• PT
  • EN
  • ES

AMBERFIN Empresa apresentará melhorias no seu software iCR

Na NAB 2013, a AmberFin irá demonstrar novas melhorias no seu software iCR, desenvolvido para facilitar a digitalização e transformação de conteúdo novo e arquivado em modernos fluxos de trabalho baseados em arquivos.

Nº 131 – Março 2013

Da Redação Foto: Divulgação

ESTANDE: SU8505

Os visitantes do estande da Amber- Fin irão ver como os recursos do ICR podem aumentar a eficiência e rentabilidade em todas as operações de empresas de mídia. Usando uma federated architecture, iCR faz uso inteligente dos recursos do sistema, ao mesmo tempo que faz com que os fluxos de trabalho complexos operem de forma simples para o usuário final.
Um princípio central aplicado em todo iCR é a escalabilidade, como CTO da AmberFin, Bruce Devlin explica: “Ao contrário de outras soluções no mercado, com AmberFin iCR, as instalações podem usar a mesma tecnologia em seu PC standalone utilizado na prova de conceito (PoC) como em uma rede de 100 estações de trabalho. Além disso, cada estação de trabalho iCR opera todo o software necessário para implementar as quatro funções principais: ingest de mídia, transcodificação de arquivo, playback e controle de qualidade.”
Como resultado, AmberFin iCR é uma solução ágil – que oferece a tecnologia certa para uma empresa no momento certo com escalabilidade inerente e a capacidade de responder às necessidades do negócio. Essencialmente para empresas de todos os tamanhos, isso significa que os custos de investimento são minimizados. AmberFin desenvolveu um novo recurso chamado ORCA Activity Manager que permite que grupos e orquestração local de tarefas de fluxo de trabalho criem o resultado desejado.
“Quer se trate de definição padrão para alta definição, 4:3 para 16:9, 59.94fps a 50fps ou conversão Dolby E, ORCA permite para as empresas configurarem tipos muito específicos de condicionais de transcode, ingest e operações de controle de qualidade. Este nível de automação específico melhorará significativamente a eficiência e rentabilidade da empresa.”, explica Bruce Devlin, CTO da AmberFin.

Novos módulos de aplicação específica
AmberFin irá demonstrar como os seus novos específicos módulos de aplicações para o iCR apontam os novos padrões da indústria e requerimentos para fluxos de trabalho que incluem: ingest e transcode para MXF AS11 e suporte de metadados para Digital Production Partnership (DPP); ingest e transcode para os mais populares formatos MPEG2, XDCAM e IMX; o best of breed playback, revisão de QC, anotação e entrada de metadados ou tape layback para uma ampla gama de codecs e wrappers; gerador de proxy baseado em arquivo; e uma estação de trabalho PC com todos os recursos para a criação e preparação de resultados compatíveis com MXF-AS12, em especial a criação de comerciais AS- 12. Tudo isso a preço extremamente competitivo.

Fluxo de trabalho de legenda oculta (Closed Caption) para atender a nova regulamentação da FCC
Também demonstrará como novas melhorias para seu software iCR podem ajudar a simplificar a complexidade dos fluxos de trabalho para legenda oculta para atender a nova regulamentação da FCC, que determina que todo o conteúdo de vídeo broadcast na televisão com legendas nos Estados Unidos devem agora incluir legendas quando ele é distribuído sobre Protocolo de Internet (IP).
AmberFin fez uma parceria com um especialista em soluções de Closed Caption, Softel, para mostrar como colocar legenda oculta no coração de fluxos de trabalho de ingest e transcode baseados em arquivos pode melhorar drasticamente a eficiência e confiabilidade. Já de outra forma estes processos dificultariam a inserção de legenda oculta e legendagem. A integração de VTX Swift Softel com AmberFin iCR apóia a transcodificação de uma grande variedade de formatos de mídia, enquanto garante a entrega correta de legendas bem formatadas, legenda oculta e dados auxiliares, com um rico conjunto de recursos que se adequam facilmente em qualquer fluxo de trabalho broadcast.

Suporte para o novo formato IMF:
AmberFin também irá anunciar a sua estratégia para o suporte do formato IMF (Interoperable Master Format – Formato Mestre para Interoperabilidade), um novo formato de arquivo SMPTE projetado para criar um único e padronizado arquivo mestre para distribuição de conteúdo entre as empresas em múltiplos territórios.
“Com o IMF, não será necessário criar milhares de cópias do mesmo conteúdo para atender diferentes públicos, formatos e geografias. O que o padrão faz é separar o conteúdo em vários ingredientes ou componentes (ou seja, arquivos de mídia AS02 MXF), um número de ‘receitas’ (composição de listas de reprodução) e uma seleção de instruções (ou listas de programas de Output – Output Program Lists) apropriadas para cada um desses públicos. IMF é projetado para ter a combinação certa de ingredientes, a receita correta e um conjunto adaptado de instruções para criar uma versão dedicada para cada mercado, sem ter que duplicar arquivos. Do ponto de vista do usuário final, o IMF não vai ser algo que eles nunca verão, mas que irá trazer uma significativa eficiência para o seu fluxo de trabalho; iCR tornará isto tão chato, que tudo irá funcionar”, acrescenta Bruce Devlin.
www.amberfin.com