• PT
  • EN
  • ES

HBS utilizará 12 contêineres de transmissão no próximo mundial

 

Os 12 contêiner foram montados na Alemanha e chegaram as cidades-sedes nos próximos meses.

As doze cidades-sedes da próxima Copa do Mundo estarão interligadas ao IBCC que terá sede no RioCentro, no Rio de Janeiro, através de um sistema especialmente criado pela FIFA para canalizar todo o fluxo de informação e sinais de áudio e vídeo gerados nos estádios do Mundial de futebol.

Nº 139 – Dez 2013 e Jan 2014

Por Fernando Moura

Reportagem

Como explicamos na edição especial sobre a Copa das Confederações (edição 134), a FIFA e a HBS (Hosting Broadcast Services), criaram um rede de transmissão capaz de suportar a mais alta qualidade de alta definição (HD) e imagens 4K conectando cada um dos estádios ao IBCC.
Assim, a HBS – empresa ligada à FIFA – cuida de todos os procedimentos técnicos no que diz respeito à geração, processamento e emissão de imagens. Na Copa do Mundo a HBS, formada por um grupo de técnicos de diversos países – na Copa das Confederações mais de 700, no mundial se espera que superem os mil – a empresa administra um pool de prestadores de serviços para que toda a operação técnica que garante a ação que acontece no gramado, chegue com qualidade impecável até Centro Internacional de Coordenação de Transmissão (IBCC, na sigla em inglês), que estará instalado no RioCentro, na capital fluminense.

Interior do contêiner testado em Belo Horizonte durante a Copa das Confederações 2013.

Já em Belo Horizonte (MG), no passado mês de junho de 2013, a HBS testou o Equipment Room Container (ERC), que vinha sendo trabalhado desde o mundial da África do Sul em 2010. O contêiner foi montado na Alemanha pelos engenheiros da HBS após terem sido adquiridos os equipamentos dos principais fornecedores do setor. Os milhares de cabos (coaxiais, Ethernet, áudio etc.) utilizados na ERC foram testados e conectados às cabeças de rede do evento para analisar os seus resultados.

Felipe Luna, diretor da Harris Brasil disse à Revista da SET que a empresa forneceu 12 das novas matrizes “Triple Path” Platinum IP3.

Uma vez completado o teste, os cabos foram desconetados da sala de operações da IBCC, mas a ERC continuou em funcionamento para experimentar algumas outras funcionalidades do sistema.
Segundo explicou o HBS, o ERC é um equipamento independente do “HBS House”, situado no TV Broadcast Compound, de onde se emitiu o sinal internacional da competição dos 16 jogos realizados na Copa das Confederações aos mais de 200 países detentedores de direitos de transmissão. Esse novo equipamento poderá ser de grande utilidade porque irá permitir a HBS transportá-lo aos diferentes eventos. Para que o sistema funcione e não tenha problemas, os engenheiros da HBS criaram um sistema de airlocks (despressurização) e controle de airflow (ar) que facilita o fluxo de ar e temperatura e o controle de umidade e lida com as diferenças potencialmente significativas que possam existir de um local para outro.
Segundo os responsáveis da HBS, os resultados da experiência foram excelentes, a performance do equipamento foi exatamente a que tinha sido projetada pelos engenheiros da empresa, o que permitirá que o projeto se concretize. Assim, a HBS confirmou que o contêiner “usado no IBBC de Belo Horizonte será utilizado como uma unidade de back- up na Copa do Mundo de 2014 e 12 novos contêineres serão construídos” para serem utilizados nas cidades-sedes da próxima Copa do Mundo a realizar-se no Brasil.

Construção dos ERCs
A HBS contou com a colaboração da Harris Broadcast na construção do ERCs. Felipe Luna, diretor da Harris Brasil disse à Revista da SET que a empresa forneceu 12 novas matrizes “Triple Path” Platinum IP3. “Essa matriz já está preparada para o tráfego de áudio, IP e vídeo ULTRA HD 4K e está sendo considerada uma evolução de mercado. As matrizes também foram equipadas com Multiviewers internos, modelo HVIEW SX PRO”.

Equipment Room Container, o novo modelo de roteamento de sinal da HBS foi testado com êxito no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte e será utilizado na próxima Copa do Mundo

Luna disse que cada matriz Platinum IP3, e seus periféricos montados em frames 6800, chegaram ao Brasil dentro dos 12 contêineres. “Cada arena da Copa do Mundo receberá um desses equipamentos. O time de suporte local da Harris fará os ajustes finais juntamente com a HBS para assegurar o prefeito funcionamento do sistema”.
Para ele, a grande vantagem do router Platinum IP3 é seu padrão de “completa redundância” que garante confiabilidade em situações criticas como a emissão dos jogos de uma Copa do Mundo.
O diretor da Harris Brasil explicou à Revista da SET que “o time de “Solutions Architects” da Harris Broadcast trabalhou a 4 mãos no desenvolvimento da idéia macro, e mais tarde, na elaboração final da proposta. A Harris entrou com suporte para todas as fases de configuração dos equipamentos e dará suporte on-site durante a Copa”.
No que diz respeito ao Brasil, país que sediará a próxima Copa do Mundo, Luna esta confiante. Finalizamos nosso primeiro trimestre fiscal, “acima do “target” de vendas. Os clientes já estão se equipando para a transmissão da Copa. Fechamos vários projetos de transmissão digital ISDB-T, de networking e infraestrutura HD preparada para IP e 4K. Esse movimento deverá continuar até a Copa do Mundo. Estaremos em parceria com vários clientes brasileiros e de fora durante o evento, tanto no fornecimento como no suporte”.

Fernando Moura
Redação: Revista da SET