• PT
  • EN
  • ES

Contribuição das Mídias Sociais no Jornalismo

COBERTURA CONGRESSO SET 2012

Por José Carlos Aronchi

O Brasil está entre os 10 países que mais utilizam Redes Sociais e mais de 60 horas de vídeo por minuto são publi-cados no YouTube. Estes são apenas alguns dos dados levantados por Raimundo Lima (SET / SBT) para o painel Jornalismo – novos modelos de contribuição e redes sociais no Congresso da SET/2012. Para ele, os pontos fortes de cada segmento estão demarcados pela profundidade analítica do jornalismo e a instantaneidade das redes sociais tendo a internet como fonte de notícia e participação.

Pollyana Ferrari (PUC/SP) ressalta a ne-cessidade de se ouvir o público através de todos os canais pois “todos os que usam e comentam um serviço vira um mídia”. A in-fluência do público faz com que 80% dos te-lespectadores mudem de canal ou assistam a determinados programas motivados pela rede social virtual da qual participam. A mudança do hábito de comunicação por email já evo-luiu para mensagens por celular, promovendo a instantaneidade na comunicação e no con-sumo do conteúdo.

Essa mudança vem ocorrendo desde a épo-ca em que a comunicação do público com os programas de rádio e televisão era feito através de cartas. Marcelo Parada (SBT) passou por todas as fases dessa busca pela interatividade e relembrou sua evolução com o “Ouvinte Repórter”, na Radio Eldorado, quando pela primeira vez o público não só ouvia, mas participava do programa jornalís-tico através do telefone. “Naquela época, au-mentamos a capilaridade sem investimentos em carros de reportagens”, ressalta Marcelo. Hoje ele já contabiliza na programação do SBT mais de 50 imagens por semana cap-tadas por celulares, câmeras de segurança e enviadas pela internet. “Não é possível fazer um telejornal hoje sem essa colaboração do público, por isso, a organização das redações deve ser revista”, conclui.

Essa contribuição do público promovida pela internet e pelas mídias sociais deu origem a produtos de mercado para atender ao workflow multimídia das emissoras de tele-visão. A elaboração do conteúdo já prevê a distribuição multiplataforma. Brian Bailey (Signiant/AD Digital) apresenta o MPD – Multi-Platform Distribution, desenvolvido com base nas mudanças do hábito de consumo de conteúdo, integrando as mídias sociais como a segunda tela. “O jornalista tem o centro da história, do conteúdo, e pode publicar em to-das as plataformas (on-air, web, smart phone, social media). Assim, todo jornalista pode ser um profissional de multiplataformas através de uma ferramenta de criação de conteúdo simples e unificada“. Essa solução mantém o jornalista no foco da história e o sistema auto-matizado do workflow reduz todos os passos para a publicação do conteúdo com o Social Media Publication Solution desenvolvido pela AVID.

Com o jornalista produzindo conteúdo para multiplataformas integradas, espera-se a repercussão imediata da notícia. Everton Constant (TV Terra) ressalta:“o que impor-ta no final das contas é a história que faz o usuário comentar e reverberar”. Isso signi-fica que o canal deve dar a melhor história, o melhor conteúdo e criar condições para o público reverberar essa informação. Everton dá exemplos de como promoveu a interativi-dade na cobertura das Olimpíadas. O público pode comentar e interagir pela internet com o narrador dos jogos. “O público quer ter as duas experiências: reverberar e participar ativamente do conteúdo, por isso deve-se oferecer cada vez mais conteúdo porque a re-verberação será feita pelo usuários”, conclui.

Por vezes, as mídias sociais, principalmente o Twitter, fura a própria emissora com informa-ções produzidas por ela e repassadas pelos profissionais antes mesmo de serem veicula-das oficialmente pelo canal. Marcelo Parada levanta a discussão sobre o limite ético do profissional que deve aguardar a divulgação da notícia pelo veículo onde ele trabalha ou se isso também já faz parte desse novo modelo de colaboração que precisa ser repensado com a chegada das mídias sociais.

 

José Carlos é Consultor da Unidade de Desenvol-vimento e Inovação do Sebrae-SP .
E-mail: jcaronchi@uol .com .br