• PT
  • EN
  • ES

Normas brasileiras sobre TV digital podem tornar-se referências mundiais

*GRR-6
Revista da SET – ed. 107

A Comissão de Estudos 6 – Radiodifusão, do Setor de Radiocomunicações da União Internacional de Telecomunicações (UIT-R) aprovou, na primeira semana de maio (7 e 8), mudanças em suas recomendações que transformam as normas brasileiras de televisão digital terrestre em referências mundiais. As normas produzidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) em conjunto com o Fórum Brasileiro de TV Digital terão para a UIT o mesmo status das normas editadas por órgãos como o Instituto Europeu de Normalização das Telecomunicações (ETSI).

As propostas apresentadas pelo Grupo Relator de Radiocomunicações 6 (GRR6) da Comissão Brasileira de Comunicações 2 (CBC2) e pelo Japão visaram a incluir as modificações brasileiras ao sistema de televisão digital japonês (ISDB-T) em recomendações da UIT-R. Na Recomendação BT.1699 “Harmonização dos formatos de conteúdo declarativo para aplicações de TV Interativa” passarão a ser encontrados aspectos técnicos do Ginga-NCL – que compõe o padrão digital adotado no Brasil – contidos na Norma ABNT NBR 15606-2. Na Recomendação BT.1306-3 – “Métodos de Correção de Erros, Data Framing, Modulação e Emissão para Transmissão de Televisão Terrestre Digital”, haverá requisitos do sistema ISDB-T, contidos nas Normas ABNT NBR 15601 a 15607 (http://www.forumsbtvd.org.br/materias. asp?id=112). O processo de aprovação deve ser finalizado até o final do ano, com a publicação das normas da ABNT, após a tradução dos textos nas línguas oficiais do órgão (inglês, árabe, chinês, espanhol, francês e russo) e a aprovação das mudanças por todos os países membros.

A delegação brasileira que atuou nas reuniões das comissões de trabalho da Comissão de Estudos 6 foi composta dos seguintes participantes do GRR6 da CBC2 (e-mail: cbc2@ anatel.gov.br): Pedro Humberto de Andrade Lobo, gerente de Regulamentação Técnica e Administração de Planos da Superintendência de Serviços de Comunicação de Massa da Anatel e vice-coordenador da CBC2; Jayme Marques de Carvalho Neto, Coordenador- Geral de Acompanhamento de Outorgas dos Serviços de Comunicação Eletrônica do Ministério das Comunicações, Ana Eliza Faria e Silva, Coordenadora do Módulo Técnico do Fórum SBTVD e Líder do Sub-grupo Relator de Radiocomunicações GRR 6.1 – Serviços de Radiodifusão – da CBC 2, Antônio Jorge Barros Lima Oliveira Andrade, especialista em regulação da Superintendência de Radiofrequência e Fiscalização da Anatel e Flávio Lima Ferreira, engenheiro do Ministério das Comunicações.

*Grupo Relator de Radiocomunicações – Radiodifusão
cbc2@anatel.gov.br