• PT
  • EN
  • ES

Nem só alegrias no mundo IP

Não é só de facilidades que é feito o fluxo de trabalho IP. Existe uma série de variáveis e particularidades que precisam ser levadas em conta quando se projeta uma infraestrutura para broadcast baseada em um fluxo tapeless. Foi com o propósito de ilustrar estes desafios que Silvino Almeida, da Tektronix, veio ao SET e Trinta da NAB 2014.

“É muito importante lembrarmos que as redes IP não foram concebidas como formas dedicadas para trafego AV”, começou Almeida. De acordo com o especialista, devido à esta característica, é preciso que haja um controle de qualidade extremamente eficiente para garantir que a infraestrutura entregue um produto final de qualidade.

Em seguida, Almeida listou quais são os principais desafios para quem está migrando para fluxo de trabalho IP. “O primeiro grande problema é a não existência de um padrão forte, como o SDI. Na verdade o que existe é centenas de diferentes tipos de arquivo, como variados formatos de MPEG2, por exemplo”, explicou. Desta forma, ao projetar a infraestrutura, é preciso obter hardware e software que seja capaz de lidar com todos os formatos.

Outro desafio esta na dificuldade de localizar onde estão os problemas quando estes surgem. “Em uma estrutura IP, cada dispositivo é um interpretador de protocolo, portanto, se um anúncio trava no playout, como fazemos para saber se o problema foi no arquivo em si, ou no servidor de playout?”, questionou o palestrante.

Almeida levantou ainda os problemas que ocorrem em momentos de pico de uso da rede IP, o que pode gerar latências. “É muito importante superar estes desafios por que a infraestrutura IP é barata e a migração é necessária”, afirmou.

Dentre os processos que podem servir como solução para estes entraves, está a necessidade de ter dentro da estrutura ferramentas analisadoras que permitam “debugar” o processo e encontrar os erros. “Temos acompanhado o surgimento desta ferramenta chamada QCloud, que é um conceito novo de distribuição em nuvem usando o Amazon Web Services”, explicou.

De acordo com o palestrante, o QCloud é um serviço que permite gerenciar a estrutura de maneira extremamente simplificada, com a geração de diversos relatórios de fácil interpretação para encontrar onde estão os problemas. “Um serviço como este permite um controle total e além disso pode ser operado por alguém sem uma grande especialização, baixando custos de mão de obra”, concluiu.

Post Tags: