• PT
  • EN
  • ES

Tendências do mercado audiovisual

Aguinaldo Silva (SET)

A tarde do segundo dia de palestras começou com um tema desafiante: as “tendências do mercado audiovisual”, com Aguinaldo Silva (SET). Ele começou a sua apresentação afirmando que é de consenso que “muito em breve a televisão não será a mesma, mas como será esse processo ainda é incerto”. Disse ainda que já é sabido que “a televisão está sendo diretamente influenciada pelas inovações tecnológicas, pelos hábitos e costumes do usuário. Até há pouco tempo, o aparelho de TV era considerado um veículo de prostração involuntária, o televisor adquiriu novo status: Plataforma de Comunicação, porque a aplicação do televisor é cada vez mais diferente da forma tradicional porque passamos de assistir TV para fazer uso da TV”.

Ele disse que as principais incertezas sobre o futuro estão em aspectos técnicos e de consumo, além da engenharia, que estão definindo o futuro das mídias; novos hábitos de uso do televisor; diferentes contextos e estratégias dos diversos mercados televisivos para que se adaptem à nova realidade vinda das plataformas e dispositivos de distribuição de conteúdos audiovisuais.

Silva afirmou que para chegar a 2020 é preciso “construir uma nova TV a partir de hoje” entendendo as novas gerações que criam novos comportamentos, hábitos de uso e costumes; que lideram mudanças, são engajados, formam grupos e compartilham conteúdos. “Não há como fugir desta realidade irreversível. É necessário adaptar-se ou será a morte de quem seguir na contramão desta estrada”.

Para o palestrante, é necessário entender que esse novo usuário continuará assistindo TV pelo conteúdo, mas a mudança mais importante é na forma como será entregue a programação ao telespectador, considerando novas tecnologias embarcadas nos receptores que oferecem novos serviços para um novo usuário que busca cada vez mais experiência completa. “Esse usuário busca melhor conteúdo com melhor qualidade de imagem com o surgimento de novos formatos de telas que vão muito além do Full HD; e também da convergência de mídias e de telas (Múltiplos Screens); acesso às redes sociais”. Fundamentalmente, segundo Silva, buscam aparelhos de TV que acompanhem a “integração entre Broadcast e Broadband”.

Silva analisou ainda as novas tecnologias e formatos de display com destaque para a tecnologia Quantum (QD) ou QLED Display, que possui uma tecnologia que melhora o backlight pelo uso de QDs; e porque utiliza nanocristais semicondutores de 2 a 10mm que emitem cores quando excitados por uma corrente elétrica. Ainda, segundo ele, esses displays possuem luzes azuis que são convertidas pelo QDs em vermelho e verde puro; e a combinação das cores RGB elimina absorção de cores indesejadas na formação da imagem – Full Gamut Color.

Falando da integração de broadcast e broadband, Silva disse que “considerando a população latinoamericana que assiste a vídeos on-line, a TV aberta foi destronada pelo conteúdo “a la carte” (inclui Netflix e YouTube). As mídias de massa continuarão existindo, mas o relacionamento com elas é que muda muito. Isso não implica que um meio irá acabar com o outro; mas o acesso a tablets, smartphones, smartTV, banda larga determina novo modelo de audiência e obriga a formulação de estratégias e novas oportunidades de negócios”.

Assim, ele conclui que a passos largos e com o apoio da internet, o televisor se transforma em uma completa central de entretenimento. “Por isso não há outra alternativa para os broadcasters senão a de desenvolver estratégias e modelo aderente a este movimento pensando em sistemas Hybridcast que emprega extensão HTML5, linguagem Web (W3C), comumente usadas em PCs e smartphones, e torna viável serviços tais como redes sociais e video-on-demand no aparelho, e serviços de cross-channel”.

O SET NORTE 2015, Seminário de Tecnologia de Broadcast e Novas Mídias Gerenciamento, Produção, Transmissão e Distribuição de Conteúdo Eletrônico Multimídia, terá importantes palestras, com destaque para o desligamento da TV Analógica, migração das AMs para a faixa FM, 4K, infraestruturas IP e interiorização da TV Digital, serviços satelitais, normas e regulações, entre outros

O seminário aconteceu no Studio 5 Centro de Convenções – Av. Rodrigo Otávio, 3.555 – Distrito Industrial – Manaus – AM, e foi realizado pela SET e a Fundação Rede Amazônica.

Por Fernando Moura, Manaus (AM)