• PT
  • EN
  • ES

SET e TRINTA: SDI sobre IP, padrões, soluções, topologias e como fazer funcionar

Silvino Almeida, diretor da Tektronix deu início às palestras do SET e Trinta 2016 com o tema “SDI sobre IP: padrões, soluções, topologias e como fazer funcionar”. O congressista afirmou que o aumento do range dinâmico de vídeo é o que está despontando para suportar as necessidades dos consumidores e da indústria.

Ele argumentou, ainda, que a tecnologia de SDI sobre IP abre a possibilidade de novos conceitos de contribuição e de produção de vídeo sobre uma infraestrutura IP mais flexível e barata, entretanto, traz novos desafios de garantia de tráfego de um sinal síncrono e com etapas de produção de vídeo e áudio em altas taxas de transferência.

Desta forma, Almeida apresentou as ferramentas de análise e de controle do sinal de vídeo sem compressão no mundo IP e expôs os desafios de sincronismo da infraestrutura de TI com os sistemas legados em SDI.

Na opinião dele, o IP fará a distribuição mais simples, porque a estrutura é escalável. Assim, Almeida explicou como o vídeo deve ser inserido em estruturas IP que funcionem como sistema e pontuou quais as diferenças fundamentais com as estruturas SDI.
Ainda analisou as diferenças entre as linguagens SDI e IP e, por exemplo, como transportar vídeo 4K em uma estrutura IP. Explicou como é possível transportar vídeo em um sistema que é assíncrono, ou seja, que precisa de um frame rate para poder ter sincronismo já “que as estruturas IP não foram feitas para vídeo”.

O executivo da Tektronix também analisou as diferenças de vídeo 4K e, com este, como comprimir vídeo de 12Gbs para pelo “menos 10 Gbs, que podem ser usados o MPG”. Mostrou, também, como sincronizar o vídeo com genlook para gerar a referência PTP, “que faz tornar o sinal assíncrono em um sinal com síncrono. Assim, o PTP permite que utilize, por exemplo o Boundary Clock, que serve para que todos os pacotes de vídeos possam ser controlados”, explicou.

Nesse sentido, Almeida apresentou os principais produtos da Tektronix e indicou como a marca busca acompanhar o desenvolvimento tecnológico que os radiodifusores precisam. “A televisão caminha para um sistema misto entre SDI e o IP que possa ser interligado e permita usar o legado que a emissora tem”, frisou.

Para poder avançar ao IP, “é necessário pensar na interoperabilidade dos devices da emissora para trabalhar com estruturas IPs, porque a transição deve ser gradual e transparente, além do que, devemos ter consciência de que precisamos trabalhar com o legado porque nós temos de acompanhar os nossos clientes”, ponderou, antes de finalizar a sua palestra afirmando que “na experiência da transição para o HD fomos devagar. Agora, a transição deve ser lenta e cautelosa, pois é inevitável, mas deve ocorrer com calma e no momento que seja necessária”, concluiu.

Acompanhe todas as palestras na Revista da SET.

http://set.org.br/eventos_nab_programacao.asp?ano=2016

 

Serviço

Evento: SET e Trinta/SET Breakfast @ NABShow

Datas: 18, 19 e 20 de abril

Horários: 6h30 às 9h40

Local: Sala N116, Pavilhão Norte

Veja mais na edição especial da Revista da SET de Abril de 2016

Por Fernando Moura e Francisco Machado Filho em Las Vegas. Edição em São Paulo, Gabriel Cortez