• PT
  • EN
  • ES

AESP discute convergência de mídia V fala Nordeste!

A Associação das Emissoras de Rádio e Televisão de São Paulo (AESP) realizou o seu 16º Congresso da Radiodifusão do Estado de São Paulo, entre os dias 06 e 08 de dezembro, quando discutiu a consolidação das leis de comunicação, a convergência do rádio no mundo digital e a liberdade de expressão na publicidade. O presidente da AESP, Edilberto de Paula Ribeiro, abriu o evento que contou com 400 participantes, entre políticos, representantes de entidades da radiodifusão e proprietários de emissoras do estado de São Paulo.
Em seu discurso, Ribeiro enfatizou a necessidade de buscar alternativas para a convergência das mídias, principalmente quanto ao cenário de indecisão que tomou conta dos setores envolvidos quanto ao estabelecimento do padrão o Rádio digital. E também lembrou a doação de espaços publicitários às causas sociais. “Nesses últimos três anos, as emissoras do Estado de São Paulo contribuíram com mais de um bilhão de reais e a estimativa para os quatro anos do atual governo é de um bilhão e quinhentos milhões de reais”. O presidente da AESP comentou ainda que com campanhas sociais como Criança Esperança e Teletom, entre outras, os espaços publicitários doados em nível nacional devem alcançar a cifra de três bilhões de reais, somente nesse segundo mandato presidencial.

Ilegalidade na radiodifusão
O presidente da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Daniel Pimentel Slavieiro, a exemplo do que vem afirmando em outros eventos de broadcasting, condenou a ilegalidade na radiodifusão e falou sobre a conquista do ressarcimento fiscal para os pequenos empresários do setor. O diretor geral da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Everaldo Gomes, o presidente da Assembléia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz, e o presidente do grupo Bandeirantes e da Associação Brasileira dos Radiodifusores (ABRA), João Carlos Saad, também marcaram presença no evento.
O segundo dia do evento contou com a presença do secretário de Desenvolvimento do Estado, Geraldo Alkmin, que falou sobre os investimentos e desenvolvimento da cidade. Nesse mesmo dia, participou do evento o senador Aloízio Mercadante, que segundo o presidente da AESP, teve grande importância na aprovação da lei de ressarcimento fiscal para os pequenos empresários do setor. O deputado federal José Mentor e a advogada especialista em radiodifusão, Vanda Jugurta, comandaram o painel sobre a consolidação das leis de comunicação. A advogada lembrou que a legislação do setor sofreu poucas alterações e aperfeiçoamentos ao longo dos últimos anos, e que será necessário lutar contra a desregulamentação.

PL 29
O desenvolvimento de novas plataformas de distribuição e convergência tecnológica também foram assuntos de destaque no evento. O deputado federal Júlio Semeghini e o superintendente dos serviços de comunicação de massa da Anatel, Ara Apkar Minassian, participaram do painel “Rádio no Mundo Digital”. Eles enfatizaram a aprovação do Projeto de Lei 29/2007 que integrará o ambiente de produção digital. Semeghini falou da digitalização como um passo necessário à convergência de mídias. “O rádio precisa ficar forte para não ser engolido por outros meios”, defendeu.
O presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, destacou os serviços que emissoras de rádio AM e FM prestam à comunidade durante café da manhã com empresários do setor de radiodifusão. “O Rádio é nosso maior aliado em dias de chuva de trânsito pesado”. Skaf também falou sobre as iniciativas da Fiesp no que diz respeito a educação e cultura. Já o presidente do Conselho Nacional de Auto Regulamentação Publicitária (Conar), Gilberto Leifert, que participou do painel Liberdade de Expressão na Publicidade, afirmou que para que possam exercer por completo seus direitos de escolha, os cidadãos precisam da publicidade comercial.
A AESP prestou homenagens a duas grandes personagens do rádio brasileiro: o radialista Salomão Esper, que não pode participar do evento, e a atriz e presidente da Pro TV, Vida Alves. Eles receberam o troféu Torre Paulista, criada pelo artista plástico Sérgio Cunha.

*Repórter da Revista da SET

Centenas de profissionais de rádio e televisão, autoridades e empresários estiveram presentes, entre os dias 7 e 9 de dezembro, no V Fala Nordeste!, Congresso de Radiodifusão da Região Nordeste, realizado pela primeira vez na Bahia. Com o tema “Regionalização: Transforme suas ideias em resultados”, o evento teve, além dos debates, palestras sobre as mudanças que estão acontecendo no rádio, na TV e na Web. Contou também com uma feira de exposição de equipamentos e serviços para radiodifusão.
O presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert), Daniel Slaviero, destacou a necessidade de as emissoras acompanharem o avanço tecnológico e o trabalho da Abert no combate às rádios ilegais.
“A televisão já está em processo de digitalização e o rádio tem de seguir o mesmo caminho”, afirmou Slaviero, que tratou ainda do que considera uma vitória recente da radiodifusão brasileira: a sanção, pelo presidente Lula, da lei que permite o ressarcimento fiscal do Horário Eleitoral Gratuito pelas pequenas emissoras optantes pelo Simples. “O rádio não é um sobrevivente, o rádio é um combatente”, complementou Roberto Coelho, presidente do Serteb.
O presidente da Associação Baiana de Rádio e TV (Abart), Fernando Henrique Chagas, acredita que o fortalecimento do setor em níveis estadual e regional deve ser a principal preocupação da Abert e das associações estaduais. “É preciso um comprometimento intenso de todos, principalmente do Estado e das instâncias legais, no que diz respeito ao crescimento do nosso setor”.
Representando o governador da Bahia, Jaques Wagner, o coordenador de rádio da Agecom, Edmundo Carvalho Filho, ressaltou o papel estratégico da região no desenvolvimento da radiodifusão nacional e reafirmou o compromisso do governo estadual em promover uma maior capilaridade na distribuição dos investimentos em mídia. O evento reuniu também os representantes das Associações estaduais de Sergipe (Asert), José Messias Santos Carvalho, de Pernambuco (Asserpe), Marcos Oliveira, do Ceará (Acert), José Edilmar Novaes de Carvalho, e da Paraíba (Asserp/PB), Eduardo de Oliveira Carlos Silva.

Tecnologia e Regionalização
As possibilidades de novos modelos de negócios trazidas pela evolução tecnológica e as necessidades gerenciais que elas implicam foram os assuntos abordados por Ronald Siqueira, consultor da Abert, durante o V Fala Nordeste! “Os três pontos fundamentais que as rádios não podem perder de vista em um momento como esse são: a tendência de convergência tecnológica, a competitividade e a sustentabilidade do seu negócio”, explicou.
Além disso, ressaltou a importância de as emissoras se estruturarem do ponto de vista da sua gestão: “Como qualquer empresa, uma rádio necessita de um projeto estratégico e uma estrutura administrativa eficiente para garantir a competitividade do negócio”. A segmentação do mercado foi outra questão discutida. “A digitalização proporciona a multiplicação dos canais de comunicação e maneiras de alcançar o cliente, seja ele o ouvinte, o publicitário ou o anunciante”, acredita Siqueira.
Paulo Ferraro, diretor do Banco do Nordeste, que trouxe os principais mecanismos de crédito da instituição para o setor de radiodifusão, disse que o BNB possibilita uma linha de crédito para a modernização das rádios por meio do financiamento de equipamentos com juros bastante atrativos.
No encerrando dos debates, durante o painel “Mídia regional: federal, estadual e municipal”, Roberto Messias, diretor de mídia da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, falou sobre as diretrizes do governo para a comunicação: “o foco na mídia regional é uma diretriz do governo federal expressa em portaria. E isso inclui inclui não apenas a regionalização do investimento em mídia, mas também da produção do conteúdo”. Outra ação da Secom no sentido da regionalização é o Cadastro Nacional de Veículos, finalizado em outubro. “Com o cadastro, temos um mapeamento de todos os veículos nacionais, dentro dos critérios estabelecidos, facilitando a descentralização do investimento em mídia”. Para facilitar a participação dos veículos nas campanhas federais, está sendo criado um site onde o próprio radiodifusor pode realizar seu cadastro. O VI Congresso de Radiodifusão da Região Nordeste acontecerá no mês de novembro de 2010, em João Pessoa.

*Guido é assessor de comunicação do V Fala nordeste! – guido40@gmail.com
Revista da SET – ANO XXI – N.111 – DEZ 2009