• PT
  • EN

SET EXPO 2019: Lawo dá pontapé de partida no SET Tech Break

O 31º Congresso de Tecnologia e Negócios de Mídia e Entretenimento – SET EXPO 2019 começou hoje com excelente nível de debate e o início de uma nova forma de encontro com os participantes

A SET lançou nesta segunda-feira (26), o SET Tech Break,  uma série de palestras organizadas por key players do mercado ministradas nos intervalos do almoço. A primeira esteve a cargo da empresa alemã, Lawo e analisou com cases reais, “Infraestrutura IP – desafios dos pioneiros (Estudo de Caso)”. Erling Hedkvist, vice-presidente sênior e gerente de desenvolvimento de negócios da Lawo trouxe a São Paulo uma série de implantação e aplicações reais mostrando como “utilizando workflow baseados em IP” é possível melhorar a produtividade e reduzir custos de operação.

Entre as soluções tecnológicas mostradas em um almoço de trabalho, como ficou expresso entre os participantes, o executivo explicou as principais tendências tecnológicas da indústria e as soluções que a empresa oferece.

Um dos cases por Hedkvist foi como realizar playout virtuais em grandes eventos esportivos. Para isso foi mostrado como foi implementado um projeto na Europa para vários países que contou com diferentes estandars e padrões com soluções IP.  De fato, para o executivo, é necessário “ ter uma abordagem pragmática em relação ao IP”, utiliza-lo sempre que necessário e dependendo dos requisitos da produção.

NEP Productions Hubs

Outro case de aplicação foi o da NEP na Austrália, grande produtor de conteúdos para eventos ao vivo. Neste exemplo o executivo mostrou como realizar produções esportivas remotas na Austrália. Segundo o executivo o principal objetivo foi “ter uma produção eficiente que minimize os custos e não comprometa a qualidade. Para isso foi desenvolvido um novo conceito, o “anyone, anywhere (qualquer momento, qualquer lugar)”, disse Hedkvist.

As produções podem ser feitas até 3930 Km de distância com uma rede de 100 Gbs redundante que “trabalha integralmente via IP,  seja nativo ou convertido, que pela sua vez interconectam 29 venues que estão unidas pelo padrão SMPTE 2110”. Essas venues, pela sua vez, trabalham com 336 canais de EVS repartidos em 78 estações diferentes espalhadas pelas diferentes locações onde se encontram as unidades móveis.

Por Fernando Moura, em São Paulo