• PT
  • EN
  • ES

Sincronismo em rede IP

Parece que de fato o grande assunto da NAB 2014 é a migração dos sistemas de infraestrutura das emissoras para o protocolo IP. Depois de vermos os fabricantes de transmissores e das empresas de TI abordarem o tema, foi a vez de Erick Soares, da Sony Brazil, falar sobre Sincronização e Clock em redes IP.

“O 4K já é uma realidade para o consumidor. A venda de televisores UHD já nos deu a padronização no que diz respeito à profundidade de cor e quadros por segundo, por exemplo”, começou Soares. Outro ponto destacado pelo palestrante foi a já evidente escolha do HDMI 2 (4K, 60p, 4:2:2 e 12 bit) como a forma que a imagem vai entrar na televisão.

“Com estas tecnologias acessíveis já há fluxo 4K completo da produção ao consumo, então precisa-se repensar o transporte”, explicou. De acordo com Soares, a quantidade de cabeamento padrão se torna um problema quando é preciso de 4 conexões 3G para trafegar 4K. “Em nossa UM da copa das confederações, foram 360 cabos BTN, ou seja, 260 kg. Se tivéssemos feito tudo em rede, este número cairia para 88 cabos com 11 kg (ou 40 kg em caso de cabos trançados)”, ilustrou.

Em seguida levantou as duas principais preocupações que devem ser levadas em conta quando se pensa na sincronização do sistema. A primeira diz respeito à adotar o padrão IE1588 para garantir o tráfego de vídeo. “Outro ponto crítico é o controle de qualidade do serviço da rede. É preciso de um grande controle de banda e alocação para garantir que o vídeo sempre tenha prioridade máxima e ininterrupta”, concluiu.