• PT
  • EN
  • ES

ISDB-T: no Brasil e em outros países

COBERTURA CONGRESSO SET 2012

Por Edson Geraldo Benedito

Este painel foi moderado pelo engenheiro Olimpio José Franco e aberto pelo palestrante Roberto Franco que discorreu sobre o avanço do sistema ISDB no mundo. Após mostrar os membros do staff de radiodifusores, indústria de receptores, transmissores, softwares, universidades e centros de desenvolvimento, passou a demonstrar como está o sistema ISDB no Brasil.

Existem atualmente aproximadamente 220 modelos de receptores de TVD, dos quais cerca de 39 já estão com o sistema de interatividade Ginga integrado. Em relação aos set-top box referiu-se a Zapper com seis modelos, sendo dois com o Ginga também integrado. O sistema já está adotado pela maioria das emissoras brasileiras – EBC, Globo, Gazeta, Record, Rede TV e SBT.

A EBC, a Gazeta, a Rede TV e o SBT têm inseridas em sua programação 24 horas diárias. A Rede Record quatro horas e a Rede Globo quatro horas e meia, totalizando 736 horas semanais e 3.156 horas mensais de interatividade à disposição dos telespectadores.

Comentou-se sobre receptores de TVD para PC, recepção de TV digital em celulares, receptores portáteis e receptores para veículos, todos já a disposição no mercado nacional. A produção de equipamentos de vídeo e áudio no pólo industrial de Manaus analizado a partir do ano 2000, enquanto todos os outros produtos oscilaram para baixo em números de produção, os aparelhos de TV cresceram vertiginosamente, sendo o principal produto eletrônico fabricado na Zona Franca, e tudo leva a crer que com os eventos que deverão acontecer no Brasil nos próximos anos, a tendência é aumentar ainda mais.

Dos aparelhos de TV fabricados em 2007 no lançamento da TV digital, em cada 11 milhões fabricados apenas 10% era plasma ou LCD o restante era CRT e a partir de então houve uma inversão nestes poucos anos passados, pois atualmente devido à migração para a TVD para cada 14 milhões de receptores fabricados menos de 10% são CRT e a tendência é o término deste tipo de receptor. Pois os aparelhos atuais recebem os dois sistemas analógicos e digitais, presume-se que o pico de produção e vendas deverá acontecer entre o final de 2013 e durante 2014, devido aos eventos esportivos que acontecerão no Brasil. Também deverá haver outro avanço na produção, pois conforme as indicações o desligamento do sistema analógico deverá começar pelo Sudeste por volta de 2015. Prevê-se que até o final de 2015 o Brasil terá um total acumulado de 70 milhões de unidades.

Sobre a cobertura atual dos sinais de TV digital, dados nos informam que o Sudeste tem 238 cidades cobertas, o Nordeste tem 54, o Sul tem 127 cidades o Norte e Centro Oeste têm cada uma 17 cidades com cobertura, totalizando 453 cidades recebendo o sinal digital. Possivelmente até a data desta matéria poderão existir mais cidades com este sinal, posto que este seja um avanço irreversível e relativamente rápido.

O ISBT-T Internacional foi constituído em 24 de agosto de 2010 para promover a harmonização das normas técnicas a fim de permitir que os países que adotassem este sistema de TV digital pudessem ter interoperabilidade em seu uso. Fazem parte do comitê os países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, Japão, Nicarágua, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Estes países membros já tiveram diversos encontros para tratar de assuntos referentes ao sistema e ao andamento dos testes e implantações do sistema digital sendo que o primeiro foi em setembro de 2009, em Lima, no Peru, e o mais recente em março de 2012, na cidade de Quito, no Equador. Entre os países que adotaram este sistema estão Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, Japão, Paraguai, Peru, Uruguai, Venezuela. Em fase de testes ou implantação estão Angola, Filipinas, Suriname e Botsuana.

O ISDB-T no Chile
O palestrante Roberto Plass comentou o estado atual das transmissões da TVD no estado chileno. Ele apresentou o programa governamental para a TVD no Chile, os temas regulatórios e o atual andamento, as transmissões da TV digital hoje e sua cobertura. Falou sobre os receptores digitais que se comercializam para as diversas camadas populacionais do país, sobre a missão e os esforços realizados pela “Subsecretaria de Telecomunicaciones” para a expansão de TV digital terrestre, sobre a cooperação e o suporte técnico a pequenos radiodifusores regionais e sobre o desenvolvimento de um Sistema de Alerta de Emergências e seus testes.

Objetivos do Programa Governamental
O programa TVD Chile tem a missão de implantar a televisão digital de recepção aberta, coordenando os envolvidos no processo e facilitando a introdução desta tecnologia pelo país, baseando-se em duas frentes principais: Apoio ao consumidor que visa apoiar e educar o consumidor na migração do sistema de TV analógica para o sistema de TV digital. Para dar apoio ao consumidor foi inserido criado um site que tira dúvidas e dá algumas diretrizes (web tvd. cl)

Os aparelhos receptores de TV digital e os decodificadores de TV recebem selo validado pela SUSTEL (Subsecretaria de Telecomunicaciones) certificando seu uso em recepção de sinais digitais. Ainda como apoio ao consumidor existe no mercado uma oferta de equipamentos para TVD: 282 modelos de televisores, 20 modelos de decodificadores, dois modelos de telefones celulares com recepção de TVD, onze equipamentos portáteis diversos (sintonizadores USB para PC, GPS, TVs portáteis com tela pequena). Os preços médios de alguns destes equipamentos são: TV 32, U$D 328; TV 42, U$D 547; TV > 42, U$D 949; Decodificadores, U$D 40.

Houve uma evolução das vendas de televisores com decodificadores integrados. Em 2010 eram 472.247 unidades (47% do total de TVs vendidas no Chile). Em 2011 o número passou para 846.649 unidades (53% do total de TVs vendidas no Chile). Do início das transmissões da TVD até agosto de 2012 o montante é de 1.637.069 unidades. A projeção de vendas até o final de 2012 é de mais de 2.000.000 de aparelhos com recepção ISDB-TB

Apoio ao desenvolvimento da indústria deste segmento
Os principais objetivos são facilitar o desenvolvimento da implantação da TV digital aberta para retransmissores locais e aumentar a cobertura das transmissões de TV digital aberta para todas as regiões. Os objetivos secundários são apoiar aos canais de TV regionais no uso da nova tecnologia, comprovar os requisitos para a transmissão em formato HD (High Definition), testar a propagação do sinal digital sob as diversas condições geográficas, climáticas e os parâmetros recomendados para a necessária transmissão, e apoiar a elaboração do plano de radiodifusão para a TV digital, mediante o estudo dos locais das coberturas dos sinais digitais, fazer testes também das funções de mobilidade, portabilidade e interatividade que a norma ISDB-TB oferece e, por fim, testar o funcionamento do sistema de alerta para emergências como uma funcionalidade opcional do modelo de TV digital (EWBS).

Desenvolvimento e Habilitações Técnicas
O projeto de desenvolvimento e habilitações técnicas regionais para pequenos e médios radiodifusores tem como objetivo desenvolver as habilitações técnicas de TV digital para os radiodifusores locais e ampliar a cobertura das transmissões de TVD para regiões fora da capital onde já operam as redes nacionais. O convênio de cooperação técnica, que acontece entre a SUBTEL e os radiodifusores que participam do projeto, promove seminários sobre TVD em diversas universidades do país.

Este projeto contempla o empréstimo de equipamentos de transmissores por um período de seis meses equipamentos estes entregues dentro do acordo de cooperação com os governos do Brasil e do Japão. São equipamentos adquiridos pela Subsecretaria de Telecomunicaciones e por parte dos fabricantes interessados em divulgar os seus produtos e colaborar no desenvolvimento da indústria local. A capacitação técnica é fornecida ao pessoal técnico e operador graças aos convênios com o Brasil e com o Japão.

A difusão da TVD à população foi realizada em dois chamados para o projeto em janeiro e junho de 2012. Atualmente está em andamento um terceiro chamado para radiodifusores locais.

Temas Regulatórios: A lei da TV digital no Chile está atrasada em relação à implantação da transmissão terrestre devido a alguns temas que ainda não foram definidos, como por exemplo, prazos de concessão, qualidade e gratuidade dos conteúdos, subsídios do governo, etc. Cidades com coberturas de sinal digital atualmente Além dessas cidades outras receberão os sinais digitais até o final de 2012 e início de 2013: Los Andes – San Felipe, La Serena – Coquimbo, Valparaiso, Osorno, Talca, Rancagua e Puerto Montt. As cidades citadas anteriormente também receberão mais canais de TVD, e muitos destes canais tiveram seus equipamentos subsidiados pela SUBTEL. E tecendo comentários sobre a aplicação do sistema de alarme de emergências, Roberto Plass agradeceu e deu por encerrada sua participação, no painel. Concluindo podemos dizer que na América do Sul só a Colômbia e as Guianas não adotaram o ISDB-T, portanto isso é um incentivo para o setor industrial e ara o desenvolvimento de mais aplicações para este sistema.

 

 

 

Edson é Supervisor Técnico da TV Cultura, SP . E-mail: edsongb@tvcultura .com .br