• PT
  • EN
  • ES

Informe da ANCINE confirma 2013 como excelente ano para o cinema brasileiro

Com 127 longas, ano teve recorde histórico de lançamentos nacionais; distribuidoras brasileiras tiveram destaque; e mercado de salas de exibição apresenta crescimento contínuo

Por Redação

Superintendência de A companhamento de Mercado da A NCINE publicou o Informe Preliminar contendo os números do cinema nacional em 2013. Os dados confirmam o ano passado como um dos melhores para o cinema brasileiro nas duas últimas décadas.
Segundo o informe, dos 127 longas-metragens nacionais lançados em circuito comercial – recorde histórico para o cinema nacional –, 75 foram obras de ficção, 50 documentários e 2 animações, representando um pequeno aumento na proporção de ficções sobre o total de estreias em relação ao ano de 2012.
Os lançamentos brasileiros somaram quase 7.500 salas em suas semanas de estreia, uma expansão de 42% em relação a 2012. Tiveram 27,8 milhões de espectadores, e geraram uma renda de R $ 296 milhões.
A participação de público dos filmes nacionais em 2013 foi de 18,6% – 10 filmes brasileiros ultrapassaram a marca de um milhão de bilhetes vendidos, e 24 tiveram mais de 100 mil espectadores (em 2012, apenas 17 obras ultrapassaram esta marca). A o todo, o mercado brasileiro de salas de exibição teve, em 2013, 149,5 milhões de ingressos vendidos e renda de mais de R $ 1,7 bilhão, apresentando crescimento contínuo nos últimos cinco anos.
Segundo o informe, as distribuidoras brasileiras também se destacaram no ano passado, tendo sido responsáveis por 85,8% do público dos títulos nacionais exibidos no período, com destaque para o consórcio Paris/ Downtown, responsável pela comercialização de nove das vinte maiores bilheterias brasileiras no ano.
Assim, “a partir de 2011, parte significativa dos títulos brasileiros com maior potencial de público teve sua comercialização viabilizada através do consórcio entre as empresas citada acima, por vezes com algum investimento da R ioFilme. Essas parcerias acumularam 64% do público do cinema brasileiro em 2012 e 61,6% em 2013. Esse desempenho representou 11,4% de todo o público acumulado no ano, o que garantiu o 3º lugar no ranking de distribuidoras”, afirma o estudo.Ancine
Nesse contexto, “a Paris vem se consolidando, pelo segundo ano consecutivo, como a principal distribuidora brasileira, atuando em duas frentes: sozinha na comercialização de títulos estrangeiros e em parceria com outras distribuidoras nacionais – especialmente a Downtown – na distribuição de títulos brasileiros. Em 2013, a distribuidora foi responsável por 8,5% do público dos títulos exibidos. A o se somar a participação de suas parcerias, passa a acumular cerca de 20% do total de público em salas de exibição, o que a coloca como a maior distribuidora de 2013. Na ausência dessa agregação, a Disney foi a distribuidora cujos títulos acumularam a maior proporção de público”.
O parque exibidor brasileiro encerrou o ano com 2.679 salas – quarto ano consecutivo de crescimento -, com destaque para as regiões Nordeste e C entro-Oeste, com 14,3% e 13,1% de incremento no número de salas. Em cinco anos, entre 2009 e 2013, o índice de habitantes por sala do Brasil saiu de 91,7 mil em 2009 para 75 mil em 2013.

Gráfico 3 – Quantidade de Lançamentos Brasileiros – 1995 a 20137

Gráfico 3 - Quantidade de Lançamentos Brasileiros – 1995 a 2013

O Informe A nual Preliminar de 2013, elaborado a partir de dados fornecidos pelas empresas distribuidoras registradas na A NCINE, considera as semanas 1 a 52 de
2013 (de 4 de janeiro de 2013 a 2 de janeiro de 2014).

– Com http://oca.ancine.gov.br/