Além da participação nacional de empresas e profissionais, teremos um crescimento expressivo de participantes estrangeiros”. Paralelo ao primeiro dia do congresso haverá uma reunião internacional do grupo de países que já adotaram o sistema ISDB-TB com participação de representantes dos vários outros países da América Latina, que também adotaram o mesmo sistema. “É com muito prazer que receberemos os participantes dessa reunião em nosso congresso bem como outros interessados, para compartilhar as experiências da implantação do sistema no Brasil. Além dos africanos, outros países examinam nosso sistema como candidato e é possível que enviem técnicos. Teremos também a presença de um grupo estrangeiro do projeto SINDVEL/APEX. Os novos visitantes estrangeiros se somam a especialistas japoneses no ISDB-T e a especialistas nas diversas tecnologias de produção, manipulação e transmissão de televisão e rádio que já participam tradicionalmente em nosso evento. Para receber um maior contingente estrangeiro, estamos melhorando a sinalização em inglês e espanhol, bem como aumentando a presença de tradução simultânea”.

A estrutura do evento
O tempo foi primordial para que o Congresso 2010 tivesse novas atrações, aumentando suas expectativas de público e sua área de visitação. De acordo com a diretora de eventos da SET, Daniela Helena Machado e Souza, “este ano, conseguimos iniciar o planejamento com antecedência e por esta razão, foi possível ter algumas novas iniciativas saindo do “forno”. Em destaque estão o Primeiro Prêmio SET, o Concurso de Inovação, a inclusão de mais um auditório para as conferências e uma sala para workshops”. Ao total serão quatro dias de Congresso, três dias de feira, 45 sessões distribuídas em cinco salas, 180 palestrantes, 43 moderadores e cerca de 1.400 congressistas.
O primeiro dia de congresso, terça-feira, tem 13 sessões. No segundo dia, pela manhã, acontece a abertura solene oficial do evento com a participação da presidente da SET, Liliana Nakonechnyj, reunindo empresários, diretores, fabricantes, autoridades públicas e engenheiros de TV. A cerimônia tem tradução simultânea para o inglês e espanhol. Após a abertura, os trabalhos começam com um seminário internacional sob o tema “Avanços do ISDB-TB. Diferentes Processos de Escolha e Implantação”, ministrado pelo vicepresidente da SET, Olimpio Franco. Ao longo do dia acontecem mais sete sessões. E à noite será realizada uma cerimônia com coquetel para entrega do Prêmio SET .
No terceiro dia haverá 15 sessões, entre elas, a apresentação dos trabalhos acadêmicos durante o Seminário Acadêmico Técnico Científico moderado por Fred Rehme, coordenador de P&D Telecom pela RPC e integrante do comitê de ensino da SET 2009-2010. No quarto e último dia, o congresso tem seus trabalhos encerrados com 10 sessões, sendo quatro voltadas para a TV digital. “A grade das sessões foi montada cuidadosamente para que não houvesse conflito sobre assuntos de interesse semelhantes”, lembra Daniela.
A organizadora do evento tornou o próprio congresso numa grande exposição tecnológica. Será utilizado um sistema de digital signage para comunicação individual de cada auditório, com a programação da sala, resumo dos convidados, e outras informações. Além disto, há um grande painel de LED na entrada do evento, que além de destacar a programação do congresso, terá a inserção das marcas de nossos patrocinadores, vídeo institucional da SET e uma cobertura com inserções ao vivo do congresso e feira. Os palestrantes também têm em algumas sessões tradução simultânea para dois outros idiomas, inglês e espanhol.
A diretora de eventos da SET, Daniela Helena Machado e Souza, espera que, “a SET cada vez mais contribua para a discussão e formação dos profissionais de radiodifusão, além de ampliar nossa atuação para mercados internacionais, pois temos contribuído e muito, para que nosso sistema de televisão digital brasileiro, se torne predominante no hemisfério Sul das Américas. Além disto, queremos através de nossa premiação e concurso de inovação, atrair cada vez mais os profissionais de nossa área para ampliar a discussão sobre tecnologia para este grande momento de transição que vivemos em nosso país”.

Temas refletem o momento
Responsáveis pela escolha dos temas, que embasam o Congresso da SET 2010, o vice-presidente da SET, Olímpio José Franco, e o diretor de tecnologia da SET, Raymundo Costa Pinto Barros, consideraram as temáticas, que refletem o momento da indústria. De acordo com Raymundo, “a indústria rapidamente se transforma de um modelo de plataforma única, TV aberta, para um modelo multiplataforma. Na verdade as Redes de Televisão passam a operar no formato de Media Station. Além da TV digital vedete das últimas edições do congresso, e que continua em evidência, serão abordados temas como o 3D e a produção para múltiplas plataformas”.

Para o diretor de tecnologia os temas devem representar o interesse de todos os associados. “Temos que considerar que a SET representa o universo de profissionais de tecnologia em empresas espalhadas por todo o país. Há grande diversidade entre elas. Portanto os temas devem ser relevantes para os profissionais e empresas que operam no cutting edge da tecnologia como aquelas que estão enfrentando o desafio da digitalização”.

Ao longo dos quatro dias, os temas foram distribuídos dentro do conceito de “tracking” ’com painéis que tratam de assunto que se complementam. A grade foi montada sob o critério de evitar painéis simultâneos tratando de temas relacionados. Os organizadores tentaram facilitar a vida dos congressistas. Mas, segundo Raymundo, “dada à abrangência dos painéis, os participantes terão muitas dúvidas na hora de escolher entre tantos excelentes temas acontecendo ao mesmo tempo”. A dinâmica dos painéis fica a cargo dos moderadores. Geralmente são escolhidos de três a cinco palestrantes por painel seguido de uma sessão de perguntas e respostas. Os moderadores são profissionais da indústria com notório conhecimento sobre o tema, bem como os palestrantes.

Além de palestrantes brasileiros, o congresso também terá palestrantes internacionais. De acordo com Raymundo, o evento é sempre disputado pelos principais especialistas da indústria em todo o mundo em função da crescente relevância do mercado brasileiro.
Considerando todas as novidades do congresso, o interesse pelo sistema brasileiro de TV digital, abrangência e relevância dos temas e o aumento expressivo de participantes de outros países, Raymundo acredita que a 23º edição terá um participação recorde. “Temos confirmado uma grande delegação de representantes dos países que já adotaram o SBTVD e teremos com certeza a presença dos nossos colegas de todo o Brasil, que têm na SET sua melhor oportunidade de atualização profissional”.

Ponto de vista acadêmico
O evento reserva um espaço especial para a área acadêmica. Durante o congresso duas sessões são destinadas para a apresentação dos trabalhos acadêmicos na área de engenharia de telecomunicações. Na quinta-feira, o seminário acadêmico técnico científico é moderado por Fred Rehme, professor, coordenador de P&D Telecom pela RPC e integrante do comitê de ensino da SET 2009-2010. E, na sexta-feira, a sessão é moderada pelo professor e diretor de ensino da Inatel e da SET, Carlos Nazareth Motta Marins.

A escolha dos trabalhos foi realizada por uma equipe de revisores composta pela diretoria da SET. Entre os integrantes estão: Fred Rehme – TV Paranaense -, Carlos Nazareth Motta Marins – Inatel -, Alexandre Yoshida Sano – SBT -, Carla Liberal Pagliari – Instituto Militar de Engenharia (IME) -, Eduardo Bicudo – EBcom -, Euzébio da Silva Tresse – Consultor de Tecnologia da SET e do Fórum de TV Digital -, Gunnar Bedicks – Universidade Mackenzie -, Olímpio Franco – Olympic Eng -,Tom Jones Moreira – Consultor de TV Digital – e Valderez Donzelli – ADTHEC Engenharia.
Considerando o congresso um evento acadêmico com iniciativa de uma associação de classe profissional, os trabalhos enviados deveriam tratar os assuntos de forma técnica, aplicada, com o intuito de aproximar a academia do mercado. Ao total foram escolhidos 13 trabalhos. E nas sessões acadêmicas, o grande tema também é a TV digital. “Em virtude da atual fase da TV digital no Brasil, com implantação e expansão ocorrendo em todo o país, o foco dos trabalhos está voltado para a produção, aplicativos (HDTV, interatividade) e transmissão da TV digital. Mas, há espaço também para TV Estereoscópica – assunto muito abordado nos últimos dois anos em todos os congressos e exposições”, explica Fred.

“O evento é uma oportunidade de buscar tanto a inovação quanto a solução de situações cotidianas, com respaldo teórico. Alguns trabalhos mostram novas possibilidades, como, por exemplo, na exploração da interatividade. Outros abordam e explicam resultados de sistemas já implantados, justificando ocorrências e propondo melhorias. A exposição dos trabalhos é importante para se familiarizar com este meio muito rico em avanços tecnológicos, para enxergar novos campos de estudos e experimentos e para colocar-se de forma visível no mercado”, alerta o integrante do comitê de ensino da SET.

“O evento é uma oportunidade de buscar tanto a inovação quanto a solução de situações cotidianas, com respaldo teórico. Alguns trabalhos mostram novas possibilidades, como, por exemplo, na exploração da interatividade. Outros abordam e explicam resultados de sistemas já implantados, justificando ocorrências e propondo melhorias. A exposição dos trabalhos é importante para se familiarizar com este meio muito rico em avanços tecnológicos, para enxergar novos campos de estudos e experimentos e para colocar-se de forma visível no mercado”, alerta o integrante do comitê de ensino da SET.

Projetos reconhecidos e premiados
O Congresso da SET 2010 amplia seus horizontes e lança o Prêmio SET e o Concurso Inovação. Como já lembrou a Liliana Nakonechnyj, o Prêmio SET era um sonho, que está se tornando realidade nesta edição. O objetivo da premiação é agraciar empresas e/ou pessoas por contribuições relevantes ao setor, bem como promover as inovações e destaques aplicados à mídia eletrônica.

De acordo com um dos organizadores da premiação, o vice diretor de marketing da SET, Claudio Younis, “os trabalhos foram indicados e votados de acordo com critérios claramente determinados. Entre eles, estar estabelecido no Brasil diretamente ou por meio de representante ou distribuidor oficialmente reconhecido”.

As categorias do prêmio foram apresentadas pelo Comitê Organizador e referendadas pelo Conselho de Presidentes da SET. As categorias são: Tecnologia com os melhores lançamentos no biênio 2009-2010 – Transmissão e/ou Recepção; Produção e Pós-produção; Jornalismo; Melhor lançamento em inovação tecnológica; e Melhor projeto em novas mídias -; SET 2009 – Melhor apresentação do Congresso SET 2009 -; Revista SET – Melhor artigo publicado na “Revista da SET” (edições de 2009 e 2010 até Junho)

Para escolha dos trabalhos, um júri especializado, formado pelo corpo diretivo da SET, fez indicações de candidatos ao prêmio em cada uma das categorias. A listagem com os concorrentes ao prêmio foi publicada e divulgada aos associados SET, que puderam votar pela Internet. Após o encerramento da votação, os votos foram tabulados pelo comitê organizador e os vencedores serão conhecidos na premiação. Cada ganhador receberá o troféu das mãos de uma personalidade convidada pela SET.

Com o objetivo de escolher as melhores ideias nas categorias pesquisa, produto e inovação, a SET promove também seu primeiro Concurso de Inovação e Empreendedorismo sob o tema: “Uso da Interatividade em propostas inovadoras com uso do padrão brasileiro Ginga”. Serão premiados os projetos acadêmicos e jovens talentos de pequenas empresas que desenvolveram as soluções mais inovadoras ligadas à TV digiral. Segundo David Britto, um dos organizadores do concurso, “a iniciativa é de extrema importância para impulsionar novos projetos no setor. Como os projetos mais inovadores vêm da universidade, o prêmio estimula a pesquisa e os estudos na área”.

Para escolher os melhores trabalhos, a comissão julgadora deve considerar três fatores principais: a aplicabilidade do projeto ao setor de radiodifusão e o potencial de aceitação do mercado; a utilização de conceitos inovadores, com foco em interatividade, mobilidade, portabilidade; e o uso inovador de recursos do padrão Ginga. Os inscritos selecionados farão durante o congresso uma apresentação de seus trabalhos e em seguida, a comissão julgadora elegerá os três melhores projetos para receber o prêmio da banca de jurados e do moderador do painel. A comissão julgadora é formada por profissionais e especialistas ligados à inovação dentro dos diversos setores da SET, dirigentes da organização e especialistas da área audiovisual.

Mais espaço para a tecnologia
Assim como o Congresso, a feira Broadcaste & Cable já se consagrou no setor e é um sucesso nacional e internacional. A 19º edição será a maior de todos os anos e ocupará totalmente o espaço reservado à exposição. Serão 12 mil metros quadrados destinados a pura tecnologia apresentada pelos seus 161 expositores, sendo 19 empresas de outros países, entre eles Canadá, EUA, Alemanha, Itália, França, Portugal, Espanha, Suécia e México. Devido ao crescente número de expositores da Coréia, para esta edição os profissionais deste país possuem uma área de 40 metros quadrados exclusiva para seus projetos.

Responsável pela organização da feira, José Carlos Mascarenhas, diretor da Certame, garante que os visitantes poderão conhecer muitos lançamentos de equipamentos e soluções. “É importante ressaltar que as empresas expositoras esperam e contam com o Congresso da SET para lançar seus produtos no mercado. E no que se refere a TV digital a feira traz muitas novidades, pois há um grande caminho a ser percorrido até que o sistema esteja 100% consolidado no País”.

Outros assuntos também foram pautados para o Congresso e a feira. A Broadcast & Cable apresentará novidades ligadas à tecnologia 3D, que vem sendo estudada e é objeto de volumosos investimentos por parte de fabricantes de televisores, emissoras e indústria cinematográfica. As novas tecnologias desenvolvidas para a Copa do Mundo também estarão presentes na feira. “A Copa é uma oportunidade em que grande parte da população mundial está acompanhando as partidas pela televisão e com isso aumenta a discussão em torno da captação e transmissão dos jogos. Logo, as empresas são incentivadas a desenvolver novas tecnologias e soluções para acompanhar este momento e ampliar a sua base de vendas”, explica Mascarenhas

A crise econômica mundial do ano passado não afetou o desenvolvimento tecnológico, prova disto é o aumento da feira Broadcaste & Cable. Para o organizador da feira, “a crise enfrentada pela Europa e EUA pode ter gerado um impacto positivo no tocante ao mercado nacional, visto que muitas empresas voltaram suas atenções para o mercado sul-americano. As expectativas crescem a cada ano, dado os nossos constantes investimentos e dedicação em aperfeiçoá-la a cada ano. Esperamos criar um ambiente propício para a troca de experiências e informações, networking e prospecção de novos negócios”. Para este ano a estimativa é que cerca de 10 mil pessoas visitem os estandes da feira. São esperados profissionais, empresários e executivos do mercado de produção e distribuição de conteúdo eletrônico de multimídia, incluindo TV aberta e por assinatura, rádio, internet, indústria, produção e telecomunicações.

Gilmara Gelinski é editora para esta edição da Revista SET – email: gelinska@gmail.com