• PT
  • EN
  • ES

O maior fórum tecnológico do País

Esperando um número recorde de visitantes, o Congresso SET 2013 vem com a força para sagrar-se como maior fórum de debate sobre tecnologia broadcast do Brasil.

Nº 135 – Agosto 2013

Por Flávio Bonanome

NOTÍCIAS

Programado para acontecer entre os dias 19 e 22 de agosto, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, o Congresso SET 2013 chega para o mercado de broadcast em um momento essencial na difusão de informação. O evento acontece em espaço dedicado no centro de exposições, com quatro salas reservadas onde acontecem os paineis em quatro diferentes horários: das 9h às 11h; das 11h30 às 13h30; das 15h às 17h; das 17h30 às 19h30.
Com um cenário cheio de novidades, sobre tudo no que diz respeito à tecnologia e política, o último ano foi marcado por muitas discussões ferrenhas dentro do mercado: Transferência da banda dos 700 mHZ para telefonia móvel, legislação de Loudness e novas regras para incentivo da produção nacional são só alguns deles. É exatamente por isso que esta edição do Congresso SET vem a ser tão emblemática para todos os que pretendem participar dos paineis do evento. “Sem sombra de dúvida este é um momento em que a SET precisa cada vez mais transmitir informação e conhecimento para o mercado”, afirma Olímpio José Franco, presidente da entidade.
Para atingir tal meta, o Congresso traz ao todo 45 painéis com até 7 palestrantes cada. São mais de 90 horas de palestras sobre os mais variados temas concernentes à tecnologia de radiodifusão, produção áudiovisual e geração e transmissão de conteúdo através de diferentes meios, seja em mídia tradicional ou seguindo novas tendências como OTT, VOD e IPTV. Além das palestras, acontecem ainda, durante o Congresso, uma porção de paneis de destaque, como por exemplo o “Encontro do ISDB Internacional”, moderado por Olímpio José Franco, presidente da SET. O grupo pretende cobrir os principais casos de implantações do padrão ISDBT conhecidos nos últimos anos por redes de emissoras e evoluções acontecidas em alguns países. “Queremos destacar as evoluções dos trabalhos de harmonizações de normas do ISDBT Internacional para Hardware, Middleware e norma para EWBS. Pretende-se também abordar o futuro da TV Digital e o cenário de dificuldades de espectro que se mostra em futuro não tão distante”, afirma o moderador.
Outro destaque do dia fica por conta do painel sobre Fluxo Digital, Big Data e Cloud Computing, temas da entrada do mundo TI dentro do broadcast. Cada vez mais os fluxos de trabalho com mídias digitais devem ser otimizados com o objetivo de proporcionar maior agilidade de produção, maior qualidade e menor custo possível e acompanhando as tendências de consumo de mídia.

A quantidade de dados a serem gerenciados e controlados cada vez aumenta mais nas emissoras e com isso uma maior complexidade nos projetos de engenharia. Dentro das emissoras as informações são geradas exponencialmente, com isso a capacidade de processar e gerenciar tantas informações se torna primordial para os fluxos de trabalho atuais. Temos que cada vez tratar um maior volume de dados, com grande velocidade e acessível de qualquer lugar. Por sua vez, os telespectadores estão interagindo cada vez mais com a “segunda tela”, gerando comentários, informações e dados importantes sobre o conteúdo assistido e também estão consumindo mais mídia diretamente na Internet.
Nesta sessão será discutido o “estado da arte” por profissionais com grande experiência nestas soluções tecnológicas para o gerenciamento do fluxo de mídias e dados, o Big Data e Cloud Computing no mundo do Broadcast, os novos desafios da engenharia para a infra- estrutura digital e as tendências tecnológicas.
Já no segundo dia, o destaque fica por conta da cerimônia de abertura do Congresso, coordenado pelo Presidente da SET, mas que contará também com a presença de Gordon H. Smoth, presidente e CEO da NAB. Durante o evento, o ex-senador americano apresentará um Keynote onde vai partilhar esforços da NAB através dos Estados Unidos para garantir que estações de rádio e televisão completem suas missões de preservar valores críticos que são o fundamento dos ideais da democracia. Ele também abordará como avançar com a tecnologia de broadcast e promover os interesses das estações nas questões políticas como leilões de espectro, e o suporte às estações com o compromisso de ser seus olhos e ouvidos.
Ainda neste mesmo dia, haverá um painel dedicado à explicações do cronograma e tecnologia relativos ao desligamento final da TV analógica. “A TV Digital é uma realidade para o Brasil. Definimos um padrão que figura entre os melhores do mundo, sendo inclusive adotado pela grande maioria dos países na América Latina. Agora temos o desafio de implementar toda a malha de distribuição de sinal digital no país e seus serviços complementares (SARC e Ancilares). Trata-se de uma mobilização dos radiodifusores, indústria, entidades de classe e órgãos reguladores. Vislumbra-se a antecipação do switch off para 2015 em diversos municípios, incluindo as capitais e cidades interioranas. O cenário é desafiador, com um horizonte curto, onde grandes investimentos e readequação de infraestrutura serão necessários. O telespectador precisará ser informado e adquirir novos receptores. Como orquestrar toda essa rápida migração?”, questiona o moderador Ivan Miranda, da SET e RPC.
A quarta-feira ganha destaque com o painel da FoB TV (Future of Broadcast Television), moderado por Liliana Nakonechyj. A iniciativafoi criada em abril de 2012 pelas principais organizações mundiais de TV, visando estabelecer para próxima a geração um sistema de transmissão de televisão unificado. O Comitê Técnico do FoB TV formou dois grupos de trabalho para delinear os objetivos do fórum: “Para estabelecer requisitos comuns para um novo padrão de transmissão terrestre, aplicável a dispositivos móveis e compatível com conectividade internet, Ultra HDTV e novos sistemas de codificação como HEVC”.
Outro destaque do dia é o painel sobre Loudness coordenado por Alexandre Sano. Responsável pelo grupo de estudos do assunto da SET, o engenheiro, e seus palestrantes convidados, devem ter uma sessão cheia, levando em conta a recente lei de regulamentação do Loudness que entrou em vigor no último mês de Julho.
Ainda na mesma quarta-feira, há um painel dedicado ao debate sobre os desafios da convivência entre o 4G LTE e ISDB-T. Entre os temas debatidos estão “Interferência na DTV LTE 700 MHz Banda de guarda plano de canal.
Análises de convivência dos sistemas de televisão digital terrestre e o sistema Long Term Evolution (LTE), em faixa de frequência atribuída em 700 MHz. Parte- -se de um benchmarking internacional, em dados secundários, a fim de levantar informações e descrever o problema das interferências da implantação do LTE, sobre a TV digital. Os países analisados são a Austrália, a França e o Reino Unido. Observam-se medidas de mitigação da interferência. Segue-se com testes laboratoriais, descrevendo-se a metodologia que permite destacar a coexistência temporária, em sobreposição espectral, dos dois sistemas para o contexto brasileiro e identificar e quantificar interferências entre o LTE e a TV digital. Avaliam-se canais de TV, eNodeB e User Equipment. Avalia-se a banda de guarda e a viabilidade de se atribuir o LTE conforme alocação proposta pela APT. Exercitam-se configurações da TV e do LTE, através de sinais gerados nos respectivos padrões das tecnologias ISDB-Tb e LTE avaliando sua repercussão na convivência dos sistemas. Por fim, apresentam-se estudos de caso com emissoras reais, analisando as medidas de mitigação e controle de interferências.”
No último dia, o destaque deve ficar por conta da sessão de André Barbosa, da EBC, que modera um painel sobre a TV Digital como instrumento de inclusão social. A mesa, vai discutir os maiores especialistas do país, o mundo da interatividade na TV, seu desenvolvimento, questões a solucionar e possibilidades de aplicações de vídeos interativos nos países que já adotaram o standard ISDB-Tb a partir dos conhecimentos adquiridos no projeto homônimo realizado em João Pessoa na Paraíba com cem domicílios cujos moradores estão inscritos do programa Bolsa Família.
Seguindo, há ainda um painel coordenado por David Brito da TQTVD sobre a harmonização entre broadcast e broadband. O painel contará com a palestra do representante da NHK Masaru Takechi, que falara sobre “istema de transmissão híbrido ou sistema BROADCAST- BROADBAND INTEGRADO (IBB) é um sistema construído sobre combinação de recursos e características das transmissões broadcast e broadband. Este sistema permite a entrega de informações para a massa de telespectadores de forma mais eficiente e atendendo as necessidades individuais.
Este sistema também possibilita oferecer serviços mais atrativos e flexíveis, empregando ambiente de computação distribuída e recuperação de informação sob demanda.
A aplicação Web é uma das tecnologias preferenciais para este sistema. Ao usar o HTML5, se torna fácil fornecer apresentação rica, empregar processamento do servidor, reproduzir conteúdo VoD, etc Considerando-se esses recursos de HTML5, o Hybridcast, o sistema IBB usando HTML5, foi recentemente padronizado no Japão.
Nesta palestra apresentaremos, visão geral do sistema Hybridcast, incluindo seu modelo de sistema, modelo de aplicação, os comportamentos do receptor e resumo das APIs adicionais e alguns exemplos de serviços são discutidos Na palestra também mencionaremos um mecanismo para acompanhar as funções do dispositivo, como um tablet”.
Claro que, além das mesas destacadas, muitos outros temas serão abordados durante o evento. Haverão painéis concernentes ao espectro, produção áudiovisual, produção do áudio para televisão, técnicas de posicionamento de antenas, enlace de satélites, etc.

Flávio Bonanome
Revista da SET.