• PT
  • EN
  • ES

Rede Única para transmissão digital nas TVs públicas

*Roberto Perrone

No final de dezembro, a EBC realizou consulta pública para averiguar, por meio de um Edital de Licitação, as empresas nacionais e estrangeiras interessadas na construção de uma rede única, responsável por fornecer toda a infraestrutura para a transmissão digital nas TVs públicas do país. Nos dias 27 e 28 de janeiro, a EBC organizou duas audiências públicas, no Rio de Janeiro e em Brasília, com o objetivo de levantar dúvidas dos empresários sobre as diretrizes da Parceria Público-Privada (PPP), que será firmada entre a EBC e as empresas. Ao todo, foram levantadas 50 perguntas nas audiências, em adição às 18 recebidas pela EBC via internet. As dúvidas mais freqüentes foram: a segurança jurídica do acordo, e as especificações exigidas para o funcionamento da RNTVPD; o Operador Único para sinal digital nas TVs Públicas. Até abril, as dúvidas serão filtradas e respondidas para elaboração do Edital de Concorrência, última etapa antes de começarem as obras. A empresa ou consórcio vencedor na concorrência vai construir a rede única que será gestada pela EBC. O projeto ficará em vigor por 20 anos prorrogáveis, segundo as normas das PPP’s.

CTIC abre chamada pública
O Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Tecnologias Digitais para Informação e Comunicação (CTIC) anunciou chamamento público para que grupos de pesquisa e desenvolvimento em tecnologias digitais de informação e comunicação apresentem propostas de projetos em tecnologia e soluções para suporte a conteúdos digitais aplicados ao Sistema Brasileiro de TV digital (SBTVD). As propostas serão recebidas até o dia 28/2. De acordo com a RNP, responsável pelo CTIC, devem focar a formação do arcabouço tecnológico para a confecção e o processamento avançados de conteúdos digitais no SBTVD, tais como distribuição e armazenamento, entre outros. A proponente deverá ser uma Instituição de Ensino Superior ou de Pesquisa, pública ou privada, sem fins lucrativos, cujos pesquisadores e grupos de pesquisa sejam capazes de trabalhar em ambiente de operação em rede. Os projetos submetidos à pré-seleção devem ter orçamento máximo de R$ 150.000,00 cada, com prazo de realização entre 12 e 18 meses. Acesse http://www. rnp.br/noticias/2010/not-100122.html

Nove milhões de TVs 3D até 2012
A empresa de pesquisa DisplaySearch acredita que serão vendidos em todo o mundo até 2012 cerca de 9 milhões de aparelhos de TV 3D. Isso representa apenas uma fração do mercado mundial de televisores calculado em milhões de aparelhos. Vários fabricantes lançaram modelos na Consumer Electronics Show, feira de eletrônicos, de Las Vegas. Veja texto nesta edição. Fabricantes tem feito parcerias com produtores de conteúdo e distribuidores para intensificar as opções, já que o mercado de programas em 3D ainda é escasso. (da Reuters)

Esqui com óculos de 5 MP
Os esquiadores podem contar com uma novidade tecnológica. Trata-se do Summit Series D1, óculos protetores que possuem uma câmera de 5 MP acoplada ao acessório.O objetivo é o mesmo de outros óculos que protegem a vista contra a iluminação intensa da neve e outras impurezas. Mas o lançamento da empresa americana Liquid Image também tira fotos e grava vídeos, que contam com resolução de DVD (720 x 480 pixels). A bateria interna recarregável dura aproximadamente 2 horas de vídeo e armazena até 2200 fotos. A memória interna pode chegar até 16 GB. O produto chega ao mercado nos Estados Unidos em julho, estimado em US$ 149.

Picoprojetores
Algumas empresas estão apostando em exibir imagens de TV em escala muito reduzida, por intermédio de pequenos aparelhos de celular. São os chamados picoprojetores. Mas ainda são raros os produtos comerciais equipados com ele. Há promessas bastante ambiciosas de uma série de empresas em lançar produtos nessa linha. Já existem empresas que apresentaram recentemente projetores do tamanho de um sabonete que reproduzem imagens límpidas utilizando tecnologia a laser. A aposta é que essa tecnologia será logo incorporada em aparelhos como câmeras e celulares. As expectativas são de que essa tecnologia será incorporada na mesma velocidade a exemplo das câmeras fotográficas nos celulares.

Televisão quadricromática
Está chegando a TV quadricromática. Até então, as TVs trabalham como três cores: vermelho, verde e azul, gerando o RGB. Agora, com a adição do amarelo, se consegue uma variação cromática bastante elevada, podendo chegar a trilhões de cores na tela. Os televisores com essa tecnologia usam retroiluminação (backlight) LED. A tendência é ter uma fidelidade muito maior da cor original da cena.

*Roberto é editor da Revista da SET
Revista da SET
 ANO XXI – N.112 – JAN/FEV 2010