• PT
  • EN
  • ES

Telebras transmitiu 517 horas de dados nos jogos da Copa do Mundo

© Foto: Divulgação

Durante a Copa do Mundo a estatal brasileira afirma ter transmitido 166 terabytes de dados no anel óptico interligando as 12 cidades-sedes a ao Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBC) da FIFA no Rio de Janeiro.

Telebras informou que completou a transmissão de áudio e vídeo em alta definição dos 64 jogos da Copa do Mundo de 2014 sem nenhum erro técnico em sua rede de fibra óptica que atendeu o evento.
Ao todo, foram cerca de 517 horas de transmissão na dupla abordagem entre as arenas e o IBC, de onde as imagens foram distribuídas a mais de 200 emissoras de TV de vários países com direitos de transmissão outorgados pela FIFA.
A Telebras foi a empresa responsável pela infraestrutura usada na transmissão de imagens de alta definição (HDTV – vídeo e áudio) dos jogos da Copa. Para construir e operar essa rede de 15.280 km interligando os estádios ao IBC a estatal mobilizou 229 colaboradores em atuação direta, além de 72 pessoas de empresas parceiras e 142 de fornecedores.
O presidente da Telebras, Francisco Ziober Filho, destacou o esforço de toda a equipe da empresa, parceiros e fornecedores para garantir um serviço com 100% de aproveitamento, sem nenhum erro registrado durante as gravações. Ele destacou também o trabalho do Ministério da Defesa, que atendeu com rapidez a todos as solicitações para evitar vandalismo na rede e garantir o funcionamento total. “Foi um trabalho conjunto fundamental para garantir a entrega do serviço”, ressaltou.
O diretor técnico Paulo Kapp também ressaltou a robustez da rede, que chegava em todas as arenas por duas ou três rotas diferentes, para garantir o transporte de todos os dados das transmissões.
A Telebras utilizou na construção deste anel óptico equipamentos de última geração, para garantir uma alta qualidade e confiabilidade na transmissão dos vídeos, como ocorreu na Copa das Confederações, no ano passado. Para garantir a alta qualidade das imagens, foram utilizados links redundantes de 30Gbps, conectando todos os estádios participantes do torneio ao IBC no Riocentro. Esses links garantiram uma qualidade acima do praticado hoje no mercado de telecomunicações, que, conforme exigência da FIFA, atingiu o patamar mínimo de disponibilidade de 99,99%. A qualidade dos serviços executados pela Telebras, que permitiu transmissões de padrão internacional na Copa das Confederações, foi elogiada pelo próprio comitê organizador da FiFA, informa a estatal. A tecnologia utilizada para iluminar as fibras é o DWDM (Dense Wavelengh Division Multiplexing), com equipamentos desenvolvidos no País, e que permite a transmissão simultânea de diversas programações em alta definição (HDTV).
Essas infraestruturas se incorporam à rede da Telebras e, segundo Ziober são o legado para utilização no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), oferecendo banda larga de alta velocidade a preços mais baixos, além de servirem para atendimento às redes de governo. A Telebras afirma que já está também negociando com os administradores dos estádios a manutenção dos equipamentos nas salas técnicas, para uso futuro na transmissão de jogos do Campeonato Brasileiro e também de outros eventos. Também está sendo negociada parcerias com empresas que detêm direitos de transmissão para fornecimento desses serviços pela rede óptica. Ao todo foram investidos até o momento R$ 89,4 milhões com a implantação de infraestrutura de fibra óptica para atender as demandas da Copa do Mundo de 2014. Este valor engloba os dispêndios de 2012, 2013 e os cinco primeiros meses deste ano.