• PT
  • EN
  • ES

O futuro do ISDB-T

Especialistas do Brasil e o Japão discutem o futuro do sistema no Congresso da SET

A palestra “Transmissão e distribuição. Visões atual e futura do ISDB – TV”, moderada por Olímpio Franco (Presidente da SET)realizada no terceiro dia da 26ª edição do Congresso SET, realizado pela Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET).

Trouxe ao Congresso cases de implantações do ISDB-T, novos entrantes e potências adoptantes e a visão de um padrão mais avançado para os próximos anos pela NHK, ARIB e MIC do Japão

A primeira palestrante foi a representante do Governo Japonês através do MIC, Reiko Kondo que explicou como foi realizada a promoção Internacional do ISDB-T por parte do governo nipónico.

Para Reiko, “o mais importante do sistema é a sua possibilidade de crescimento” e avanço, não só no Japão senão dentro dos países que adotaram o padrão e os que poderão vir a adota-lo. “Inicialmente, o padrão ISDB-T foi desenvolvido no Japão e, posteriormente adaptado às condições do Brasil e, em seguida, foi introduzido em outros países da América Latina. Mais recentemente, o padrão ISDB-T foi também adotado em países da Ásia e África, como nas Filipinas, Sri Lanka, Maldivas e Botswana. Atualmente, dezassete países já adotaram esse padrão” explicou.

No Japão, afirma, “as parcerias público – privadas entre o Ministério do Interior e das Comunicações (MIC), o Digital Broadcasting Experts Group (DiBEG) e a ARIB (Association of Radio Industries and Business) promovem e disseminam o padrão ISDB-T no mundo e apoiam os países que também estão adotando”.

Ana Eliza Faria e Silva (SET/TV Globo/Fórum ISDB-T) mostrou os índices de cobertura de TV Digital com “mais de 70% do território nacional” com uma tendência de incremento do sistema e com cada vez mais televisores capazes de receber o sinal ISDB-T no país.

“Hoje estamos focados em melhorar o sistema e trabalhar em uma nova reformulação do sistema onde possamos melhorar e contribuir para manter viva, atractiva e solida a TV Digital. Hoje somos um grupo de apoio ao switch-off analógico que é o grande desafio da Fórum nos próximos anos ”, afirmou Ana Eliza.

Masahiko Fujimoto (ARIB) fez um relato das atividades da Association of Radio Industries and Business no Japão explicou que com a Copa do Mundo começou a utilização de broadcasting via satélite no japão com tecnologia 4K e já esta estabelecido que o próximo passou será que isso aconteça com 8K em 2016

“Precisamos determinar padrões para a tecnologia UHDTV, por isso temos trabalhado na codificação do distribuição, mas precisamos determinar os padrões de contribuição de sinal. Hoje existem dois sistemas de transporte de sinal, o TLV-MMT e o MPEG2 TS. Pensando que no futuro terá de ser adotado assumindo o que façam outros países”.

Fujimoto ainda falou sobre a realização de uma integração dos padrões de broadcast e broadband para poder oferecer serviços híbridos de TV Digital tanto para Broadcast como para broadband. “Precisamos definir um sistema que trabalhe tanto por espectro como por Internet e trabalhe de forma híbrida”.

Congresso da SET descute implantações do ISDB-T, novos entrantes e potências adoptantes e a visão de um padrão mais avançado para os próximos anos pela NHK, ARIB e MIC do Japão.

A seguir, na palestra “Implementação da TV Digital e do Projeto EWBS no Peru”, Katsumasa Hirose (JICA) explicou o que foi possível fazer no no passado 11 de Março de 2011, quando aconteceu o terremoto que assolou a região leste do Japão causando enormes danos e fez com que a importância de um sistema mundial de prevenção de desastres fosse percebida. Durante o terremoto, o alerta de tsunami foi disparado. Este alerta é parte do sistema EWBS (Emergency Warning Broadcasting System) e pertence ao Sistema de Transmissão Digital Terrestre ISDB-T, e teve um papel extremamente importante na evacuação das áreas de risco e na prevenção de acidentes no sistema de transporte público.

Hirose explicou que dentro do cenário, a JICA – Japan International Cooperation Agency, também realizou pesquisas e coletou dados sobre os riscos de grandes terremotos e tsunami nos países da Ásia e do Pacífico. Em seguida, o Peru requisitou ao Japão que também desenvolvesse este sistema de prevenção a desastres dentro do seu país.

O projeto já esta em operação e foi implementado pela EWBS no “sistema DTT no Peru com excelentes funcionalidades”.

O Congresso terá 44 sessões e 220 palestrantes distribuídos em 4 auditórios simultâneos, em um fórum que congrega um grupo seleto de mais de 1.600 profissionais que discutem as questões mais relevantes do setor intensamente durante um período de 4 dias.

O evento reúne de 24 a 27 de agosto de 2014 no Pavilhão Azul do Centro de Convenções e Exposições Expo Center Norte em São Paulo, especialistas do Brasil, Estados Unidos, Japão, Europa e América Latina, que discutem os principais aspectos da produção, transmissão e distribuição em TV, além de temas relacionados a vídeo, cinema, rádio e internet. Entre os temas destacados está o switch-off da TV, as interações entre TV e Internet, os desenvolvimentos tecnológicos da Copa do Mundo e muitíssimos outros temas de atualidade da indústria.

* Fernando Moura, Revista da SET

Post Tags: