• PT
  • EN
  • ES

O Futuro da TV

FOBTV

A presidente da SET, Liliana Nakonechnyj, representou a entidade na conferência Future of Broadcast TV Summit (FOBTV – Futuro da Televisão Mundial), que aconteceu em Xangai, entre os dias 10 e 11 de novembro. O evento contou com a participação de emissoras e associações de televisão, laboratórios de pesquisa e organizações de padronização de diferentes regiões do mundo, que se reuniram para discutir e desenvolver um plano visando a evolução e a revolução da televisão aberta.

Nesse momento decisivo para a evolução da radiodifusão, a SET teve uma participação ativa no evento apoiando o desenvolvimento de um conjunto de padrões eficientes que facilitem a disponibilidade mundial do espectro para radiodifusão. Segundo Liliana, “a digitalização abriu a porta para um renascimento da radiodifusão. O setor se reuniu para explorar novas formas de cooperação e buscar a unificação progressiva dos padrões e reduzir a fragmentação do sistema”.

Como a radiodifusão é um meio muito eficiente para a entrega de conteúdo em tempo real, um dos objetivos da FOBTV é atingir um patamar ainda mais elevado de escalabilidade e qualidade com um sistema configurável, adaptável e interoperável. Do lado da recepção almejam-se receptores fixos, móveis e portáteis universais.

O século 21 é a era da convergência entre radiodifusão, internet e comunicações, as quais evoluíram em paralelo nas últimas décadas. Para os especialistas que participaram do evento, o desenvolvimento da tecnologia digital abre a possibilidade de cooperação entre todas as diferentes redes e sistemas de transmissão proporcionando serviços mais convenientes para os usuários.

Requisitos dos sistemas futuros de televisão
Os participantes consideraram de importância crítica a mobilidade e o seu funcionamento através das fronteiras e em diferentes redes de comunicações. Foram também reconhecidos os benefícios da implantação de sistemas de alta resolução para uma representação mais realista do conteúdo multimídia e de serviços amigáveis para os usuários com necessidades especiais. Sem falar na a colaboração entre radiodifusão e banda larga a qual desempenhará um papel vital na criação de serviços atraentes à nova geração de telespectadores. A indústria da transmissão está empenhada em desenvolver as tecnologias necessárias para criar e entregar novos serviços de informação e, também, para desempenhar um papel relevante em situações de emergência.

Unificação dos padrões de televisão
O resultado deste primeiro evento foi o fortalecimento da cooperação entre empresas de radiodifusão, comunicações e fabricantes de equipamentos de transmissão e de todos os tipos de receptores e conduzindo a cooperação entre sistemas de comunicação e radiodifusão, tanto em nível tecnológico como de negócios.

Entusiasmada com os resultados do primeiro encontro, Liliana afirmou: “Ao reconhecer os benefícios do conjunto de ferramentas comuns com suporte mundial, a conferência abriu o caminho para se aproveitar plenamente as vantagens dos diferentes sistemas tecnológicos, com o objetivo de explorar exaustivamente a convergência e a integração tecnológica em escala mundial.”

Ao final do evento, os participantes do Summit assinaram um termo final formalizando o resultado do evento. No documento eles defendem três grandes iniciativas: Definir os requisitos dos futuros sistemas de transmissão terrestre; Exploração unificada dos padrões de transmissão terrestre; Promover a partilha global de tecnologia. De acordo com o documento o objetivo é promover a cooperação global para definir novos requisitos, unificar vários padrões e promover a partilha de tecnologias para beneficiar os países desenvolvidos e subdesenvolvidos e conservar recursos. Veja a íntegra do documento na página:http://www.nercdtv.org/fobtv2011/PDF/FoBTV_Joint_declaration_final_with_signatures_ en.pdf

Ana Eliza é Gerente de Engenharia da TV Globo e Vice-diretora Editorial da SET . email: ana.eliza@tvglobo .com .br