• PT
  • EN
  • ES

NBA no Brasil

 

Casablanca Online em parceria com a norteamericana NEP produziram o sinal internacional e das telas gigantes do pavilhão do primeiro jogo de basquete da maior liga do esporte do mundo realizado no Brasil. O jogo foi realizado no Rio de Janeiro e transmitido para todo o planeta.

Nº 139 – Dez 2013 e Jan 2014

Por Fernando Moura

Reportagem

confronto entre Washington Wizards e Chicago Bulls realizado na Arena HSBC no dia 12 de outubro de 2013, contou com a presença de 13 mil espectadores, e foi transmitido ao vivo da capital fluminense para todo o mundo contando com todos os detalhes de uma partida normal da NBA realizada em território norte-americano.
O NBA Global Games Rio fez parte dos jogos de exibição da pré-temporada da Liga Norte-americana e, segundo os representantes do canal ESPN Brasil — dono dos direitos de transmissão do jogo no País esta cobertura não ficou nem um pouco atrás do espetáculo que eles organizam nos Estados Unidos. “Sem dúvida, pode ser considerada uma transmissão que entrou para a história pela singularidade e qualidade do produto apresentado”.

Infraestrutura
A realização da cobertura Host Broadcast foi feita com uma equipe composta por mais de 30 profissionais. Assim, a Casablanca Online deslocou duas unidades móveis para o Rio de Janeiro, uma para fazer a captação do sinal oficial e outra para a geração de conteúdos para os telões instalados no interior da Arena.
Assim, para a realização do evento, em parceria com a NEP, foram enviadas a unidade móvel de produção HD, BR1, para a captação do sinal principal do evento transmitido pela ESPN Brasil e todas as emissoras do mundo com direitos de transmissão, e a UMHD Casa 23 para produzir a captação das câmeras especiais para o telão “trabalho em que os próprios organizadores do evento faziam a direção da cobertura do show dos mascotes, das teamleaders, torcida e muito mais”, explicou Alexandre Minghini, gerente de marketing da Casablanca Online.
Para Marcio Fachim, engenheiro responsável pelo BR1, o projeto “estava muito bem alinhado junto ao cliente, o que garantiu minimizar os desafios encontrados. Além de perder algumas noites estudando o TechBook da NBA 2013, já estamos familiarizados com as exigências de qualidade da ESPN Brasil e isso tudo ajudou no resultado final”, comentou.
Para a cobertura desta partida de basquete foram utilizadas 11 câmeras LDK 8000, uma LDK 6200 (Super Slow), duas microcâmeras (uma em cada tabela), quatro sistemas de replay EVS XT com XFile[2], e 20 microfones. Quanto aos microfones, Fachim fez questão de lembrar que “foram utilizados microfones específicos para captar o som da bola nas tabelas e na posição de lance livre”.
Para compor os equipamentos de captação, o engenheiro contabilizou quatro geradores de caracteres, duas objetivas 86x, duas 65x, mais oito grandes angulares. Para realizar a transmissão simultânea para os telões das performances realizadas em quadra, foi utilizada a Casa 23, que é uma UM de produção equipada com mais 3 câmeras LDK 4000.

Montagem do equipamento momentos antes do começo da transmissão no Arena HSBC, no Rio de Janeiro..

Tanto público quanto organização deixaram o HSBC Arena entusiasmados e segundo os executivos da NBA, “esta pode ser classificada como a melhor transmissão feita dentro do projeto da NBA Global Games”. Desafios da simultânea Além de fornecer uma unidade móvel com 14 câmeras, para a realização da transmissão mundial do evento, realizada por uma equipe vinda dos Estados Unidos incluindo cinegrafistas, diretor de TV, operadores de CCU e replays, entre outros; a Casablanca Online ficou responsável por mais três câmeras que fizeram a transmissão simultânea para o telão do evento. “Isso significou três dias de trabalho – um de ensaio, outro no Fan Day, e o dia do jogo”, explicou Fachim.
Como é comum para este tipo de evento, os diretores da NBA forneceram um manual com as dicas para a realização da transmissão e as ações de entretenimento desenvolvidas pela organização durante a partida. Além de incluir posicionamento de câmera (plano de câmera), grafismo e mais tarefas como a entrada de mascotes na quadra, existe um espetáculo a parte que acontece em quadra e é simultaneamente mostrado no telão.
Segundo Marcia Reverdosa, produtora da Casablanca Online, toda esta parte do espetáculo foi previamente alinhada com os responsáveis da NBA. “É impressionante o controle e a organização da equipe deles. A Casablanca Online forneceu dois cinegrafistas bilíngues, três câmeras LDK 4000 e a produtora geral. Vale lembrar que a terceira câmera fornecida pela casa foi operada por um cameraman da própria NBA que ficou responsável pelo plano geral da quadra”.
Responsável pela produção da equipe brasileira, Marcia explicou à Revista da SET que apesar de bastante corrido “foi extremamente prazeroso trabalhar neste evento. Nosso trabalho começou um dia antes do jogo principal. Eles são extremamente organizados, nos forneceram um roteiro durante o ensaio para acertarmos tempo e funções de cada profissional envolvido e no final tivemos uma sensação muito bacana com o resultado”, contou a produtora.
A equipe que trabalho com a UMHD Casa 23 ficou dentro da quadra entrando e saindo das quatro linhas para mostrar de perto a interação das atrações especiais com o público. “Mesmo no Fan Day, que era um dia só para os fãs, dia inclusive que só tínhamos transmissão para o telão, minha equipe foi muito cobrada e por isso tivemos que ensaiar duro um dia antes para estarmos bem alinhados com as atrações que entravam e saiam da quadra para interagir com o público”, explicou a produtora fazendo referência aos mascotes, teamleaders e acrobatas que fizeram um espetáculo a parte no Fan Day e no dia do jogo principal e completou dizendo que foram feitas várias simulações da entrada das teamleaders, dos mascotes e dos times.
Marcia lembra as adversidades que surgiram durante e após o evento principal. “Tivemos demandas inesperadas, que surgiam conforme as necessidades do diretor de TV responsável pelo telão. Um bom exemplo foi a visita inesperada do vice-presidente da NBA ao HSBC Arena e o diretor fez uma série de solicitações que não estavam previstas”, contou.