• PT
  • EN
  • ES

Plano de trabalho para 2010

Por Fabrício Corrêa de Araújo Oliveira*
O Grupo Relator de Radiocomunicações 6 (GRR 6) já tem o seu Plano de Trabalho para 2010. Durante o ano, o grupo deverá realizar quatro reuniões, sendo uma delas, durante o Congresso da SET em São Paulo. As outras três reuniões ocorrerão na sede da Anatel em Brasília. Veja o calendário das reuniões abaixo:

Reuniões internacionais
O GRR 6 é responsável pela preparação da administração brasileira para as reuniões da Comissão de Estudos 6 (SG 6) do ITU-R (Setor de Radiocomunicações relação à Recomendação. Espera-se que esses estudos estejam concluídos antes da próxima reunião. da ITU), do Comitê Consultivo Permanente II (CCP. II) da CITEL e do Sub-grupo de Trabalho 1 (SGT. 1) do Mercosul. Veja a seguir o calendário de reuniões desses grupos:

Principais Assuntos
Durante o ano de 2010, o GRR 6 pretende contribuir com diversos assuntos discutidos nos fóruns internacionais de que participa. Entre esses temas, destacam-se:
uma nova versão da Recomendação ITU-R BS.1770, que especifica o método de medição do volume de áudio de programas de TV e rádio. A decisão ficou para a próxima reunião da 1 Setor de Radiocomunicações da União Internacional de Telecomunicações,
• critérios e modelos adequados ao planejamento da TV digital terrestre, considerando tanto a recepção fixa, quanto a móvel e a portátil;
• requisitos e especificações de receptores de TV digital, além de metodologias para avaliação de conformidade de receptores;
• características das antenas usadas na recepção de TV digital em UHF;

Aprovou-se uma nova Recomendação que especifica práticas operacionais relacionadas ao volume de áudio a serem seguidas por ocasião da produção de programas para televisão digital voltados para intercâmbio internacio – nal. Basicamente, a nova Recomendação estipula que os programas comercializados internacionalmente devem Telecomunicações, organismo da ONU para as Telecomunicações.
• proteção dos serviços de radiodifusão terrestre contra interferências produzidas por outros serviços de telecomunicações;
• estudos sobre radiodifusão sonora digital;
• interatividade de TV digital, dando continuidade à divulgação do GINGA nos fóruns internacionais;
• elaboração de um manual (handbook) da ITU sobre sistemas de TV digital;
• metodologias para a avaliação de qualidade de vídeo para TV digital;
• medição de volume de áudio em serviços de radiodifusão.

Comissões Brasileiras de Comunicações (CBCs)
As Comissões Brasileiras de Comunicação (CBCs) são formadas com objetivo de viabilizar um ambiente para discussões dos posicionamentos nacionais sobre o tema, permitindo que a Administração brasileira atue de forma coordenada e integrada nos foros internacionais de telecomunicações, como da União Internacional de Telecomunicações (UIT-T, UIT-R e UIT-D), Citel ,Mercosul e de outros organismos internacionais. A participação é aberta aos segmentos públicos e privados com interesse direto no setor de telecomunicações e a especialistas que possam prestar colaboração nesta área. Mais detalhes podem ser acessados pelo site http://www. anatel.gov.br/Portal/exibirPortalInternet.do#.

*Fabrício é líder do GRR 6 – Radiodifusão – CBC2 – Especialista em Regulação – Anatel- fcaoliveira@ anatel.gov.br– (61) 2312-1656
Revista da SET
 ANO XXI – N.112 – JAN/FEV 2010