• PT
  • EN
  • ES

O avanço das TVs Educativas em Minas Gerais

TVEDUCATIVA

“As TVs educativas de Minas Gerais têm um papel determinante na consolidação dos valores mineiros de forma homogenia em todos os cantos de Minas”, assim definiu o trabalho das TVs educativas, o vice-governador de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho, durante o I Seminário de TVs Educativas do Estado de Minas Gerais. Promovido pela Rede Minas de Televisão com o apoio da Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt), o evento foi destinado à discussão sobre a participação e o intercâmbio das instituições de todas as regiões inseridas na programação da Rede Minas e a capacitação de profissionais de TV.

Para o presidente da Amirt, Agostinho de Rezende Campos, o encontro cumpre com o papel de integração da associação. “É com grande satisfação e orgulho que a Associação Mineira de Rádio e Televisão (Amirt), participa e apoia este I Seminário realizado pela Rede Minas de Televisão. Não nos custa lembrar que quando criamos nossa diretoria de TVs, imaginamos realizar em Minas Gerais um modelo de gestão entre nossas TVs diferenciando, criando o conceito da integração entre as diferentes regiões de nosso Estado, com troca permanente de conteúdos, além da divulgação ampla das notícias mineiras de forma integrada e compartilhada em todas as regiões de nosso Estado, cumprindo o papel de uma rede educativa e integradora”.

“O 1º Seminário abriu caminho para novas parcerias entre a Rede Minas e as afiliadas, fortalecendo o jornalismo mineiro e a variedade da grade de programação, tanto pela capacitação de pessoal no interior, quanto pelo bom resultado do intercâmbio de reportagens e produções entre as emissoras”, afirmou Hugo Teixeira, diretor executivo da Associação de Desenvolvimento da Radiodifusão de Minas Gerais (ADTV).

De acordo com Rosália Dayrell, coordenadora de comunicação integrada da Rede Minas, “em outras gestões também aconteceram esses eventos, mas não eram pontuais. A idéia é fazer outros seminários e inseri-los no calendário da Rede Minas. Com uma programação pré definida poderemos discutir previamente a pauta para a próxima edição, visando sempre as necessidades, principalmente, no tocante a TV digital, que no interior ainda não aconteceu”.

A programação
Durante dois dias, foram apresentadas sete palestras com temas voltados para TVs educativas ministradas por representantes de entidades do setor, do governo federal e diretores da Rede Minas.

O diretor de Outorga do Ministério das Comunicações, Dermeval da Silva Júnior, em sua palestra “Legislação e Processo de Digitalização da TV Educativa” falou sobre o arcabouço normativo que delineia a radiodifusão educativa até a portaria 256/2011 que estabelece o processo administrativo seletivo para a análise de outorgas de concessão, permissão e autorização do serviço. Sobre TV digital ressaltou os prazos limites para manifestação das emissoras Geradoras – 31 de dezembro de 2011 – e retransmissoras – 31 de dezembro de 2012 – para apresentação de projeto, instalação e licenciamento. Ele também alertou para o não cumprimento dos prazos que demonstra desinteresse da emissora na continuidade da execução do serviço – itens da portaria MC 652/2006. Apresentou também as ações do Ministério para a análise do estoque de processos e do planejamento do switch off. “Foi um evento muito interessante, no qual tive oportunidade de interagir com o radiodifusor mineiro, no intuito de entender suas dificuldades e angústias”.

A TV digital também foi pauta do seminário. Sob o tema “Implantação de TV Digital Terrestre”, o diretor técnico da Rede Minas, Luiz Meireles, abordou todos os aspectos técnicos que envolvem o processo de implantação do sistema terrestre. Em outra palestra, o diretor também falou sobre o Sistema de Transferência de Arquivos e de Mídia (FTP), buscando uma uniformização na troca de matérias e conteúdos entre a Rede Minas e suas afiliadas.

Bons resultados
O I Seminário superou as expectativas dos organizadores. Cerca de 80 representantes de trinta TVs educativas do interior de Minas Gerais compareceram ao evento. Outro ponto positivo foi a transmissão ao vivo pela internet. O site da Rede Minas registrou 840 visualizações em tempo real e o tempo médio de visitas à página da emissora foi de 5 minutos. Foram visualizados acessos a partir de Belo Horizonte, Brasília, Carmo do Paranaíba, Coronel Fabriciano, Divinópolis, Espírito Santo do Pinhal, Guaxupé, Januária, Juiz de Fora, Patos de Minas, Presidente Olegário, Rio de Janeiro, São Paulo e São Sebastião do Paraíso.

Na opinião de todos, o seminário foi uma boa oportunidade para esclarecer dúvidas dos radiodifusores do interior e saber melhor sobre as normas vigentes, que regem a TV educativa. O encontro foi uma oportunidade para que os profissionais discutam a legislação e o processo de digitalização das TVs educativas.

O Seminário aconteceu entre os dias 28 e 29 de agosto em Belo Horizonte e contou também com a presença de representantes do Ministério das Comunicações, da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel),do governo estadual, da Fundação TV Minas Cultural e Educativa (FTVM), Amirt e ADTV.

 

Gilmara é editora da Revista da SET. E-mail: gelinska@gmail.com