• PT
  • EN
  • ES

Qualidade e diferencial na CeBIT 2007

EVENTOS
A MAIOR FEIRA DE TECNOLOGIA DO MUNDO BATE RECORDE DE PÚBLICO E APRESENTA NOVIDADES PARA CLIENTES EMPRESARIAIS, USUÁRIOS PARTICULARES E O SETOR PÚBLICO.

Qualidade e diferencial na CeBIT 2007

da Redação

CeBIT 2007Dando continuidade à extensa lista de eventos tecnológicos que ocorrem anualmente, em todo o mundo, a CeBIT (Centrum der Büro und Informationstechnik) uma das maiores feiras em potencial de negócios, evidencia tendências, inovações e oportunidades, em sua 21º edição, realizada entre os dias 15 e 21 de março, em Hannover, Alemanha.
Entre os 480 mil visitantes que puderam vislumbrar a diversidade de opções de última geração da atração, encontravam-se clientes corporativos e consumidores finais, o que permitiu a exposição de produtos que iam desde CRM, VoIP e RFID a TVs de alta definição, câmeras digitais e aparelhos de DVD.
Com seus mais de 6 mil expositores, provenientes de 77 países, a feira que este ano homenageou a Rússia como “nação inovadora” da área de tecnologia de informação, movimentou aproximadamente 11 bilhões de euros em negócios, o que não foi surpresa, devido sua grandiosidade tecnológica. A Technovision, por exemplo, embora seja uma empresa especializada em displays de rua, apresentou um televisor LED de alta definição, com 205 polegadas, enquanto a AMD anunciou o sistema Active TV Technology, que permite ao usuário, através de um controle remoto, enviar conteúdo de seu PC para sua TV, utilizando apenas redes domésticas, como o sinal sem fio 802.11b/g, ou o padrão PowerLine.
Ainda explorando o mercado de interação entre PC e TV, a Microsoft levou à feira uma plataforma chamada IPTV Edition, software que roda em decodificadores digitais – semelhantes aos de TV a cabo – só que conectados à Internet via cabos de rede, onde é possível navegar por menus com a grade de programação, acessar conteúdos do PC e fazer ligações telefônicas, além de ver e editar fotos, ouvir músicas, ler e-mails e mensagens SMS, tudo na tela da TV.
Já a empresa austríaca g.tec demonstrou uma aplicação englobando ciência e tecnologia, que mais parecia ficção científica, mas que promete transformar a maneira como usamos computadores e jogamos videogames, ou até mesmo auxiliar pessoas que possuem dificuldades de comunicação. O sistema BCI, através de um capacete com eletrodos, transforma sinais elétricos do cérebro em comandos para micros e games, no entanto, o software precisa ser treinado por seguidas horas para ler corretamente os sinais.
Temas como telefonia pela web, convergência de TV com celulares, casas inteligentes, IPTV, Internet pelo celular (com velocidade de até 7,5 megabits por segundo) e, sobretudo, tecnologias sem fio, também foram bastante discutidos por empresas como a Samsung, que incluiu, em sua nova versão de porta-retratos, a tecnologia Wi-Fi, para encontrar e se conectar a um PC rodando sistema operacional Windows Vista e exibir fotografias armazenadas no Windows Media Player 11, ou baixadas por RSS (Really Simple Syndication) de sites da web. Contudo, o assunto segurança não passou despercebido e a Europa, através da Comissão Européia, formou um grupo de aconselhamento sobre o uso de etiquetas de radiofreqüência (RFID) para discutir a regulamentação e os cuidados na adoção da tecnologia, quanto sua segurança e privacidade.
O Brasil também teve presença importante na feira, já que, através de 21 estandes, pode divulgar soluções de TI e softwares, através de empresas como a 3Corp Technology, a Quality Software, a Zênite e a Itautec. Pode parecer pouco diante dos quase 170 expositores vindos da Rússia, ou dos quase 3 mil da própria Alemanha, porém, a presença brasileira foi um passo muito importante para sua internacionalização no mercado.