• PT
  • EN
  • ES

Palestra sobre Satélites apresenta perspectiva favoráveis para transmissão dos Jogos Olímpicos de 2016

Resultados da transmissão da Copa do Mundo de 2014 também foram apresentados durante o encontro. As empresas estimam lançar cerca de 10 satélites para a cobertura dos Jogos Olímpicos e atender toda a demanda específica do evento

A palestra “Transmissão e distribuição: Satélites, Copa do mundo, Jogos olímpicos”, moderada por José Raimundo Cristovam (SET/UNISAT) aconteceu no segundo dia da 26ª edição do Congresso SET, realizado pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET).

Já com a tradição do encontro entre os palestrantes em outros eventos para discutir temas sobre satélites, neste ano, no Congresso SET, a palestra se focou em resultados da transmissão da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 e na apresentação de expectativas para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Com a presença de representantes de seis empresas operadoras de sinal de satélite – EUTELSAT, HISPAMAR, INTELSAT, SES, EMBRATEL Star One e TELESAT Brasil, a discussão foi bastante específica sobre as capacidades de transmissão.

“Alguns anos atrás viemos com uma discussão sobre um possível problema em transmissão satelital durante a transmissão da Copa, e todos os grandes eventos que aconteceram provaram o contrário”, afirmou José Édio Gomes, diretor de operações da HISPAMAR.

Lincoln A. Oliveira, diretor geral da EMBRATEL Star One complementa: “Tivemos um tráfego muito grande de dados e não vimos ninguém reclamando sobre problemas de comunicação, mostrando o sucesso de todo o investimento”.

Quanto aos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro, Estevão Ghizoni, diretor para a América do Sul da INTELSAT explica que “o evento é localizado, a grande quantidade de jogos acontecendo simultaneamente exige uma demanda de banda muito alta e aí que está a importância do investimento nos satélites”. Além disso, “não é só vídeo que é importante nas olimpíadas, mas sim toda a rede de telecomunicações”, aponta Oliveira.

Diante disso, as empresas tem investido para lançar, ao todo, até 2016, cerca de 10 satélites para a cobertura dos Jogos Olímpicos e atender toda a demanda específica do evento.

O Congresso terá 44 sessões e 220 palestrantes distribuídos em 4 auditórios simultâneos, em um fórum que congrega um grupo seleto de mais de 1.600 profissionais que discutem as questões mais relevantes do setor intensamente durante um período de 4 dias.

O evento reúne de 24 a 27 de agosto de 2014 no Pavilhão Azul do Centro de Convenções e Exposições Expo Center Norte em São Paulo, especialistas do Brasil, Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina, que discutem os principais aspectos da produção, transmissão e distribuição em TV, além de temas relacionados a vídeo, cinema, rádio e internet. Entre os temas destacados está o switch-off da TV, as interações entre TV e Internet, os desenvolvimentos tecnológicos da Copa do Mundo e muitíssimos outros temas de atualidade da indústria.

* Por Gustavo Zuccherato, aluno da UNESP

Post Tags: