• PT
  • EN
  • ES

Painel discute avanços na tecnologia para transmissão da UHDTV

Palestrantes da China, Japão e Reino Unido expuseram os avanços em seus países e as projeções para o Brasil

Nesta terça-feira (25) o Congresso SET analisou os principais desafios, tendências e aplicações da distribuição e transmissão em UHDTV. O moderador Raymundo Barros, diretor de tecnologia da Rede Globo, introduziu os palestrantes Dazhi He (NERC-DTV), Kohei Nakae (NHK), John Ive (IABM) e David Wood (EBU).

Dazhi He, diretor do departamento de pesquisa e desenvolvimento da NERC-DTV, explicou o desenvolvimento da tecnologia 4K na China. Segundo ele, o objetivo dos desenvolvedores de 4K é proporcionar a sensação de realidade e imersão porque esta “gera uma experiência muito boa para o telespectador e lucro para o emissor”.

Raymundo Barros, diretor de tecnologia da Rede Globo

O diretor contou que a China lançou um programa para desenvolvimento do 4K, o que resultou em conteúdo, decodificador de vídeo e transmissões de canais com essa tecnologia. Ele explicou os resultados e disse que foram desenvolvidos dos projetos, um para um sistema de TV terrestre, e outro em um sistema full-link, que envolve a captação, produção, edição, codificação, finalização e transmissão de conteúdo. Já o segundo, prevê uma rede híbrida interativa, na qual se utiliza um “transmissor original e se usa o conteúdo do difusor para gerar  interação entre o emissor e o consumidor”.

Em relação à compressão de vídeo, a China tem o padrão AVS2, derivado do AVS, e que pode ser aplicado em satélites de TV digital, televisão móvel, banda larga e transmissão de discos. Ele contou que no ano passado realizaram um teste de TV a cabo 4K em uma canal local e agora vão testar em uma emissora terrestre de Xangai. O executivo conclui sua alocução afirmando que já realizaram “muitas preparações tecnológicas e temos uma cadeia bastante abrangente na nossa indústria [da China] o que nós da certa confiança, mas o teste acabou de começar”.

Em seguida, Kohei Nakae, diretor de Desenvolvimento de Produção de Super High Vision da NHK, ele explicando as características da UHDTV, sendo elas o gamut (REE 709, DCI-P3, BT202), Quantization Depth (8 bit, 10 bit, 12 bit), High Dynamic Range (Dolby Vision, HDR 10, NHK/BBC), Frame Rate (50hz, 60hz, 120hz) e Spatial Dimension (2D e3D).

O diretor contou que a primeira geração de câmeras com tecnologia 8K, no Japão, foram desenvolvidas em 2002; em 2004 surgiu a segunda geração, e então em 2010 a terceira geração, quando foram “desenvolvidas câmeras menores, melhores e mais leves foram desenvolvidas. Nesse mesmo ano, muitos outros dispositivos foram desenvolvidos, como gravadores e transmissores”.

Nakae explicou, também que a primeira transmissão inteiramente realizada em 8K pela NHK ocorreu em 2012, nas Olimpíadas de Londres; sendo seguida pelas transmissões dos Jogos de Olímpicos de Inverno de Sochi (2014), de diversas seções públicas de conteúdo 8K e a Copa do Mundo 2014, além da Copa do Mundo de futebol feminino no Canadá deste ano. No Brasil, segundo o diretor, os testes devem começar ano que vem com as Olimpíadas Rio 2016.

John Ive, diretor de tecnologia e estratégia da IABM

John Ive, diretor de tecnologia e estratégia da IABM

No fim da sua alocução ele explicou que “a derradeira transmissão em 8K vai começar em 2018. Em um encontro ocorrido no mês passado no Japão já foi lançou o plano de transmissão. Teremos até 6 canais de 4K disponíveis, e um canal de 8K (NHK); quem vai transmiti-los ainda não está definido, mas acredito que em 2018 a NHK vai iniciar as transmissões” que serão a antessala da Olimpíadas de Tokio 2020 onde o 8K será lançado mundialmente.

John Ive, diretor de tecnologia e estratégia da IABM iniciou sua exposição com uma breve apresentação da empresa para contextualizar os serviços que prestam.  Ele apresentou o resultado de uma pesquisa realizada no mundo todo que mostra o que as emissoras e empresas de mídia estão comprando. A maior preocupação de aquisição no momento são serviços de entregas de conteúdo em multiplataforma; o UHD é a quarta maior preocupação de compra. Já “Upgrading operation to HDTV’ está em sexto.

Para ele, “o UHDTV só vai decolar no mercado de massa quanto se transforme, com uma boa relação custo-benefício”. No entanto, em termos de tecnologia, o UHDTV é mais compatível com High e Standard Definition, melhor que o 3D, e “a mudança de qualidade não é tão dramática quanto a de Standart para High Definition”, conclu.

David Wood, vice-diretor de tecnologia e desenvolvimento da EBU, expôs as possíveis escolhas quanto à UHDTV. Para ele deve haver compatibilidade com bom desempenho – The log-gamma approach”; ou melhor o desempenho possível com medidas para atingir compatibilidade – The Barton’s approach”.

David Wood (EBU)

David Wood (EBU)

Wood afirmou ainda que a UHDTV “não é só uma coisa, é um conjunto de características”, retomando as já apresentadas por Nakae.

O moderador do painel, Raymundo Barros, afirmou que “estamos discutindo aqui o futuro da produção e distribuição de conteúdo. Os vários debates em torno do futuro, do que vem depois do HD, do beyond HD, é de extrema importância para a indústria. As questões todas tratadas aqui, dos vários atributos de qualidade e os standards para gente conseguir isso, eles são muitíssimo importantes. Então acho que foi um painel muito relevante e vai contribuir para as decisões que vamos ter que tomar”.

A 27ª edição do Congresso da SET acontece de 23 a 27 de agosto de 2015 no Expo Center Norte, em São Paulo. Este é o Congresso mais importante das áreas de engenharias e novas mídias da América Latina reunindo especialistas dos Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina, para debater e analisar a situação atual e as principais tendências em produção, transmissão e distribuição e contribuição de TV. Na edição deste ano o foco passa pelo desligamento analógico da TV e os temas relacionados com esta transição.

SET Expo 2015

A feira será realizada de terça-feira, 25 de agosto até quinta-feira, 27 de agosto. Este ano, o SET EXPO, Feira de Equipamentos, Tecnologia e Serviços aplicados aos Mercados de Broadcasting, Telecomunicações e Mídias Convergentes espera um público de mais de 15 mil visitantes entre profissionais, empresários e executivos do mercado de produção e distribuição de conteúdo eletrônico de multimídia, incluindo TV aberta e por assinatura, rádio, internet, indústria, produção e telecomunicações.

Mais de 200 expositores, representando mais de 400 marcas nacionais e internacionais vindos de países como Estados Unidos, Canadá, Israel, Coréia, Itália, Espanha, Chile, e muitos outros estarão presentes na edição 2015. Ainda a exposição contará com pavilhões internacionais do Reino Unido, Alemanha, Japão, Argentina e Escandinávia.

Como já é costume, siga a cobertura em tempo real do Congresso e o SET Expo na Revista da SET.

Equipe Revista da SET/ProEx Unesp: Nathane Agostini e Fernando Moura, em São Paulo