• PT
  • EN
  • ES

TV Aberta: Em teste, TV Globo transmitirá Copa do Mundo em 4K

Nº 141 – Abril/Maio 2014

Por Fernando Moura e Flávio Bonanome, em Las Vegas

Reportagem

TV Aberta: Em teste, TV Globo transmitirá Copa do Mundo em 4K

A TV Globo realizará durante a Copa do Mundo transmissões experimentais de TV aberta em 4K mediante um canal de teste que poderá ser visto na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Para isso, produzirá três jogos do campeonato com uma unidade móvel 4K especialmente construída para este evento. Para Fernando Bittencourt, está claro que hoje a prioridade da TV brasileira é a “sobrevivência em HD”, mas também demostrar que a evolução tecnológica precisa de ser levada em consideração

Odiretor geral de Engenharia da TV Globo, Fernando Bittencourt, afirmou com exclusividade à Revista da SET que a emissora está preparando a infraestrutura para emitir mediante sinal aberto três jogos (um de quartas de final, uma semifinal e a final) que se realizarão no Estádio do Maracanã na próxima Copa do Mundo. Se isso vir a acontecer será a primeira emissão deste tipo no mundo fora do Japão na TV aberta gratuita.
Ainda, a Globosat está definindo os dispositivos para a emissão via satélite com recepção mediante set-top box destes jogos na TV por Assinatura, e dando os retoques finais da primeira unidade móvel em 4K de América Latina.
Em entrevista, o ex-presidente da SET afirmou que a emissora já está criando as condições para produzir três jogos da Copa em 4K e transmiti-los de forma experimental. “Participaremos dos testes 4K com a FIFA na Copa do Mundo e estamos planejando botar no ar mediante um canal de teste na Barra da Tijuca. A Globo está acompanhando o processo e o objetivo deste teste é mostrar que é possível botar uma transmissão em 4K no ar em um canal de televisão”.
“O teste será para uma zona limitada da zona sul do Rio de Janeiro. Nosso objetivo é demostrar isso em alguns pontos da cidade” explicou Bittencourt. Isso porque, segundo ele, “já temos televisores 4K modelos DBBT2, receptores 4K. Nada de ficção científica, é algo disponível no mercado. Queremos demostrar com o teste que precisamos espectro para continuar evoluindo tecnologicamente”.
Quando inquirimos o ex-presidente da SET sobre quanto tempo demorará para este tipo de transmissões se tornarem uma realidade, ele foi taxativo: “Isso é o que discutimos hoje no nosso painel. Qual é o canal que nós poderemos utilizar para emitir 4K? E isso está longe de se saber, porque hoje estamos discutindo a nossa sobrevivência em HD, e botar agora outra tecnologia é uma nova discussão”.
Entretanto, a Globosat está planejando, segundo informou Bittencourt, realizar uma distribuição de sinal 4K via satélite para a TV por assinatura, mas também em um número limitado de pontos de recepção. “Sabemos que no cabo é mais fácil, mas não temos o receptor. O maior problema é que ainda não temos uma definição de como vamos distribuir o conteúdo 4K. A única certeza é que a tecnologia está aí e ela virá, agora dizer quando é o grande desafio”.
Bittencourt acredita que o “tradicional broadcast” ou seja, a TV transmitida pelo ar, “está vivendo um tempo de grandes limitações para transmitir, esta faltando espectro a TV tradicional, enquanto não há limitação para transmitir pelo cabo, pela internet – inclusive 4K já está disponível pela internet. Os broadcasters estão limitados pela largura de banda do canal. Essas novas mídias existem, mas ainda o dinheiro é mínimo para financiá-las, enquanto o dinheiro que vem para suportar toda a nossa produção vem da televisão tradicional e por isso não podemos inverter os processos rapidamente e sair colocando dinheiro em outras mídias, enquanto a receita vem da televisão. Afinal, o produto é feito para televisão e desse produto virá um subproduto para outras mídias”.
Os jogos a serem produzidos em 4K serão disputados no dia 28 de junho, oitavas de final; quartas de final, no dia 4 de julho; e a final no domingo, 13 de julho de 2014, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro. A produção estará a cargo da HBS (Hosting Broadcast Services) em conjunto com a Globosat e a Telegenic (Grã-Bretanha, que já participou dos testes realizados em 2013 na Copa das Confederações no Estádio do Mineirão), com suporte integral da Sony, patrocinadora oficial do evento.

Unidade Móvel 4K

Para Lourenço Carvano, da Globosat, criar um carro só com equipamentos 4K iria ficar muito caro.

A Globosat está terminando a montagem de uma Unidade Móvel UHDTV que, segundo os responsáveis da emissora, estará pronto a finais de maio de 2014. O principal objetivo da nova UM será a produção de três dos jogos da Copa do Mundo que se realizarão no Estádio do Maracanã.
Em princípio, serão produzidos em formato 4K uma das quartas-de-final da competição, uma semifinal e a final do torneio a realizar-se o próximo 13 de julho de 2014. Esta também é uma novidade revelada na NAB, já que até agora só se sabia que a final ia ser captada em este formato.

“O objetivo deste teste é mostrar que é possível botar uma transmissão em 4K no ar em um canal de televisão”

A UMHDTV da Globosat contará pelo menos com 5 câmaras Sony 4K PMW-F55, câmera da linha CineAlta 4K adquiridas pela Rede Globo, além de outras câmeras HD. A F55 possui um sensor CMOS de formato nativo 4K incluindo um obturador global para eliminar efeitos enviesados de rolamento de obturador e segmentação de flash, entregando vasta gama de cores fiéis para reprodução de cor verdadeira. A câmera possibilita ainda ampla exposição de latitude (14 stops), de alta sensibilidade e baixo ruído.
Com gravação em formato Super 35mm, com uma resolução nativa de 4096 x 2160 (11,6 milhões de pixels, 8.9 milhões efectivos). Pelo que a Revista da SET pôde saber, será utilizado no teste o codec XAVC 4K (QFHD) 4:2:2, com um bit rate até 30 fps de 300 Mbps, e compressão MPEG-4 AVC/H.264, mas isso ainda esta por ser definido pela emissora brasileira e a FIFA TV.

Para Fernando Bittencourt é importante mostrar a tecnologia 4K, mas primordial “ a sobrevivência em HD”

De todos os modos, essas câmeras de CineAlta oferecem suporte de multi-codec que permite realizar gravações diretamente em cartões SxS, modelo SxS PRO+ (Plus) para gravações na F55 em 4K a 60p:422 10-bit XAVC e HD:422 10-bit XAVC em alta taxa de quadros.

“Queremos demostrar com o
teste que precisamos espectro
para continuar evoluindo
tecnologicamente”.

Segundo explicou a Revista da SET, Lourenço Carvano, gerente de Tecnologia da Globosat, a nova UHDTV com a configuração que será utlizada na Copa do Mundo tem como principal objetivo “complementar as produções. Neste momento criar um carro só com equipamentos 4K iria ficar muito custoso, mas ainda porque ainda não há definições de quando se poderá transmitir com esta tecnologia de forma massiva. Nossa ideia é começar a nos familiarizar com a tecnologia e começar a utilizá-la”.
O engenheiro da Globosat participou do seminário que a Sony Brasil realizou na NAB 2014 para os broadcasters brasileiros que viajaram a Las Vegas onde explicou os pormenores da nova UMHDTV. Segundo ele, esta terá além das 5 câmeras F55, até 15 câmeras Sony HDC- 2400 (câmera 3G, HD multi-formato), e duas câmeras, TV Skyline HD:1200.
“Pensamos que em uma produção de futebol tradicional o jogo fica quase todo o tempo em quatro ou cinco câmeras, por isso ainda estamos decidindo se usaremos 4 ou 5 câmeras 4K – Câmera master, curtos, impedimentos e, às vezes, uma de detalhe – as outras entram muito esporadicamente por isso achamos que tendo câmeras em 1080p progressivas, como nós já tínhamos, nos garante uma boa qualidade de imagem”.
No fundo, explicou Carvano “o 4K tem algumas coisas interessantes que são a sua resolução espacial, mais frame rate, ser progressiva e o seu rango dinâmico, e com as câmeras 1080p podemos aproveitar algumas destas características. No fundo, vamos fazer o mesmo que quando começamos a experimentar câmeras HD, mas nessa altura os problemas de compatibilidade eram maiores”.
O switcher escolhido pela Globosat será o Sony MVS-7000X que conta com configuração flexível de M/Es para 1, 2 ou 3 M/E com até 8 Keyers por M/E (1080i/720P ou modo SD); suporte a Multi Programa que pode dobrar o número de bancos de Mix/Efeitos; opção DME interna para 2 ou 4 canais de efeitos digitais; 80 entradas e 48 saídas; entre outras funcionalidades. Ainda um painel de controle Sony CCP6226 com 2M/E e 24 entradas, com monitores Sony PVM9011a para PGM, além de equipamentos WFM-5200 da Tektronik, entre outros.