• PT
  • EN
  • ES

Em dia

EM DIA

Ministro afirma que a TV digital chegará a todas as capitais até dezembro de 2009
De acordo com o ministro das Comunicações, Hélio Costa, as primeiras transmissões digitais deverão ser iniciadas na região metropolitana de São Paulo, até o dia 3 de dezembro do ano que vem. Costa adiantou, porém, que a partir de 29 de junho de 2007, as geradoras situadas em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro e Salvador poderão solicitar a consignação (empréstimo) de canais digitais para fazer a transição. Para essas capitais, o prazo para a solicitação vai até 30 de novembro de 2007.
Ele disse ainda que até o fim de 2013, todos os municípios brasileiros deverão contar com transmissões digitais. Para isso, cada geradora de TV deverá solicitar ao governo um canal digital até 29 de dezembro deste ano, como é o caso de São Paulo.
Tal cronograma, porém, não é rígido, segundo o ministro. Ou seja, grandes cidades do interior do país, como Juiz de Fora (MG), Campinas (SP) ou Londrina (PR), e mesmo as capitais, podem se antecipar aos prazos estipulados pelo ministério.
Entretanto, para obter a permissão para a transmissão digital em suas áreas de cobertura, as geradoras deverão apresentar ao Ministério das Comunicações o requerimento de consignação, obedecendo algumas regras:
• até 29 de dezembro deste ano, geradoras da cidade de São Paulo;
• até 30 de novembro de 2007, cidades de Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Rio de Janeiro e Salvador;
• até 31 de março de 2008, cidades de Belém, Curitiba, Goiânia, Manaus, Porto Alegre e Recife;
• até 31 de junho de 2008, Campo Grande, Cuiabá, João Pessoa, Maceió, Natal, São Luiz e Teresina;
• até 30 de novembro de 2008, Aracaju, Boa Vista, Florianópolis, Macapá, Palmas, Porto Velho, Rio Branco e Vitória;
• de 1º de outubro de 2007 até 31 de março de 2009 para geradoras situadas nos demais municípios;
Os canais analógicos serão desligados em 29 de junho de 2016, exatamente dez anos depois da escolha do padrão para a TV digital.

Nova técnica de resfriamento de chips
Na medida que os chips se tornam mais densos, o calor gerado também aumenta. O aquecimento já está atingindo o limite da atual tecnologia de resfriamento, que depende de ventiladores para soprar ar pelos dutos de ventilação. Alguns servidores precisam de tantos ventiladores que gastam mais no resfriamento que nos próprios chips.
Pensando nisso, pesquisadores da IBM descobriram uma maneira de diminuir em quase duas vezes o calor de chips em funcionamento, abrindo caminho para que serviços e centro de dados usem processadores mais rápidos e poderosos. Eles encontraram uma forma de integrar pasta condutiva entre chips quentes e seus componentes e resfriamento, evitando o perigo de danificar ou inutilizar chips conforme as expansões provocadas por altas temperaturas. Além disso, eles já começaram a testar outras abordagens de resfriamento, como espirrar água ao invés de ar nos componentes. Este método usa um cabo com 50 mil pequenos bocais de água circulante, protegendo que os delicados circuitos do chip se molhem.

TV Câmara inaugura novas instalações
A TV Câmara, canal público de informação e cidadania, inaugurou novas instalações com destaque para a transparência. Através de uma parede de vidro, quem estiver na Câmara dos Deputados poderá presenciar a atividade dos jornalistas e a transmissão, ao vivo, do telejornal Câmara Hoje – exibido às 21h.
As novas instalações, com 410m², reúnem em um único complexo a redação – acoplada à bancada de apresentação do Câmara Hoje -, o estúdio de gravações, as ilhas de edição, além de espaço destinado á área administrativa e aos diversos núcleos de produção da emissora. O projeto segue a tendência da maioria dos canais informativos do mundo e contou com projetos de dois dos profissionais mais requisitados do setor, o designer Ucho Carvalho que assina o projeto de redações e cenários de emissoras como a Rede Globo (Jornal da Globo), o canal de informações GNT (da GloboSat) e o iG Studios (produtora de TV para a Internet) e o lightning designer Peter Gasper.
Além disso, está entre as metas da emissora tornar-se um canal aberto. Atualmente a TV Câmara é transmitida pelos canais fechados – Net, TVA, SKY e Directv – e por satélite digital e analógico – antenas parabólicas. Somente em Brasília pode ser vista em UHF. Mas já existe a possibilidade de a emissora ser transmitida como canal aberto nos municípios interessados – por meio do sistema das Retransmissoras de TVs Institucionais (RTVI).

Embratel registra prejuízo de R$ 324,2 milhões no terceiro trimestre
A receita líquida da Embratel no trimestre foi de R$ 2,06 bilhões, valor 10,2% maior quando comparado com o mesmo período de 2005. No ano, a empresa acumula receita líquida de R$ 6,14 bilhões, mas ela teve um prejuízo líquido de R$ 324,2 milhões no terceiro trimestre. A razão para o mau resultado foi o impacto negativo de R$ 515 milhões relativos a dívidas tributárias com Estados. O Ebitda da companhia foi negativo em R$ 39,6 milhões, em razão dos pagamentos e provisões das citadas dívidas tributárias. Já o  serviço de longa distância continua sendo a principal fonte de receita da Embratel, mas sua participação tem caído gradativamente. Ele representava 63,5% da receita total um ano atrás. Nesse trimestre, respondeu por 56,8% do faturamento. O tráfego com chamadas de longa distância nacional cresceu 14,8% na comparação anual, passando de 3,14 bilhões de minutos para 3,6 bilhões. Entretanto, a receita permaneceu estagnada: era R$ 1,0449 bilhão no terceiro trimestre de 2005 e foi de R$ 1,0453 bilhão entre julho e setembro deste ano.
No segmento de longa distância internacional, o tráfego aumentou 4,4% na comparação anual, subindo de 492 milhões de minutos para 513 milhões. No mesmo período a receita caiu 13,2%, baixando de R$ 144,6 milhões para R$ 125,5 milhões. Entretanto, na comparação com o segundo trimestre houve uma melhora de 7,5% na receita.
A receita com comunicação de dados foi de R$ 570,9 milhões entre julho e setembro, mantendo-se estável em relação ao segundo trimestre. Na comparação anual houve um aumento de 27,9%, em razão da consolidação da Primesys, de serviços de internet e de acesso para as operadoras celulares.

TVA e Samsung anunciam acordo
A TVA e a Samsung Electronics assinaram o contrato comercial para implantar no Brasil o WiMax versão 802.16-e, que permite portabilidade e mobilidade. Esta é a terceira etapa do acordo firmado entre as duas empresas em novembro de 2005, que também vai ampliar a área de cobertura do Projeto Social Escola Modelo.
O lançamento comercial do WiMax 802.16-e será em Curitiba, cidade em que a TVA já opera oferecendo o serviço de TV por assinatura nas plataformas cabo e MMDS. Com isso, a TVA passa a oferecer também serviços de banda larga, cobrindo a área metropolitana da cidade.
WiMax, baseado no padrão IEEE 802.16-e, permite a comunicação móvel de dados em alta velocidade e sem fio, com capacidade de 3Mbps por usuário, com mobilidade total de até 120Km/h e pode ser usado nos padrões portátil e móvel. Além da plena mobilidade e acesso a internet sem fio, o WiMax Móvel também oferece a vantagem do baixo custo na transmissão e recepção de dados, além do uso eficiente do espectro.
Os testes pré-comerciais provaram o funcionamento da tecnologia no ambiente densamente povoado, englobando questões relativas à qualidade e alcance do sinal, blindagem da transmissão a interferências, portabilidade e mobilidade. Também avaliaram a interface da plataforma com outros equipamentos de terminal de usuário, incluindo laptops, modems.
A implementação do WiMax vai permitir às escolas de Curitiba terem acesso ao Projeto Social Escola Modelo, desenvolvido em parceria com a Intel, e alinhado com os planos de inclusão digital do governo. As Escolas Modelo contam com acesso à banda larga e TV por assinatura oferecidos pela TVA, conteúdo digital da Ática&Scipione e da Fundação Victor Civita e ainda de um guia de utilização desses conteúdos em sala de aula produzido pela Fundação Victor Civita.

APC é vendida por US$ 6,1 bilhões para a francesa Schneider Electric
A American Power Conversion Corporation (APC) e Schneider Electric AS assinaram um contrato definitivo de fusão que vai criar uma empresa líder em sistemas de fornecimento de energia – no breaks – bi e trifásicos, assim como de sistemas integrados para TI e aplicações de data centers.
Rob Johnson, presidente e CEO da APC, disse que a transação dá aos acionistas da APC um volume de caixa consistente para investimentos na companhia. Com a conclusão da aquisição, prevista para o primeiro trimestre de 2007, a APC será parte da Schneider Electric. Na avaliação de Jean-Pascal Tricoire, CEO da Schneider Electric, a transação representa uma grande oportunidade de crescimento para ambas companhias.

Adobe compra empresa de solução de vídeo
A Adobe anunciou que adquiriu a Serious Magic, fabricante de software de vídeo e ferramentas de comunicação para os mercados de educação, consumo, negócios e profissional. A aquisição fortalece a posição da Adobe no mercado de softwares de vídeo – tanto para profissionais como para consumidores – incluindo agora em sua carteira de produtos soluções para gravação DV diretamente em disco e monitoramento em campo. Ela continuará a comercializar os produtos da Serious Magic e afirma que as versões futuras de soluções de vídeo da Adobe incluirão tecnologias e software da empresa.

Net compra Vivax
A Net Serviços comunicou a aquisição da Vivax, operadora de TV a cabo presente em 34 cidades nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Amazonas. O processo de compra será realizado em duas etapas. Na primeira, a empresa vai adquirir as participações minoritárias da Horizon Telecom Internacional LLC (HTI), que detém 9% das ações ordinárias nominativas (ON), da própria Vivax, que detém 20,4% das ações preferenciais nominativas (PN), além de 81,82% da Brasil TV a Cabo Participações (BTVC). Para essa aquisição, a Net efetuará um aumento de capital com integralização de bens no total 23.010.140 ações preferenciais. Ao mesmo tempo, realizará um aumento de capital de ON, subscrito em caixa, no total de 1.355.713 ações ordinárias.
Após a conclusão dessa primeira etapa e aprovação da Anatel, a Net adquirirá o controle da Vivax, finalizando a negociação da compra das ações restantes da BTVC, que detém 52,6% das ações ON da Vivax. Não haverá pagamento em dinheiro. Cada ação da Vivax será trocada por 0,5678 ação preferencial da Net.
Os objetivos da Net com a aquisição da Vivax são o fortalecimento da plataforma de banda larga da operadora de TV paga, com adição de uma rede bidirecional em mercados importantes no estado de São Paulo – das 34 cidades onde a Vivax atua, a única em comum com a Net é Santos -; obter ganho de escala; melhor posicionamento perante existenciais e potenciais competidores; e o aumento da liquidez das ações devido à migração dos acionistas da Vivax para o capital social da operadora.
Com a aquisição, a participação da Net no mercado de TV por assinatura passará de 38% para 45%. No mercado de banda larga, a empresa terá um crescimento de 2%, passando de 12% para 14%. Em receita líquida, a aquisição da Vivax representará um crescimento de 17% para a Net. A estrutura de controle da companhia não será alterada, permanecendo a Globo como controladora.

Primeiro lote de set-top Box
A Phihong já começou a entregar os primeiros equipamentos, do lote de 75 mil unidades do set-top box,encomendados pela TVA. O aparelho converte o sinal da TV analógica para digital e ainda permite a conexão à Internet. Com o set-top box qualquer TV ligada ao sistema a cabo TVA recebe transmissões digitais de alta qualidade e realiza ligações por telefonia IP (VoIP). A TVA faz parte do grupo Abril e distribui conteúdos via TV, Internet e celular para mais de 300 mil assinantes de televisão a cabo. Para o diretor-presidente da Philong, Luciano Lamoglia, observa que o set-top box é o que se pode chamar de milagre da convergência, ao transformar o antigo decodificador num computador.

Telefônica compra parte da TVA
O Grupo Abril divulgou acordo que confirma a venda de parte das ações ordinárias e preferenciais da TVA (Tevecap S.A.) para a Telefonica. A transação, que ainda dependerá de aprovação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), permitirá ao Grupo Abril abater parte significativa de sua dívida, comunicou a companhia. Com o negócio, a TVA suspende a operação de IPO (abertura de capital) registrada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), no final de setembro.
O negócio envolve todas as operações de Multichannel Multipoint Distribution Service (MMDS) nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre, além de 100% das ações preferenciais e parte das ações ordinárias das operações de TV a cabo em São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Foz do Iguaçu, nos limites de participação permitidos pela legislação.
Porém a Associação Brasileira de TV por Assinatura (ABTA) emitiu comunicado informando que considera ilegal a entrada da Telefônica no mercado de TV por assinatura no Estado de São Paulo. De acordo com a organização, “a entrada de um monopolista local com uma rede capilarizada e um potencial bem maior do que todo o setor de TV por assinatura, coloca em risco o equilíbrio competitivo do mercado e o poder de escolha que sempre foi ofertado ao consumidor final”.
Na sua avaliação, o contrato assinado pelas teles em janeiro determina que essas empresas não podem atuar no mercado de TV por assinatura. Com base nesse argumento, a organização deverá elaborar, por meio de sua assessoria jurídica, um documento fundamentado na Lei do Cabo, Lei Geral de Telecomunicações (LGT) e no próprio contrato de concessão da Telefônica.
Segundo a ABTA, as operadoras não representam ameaça às concessionárias de telefonia, em virtude da diferença de receitas em cada setor. “Se a entrada da TV por assinatura nos serviços de voz e banda larga quebrou o monopólio da telefonia fixa, trazendo mais opções ao cliente, a redução significativa de preços e a melhoria na qualidade do serviço, o caminho inverso não se mostra tão evidente, uma vez que abre margem para a prática de dumping. Isso acabaria com a competição e consolidaria o modelo monopolista”, afirma Alexandre Annenberg, diretor executivo da ABTA no comunicado.

Número de HDTV nos EUA é cada vez maior
Recente estudo mostrou que uma em cada seis casas nos EUA tem pelo menos uma TV de alta definição (HDTV), número acima do constatado pelo Research Group há dois anos quando uma em cada 14 casas tinha esse tipo de televisão. A pesquisa verificou que ainda há uma desigualdade no número de HDTV conforme o nível de renda das casas, mas mesmo assim, no ano passado, milhões de jogos de HDTV foram vendidos e cada vez mais residências têm acesso a ele. Mesmo faltando dois anos e meio para ocorrer a transição da TV digital, 2/3 dos americanos permanecem “despreocupados” com a interrupção analógica e isso ajuda a explicar porque este final de prazo tem tido pouco impacto na compra de HD e  TV digital.
Dentre os dados coletados pela pesquisa destacamos alguns:
• 26% de casas com renda média anual acima de US$ 50.000 tem um HDTV se comparada com 7% das casas com renda média anual abaixo US$ 50.000;
• 26% dos proprietários têm mais que um HDTV – 11% acima em relação ao último ano;
• 29% dos proprietários de HDTV gostariam de ter outro HDTV ainda este ano – 18% acima em relação ao último ano;
• 26% de casas dos EUA terão HDTV até o final deste ano;
• 13 milhões de sintonizadores PC-TV foram vendidos em 2005;
• 17% dos consumidores dos EUA têm uma TV de tela plana e 49% planejam ter uma;
• 19,1% dos usuários de Internet têm interesse por compra on-demand;
• 81% dos americanos se preocupam com o que seus filhos assistem na TV;
• 128,4 milhões de pessoas irão assistir TV em seus dispositivos móveis até 2010.